Review

Festas, networking e depoimentos: o ADE 2017 pelo olhar da Phouse

ADE 2017
Confira o que vimos em Amsterdã durante o maior encontro da indústria da música eletrônica no mundo todo
Fotos por Phouse e Amsterdam Dance Event

Atingindo o recorde de mais de 395 mil pessoas — incluindo produtores, DJs, empresários e amantes da música eletrônica de mais de 90 nacionalidades —, rolou entre os dias 18 e 22 de outubro o Amsterdam Dance Event. Maior encontro global da indústria da música eletrônica, o ADE existe desde 1995, misturando uma programação de palestras e workshops com mais de 200 festas em diferentes locais espalhados pela cidade. São cinco dias, 80 locais e mais de 7.200 representantes do mercado, e a Phouse foi conferir esse evento através da recente parceria com a BURN, que proporcionou essa viagem incrível para a gente.

Antes dessa semana intensa, é importante se programar bem, e pensando nisso, o evento disponibiliza um aplicativo para os participantes em que é possível acessar todos os eventos, festas, workshops e exposições previamente, e já se inscrever. Para se ter uma noção, a população da capital holandesa chega a aumentar em mais de 40% durante esse período. A divulgação é enorme, e encontramos indicações das festas por todos os lados da cidade, de bares a farmácias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
...

São mais de 4,5 mil conferências, e quem participa não vai apenas para fazer festa. É, na verdade, uma mistura de negócios e lazer. O ADE é uma oportunidade para descobrir novas tendências, novos talentos, participar de seminários, exibições de documentários, aulas de produção musical e até mesmo de torneios de futebol para a caridade. Neste ano, a maioria das palestras aconteceu no Teatro Nieuwe DeLaMar, um bonito e amplo espaço onde grandes nomes da cena eletrônica abordaram diferentes tópicos. Em nossa cobertura, nos dividimos entre essas diversas atividades e nos encontramos com importantes artistas como Bhaskar, Sharam Jey, ILLUSIONIZE, Mike Mago, De Hofnar e Matisse & Sadko, e em meio a tantos eventos, a gente divide aqui com vocês os que mais curtimos.

E aqui vamos nós para para o terceiro dia de Amsterdam Dance Event. @burn_energy

Uma publicação compartilhada por Phouse (@revistaphouse) em

AMF – Amsterdam Music Festival

Conhecido por ser palco do anúncio do Top 100 da DJ Mag, é o festival derivado do ADE, organizado pela ID&T Entertainment e a ALDA Events, duas empresas do grupo LiveStyle. No aniversário de cinco anos do AMF, o lineup ficou por conta de ninguém menos que David Guetta, Dimitri Vegas & Like Mike e, pela primeira vez, um B2B oficial de Armin van Buuren e Hardwell. A festa rolou até de manhã e foi um sucesso.

Awakenings ADE Specials

A Holland Powerhouse Company, responsável pelo Awakenings Festival, que é um dos maiores festivais de techno do mundo, se expandiu ainda mais nesse ano no ADE. Com a série Awakenings ADE Specials, tivemos, durante cinco dias, sete showcases do festival dentro da programação do evento. Na sexta, 20, pudemos conferir o Awakenings X Joris Voorn & Friends, que contou sets de Sven VäthKölsch, Nastia e Slam, além, é claro, do próprio Joris Voorn. Com as incríveis produções visuais e abrindo o fim de semana, a festa, que era uma das mais aguardadas, não deixou a desejar.

ADE 2017

Martin Garrix – 18+

Pelo segundo ano consecutivo, o top DJ esgotou os ingressos das duas edições da festa que comanda durante o ADE — ambas produzidas pela E&A Events. O primeiro show realizado foi na sexta-feira, somente para o público maior de 18 anos. Já no sábado, Martin, que se tornou uma das estrelas mais jovens da música eletrônica, retornou para uma segunda apresentação, dessa vez livre de classificação indicativa. O DJ se disse feliz em poder tocar para um público que normalmente não é capaz de participar do evento.

elrow

Para encerrar o festival com sucesso, nos dirigimos à elrow. Em uma das melhores locações da cidade — De Kromhouthal, em Amsterdam Noord —, a label (que em breve desemboca no Brasil pela primeira vez) teve como tema o Sambódromo do Brasil, e contou com nomes como Paco Osuna, Parks & Songs e Michel Hey. A festa, uma das mais empolgantes que vimos, teve início no começo da tarde e seguiu madrugada adentro.

ADE 2017

Superando-se a cada edição, o Amsterdam Dance Event de 2017 foi sucesso absoluto. Os maiores profissionais da área no Brasil também se encontraram em peso por lá; confira o que alguns deles compartilharam conosco sobre o evento:

 “O ADE é um evento muito importante para a Braslive Entertainment, uma oportunidade para network com os maiores players globais da música eletrônica. Tivemos reuniões com agências de booking de diversos países, empresários, executivos de gravadora, empresas de tecnologia, assessores de imprensa, mídias e artistas. Além disso, unimos o útil ao agradável e também pudemos aproveitar um pouco da cidade de Amsterdã, que é maravilhosa” — Guilherme Tannenbaum (Braslive Entertainment)

 “O ADE é o principal evento de música eletrônica no mundo. Em meu segundo ano consecutivo, considero uma experiência enriquecedora, seja pelas mais de 400 palestras sobre temais atuais do segmento, pelas oportunidades de networking, por testar novidades de equipamentos e assistir aos principais artistas da cena que se apresentam durante o evento” — Tiago Zacaner (DJ/Produtor)

“A transição do Felix Meritis para o DeLaMar foi excelente: Leidseplein é muito bem localizada, tem uma grande variedade de restaurantes, bares e, com a decoração temática da conferência, a praça ficou realmente incrível. Outro grande destaque positivo foi a presença dos colegas brasileiros! Em quase todos os lugares era possível encontrar alguém conhecido. O volume de reuniões é muito grande — em alguns dias não sobrou tempo para conferir as palestras e demais atividades do programa —, mas, como até mesmo os veteranos de ADE sofrem com isso, não diria que é um ponto negativo. Das festas que fui, Awakenings e elrow foram as melhores” — Gabriel Lisboa (Plusnetwork)

“Achei importantíssimo participar do ADE neste ano. Além de ampliar os horizontes, tive a oportunidade de gravar com alguns artistas que estavam presentes no evento. Sem contar as infinitas festas pela cidade” — Darick (DJ/Produtor)

“O ADE 2017 me surpreendeu muito. Além das festas, em que pude ver referências minhas da música eletrônica, neste ano fui com um intuito mais acadêmico e atento às oportunidades profissionais que podia ter, e valeu muito a pena. Assisti a palestras bem interessantes — como a sessão de estúdio com o Martin Garrix e a masterclass sobre engajamento no YouTube — e tive reuniões com algumas gravadoras. É um lugar onde você respira música eletrônica, e isso traz um crescimento imensurável, tanto para os profissionais da área quanto para os simples amantes da e-music. Uma coisa tenho certeza: ano que vem estaremos lá novamente!” — Bhaskar (DJ/Produtor)

 “Grandes oportunidades são criadas durante a semana do ADE. Eu vou a Amsterdã durante o período da conferência para fomentar negócios e relacionamentos internacionais. Isso me ajuda a me preparar os planos para o próximo ano, tanto na importação quanto na exportação de talentos e produtos do mercado da música. O volume de reuniões é grande, permitindo me encontrar com os principais players, produtores, agências e gravadoras” — Gabriel Lopes (Artist Factory/Alok)

“O ADE é sempre surpreendente. Cada ano encontro novos motivos para sempre estar presente. É a oportunidade que temos de encontrar os principais stakeholders do mercado para troca de ideias e estratégias, e muito do próximo ano começa se desenhando naquela semana. Além de toda a formalidade de reuniões, as festas trazem um ingrediente especial para novas oportunidades de negócios em um ambiente descontraído” — Mario Sergio (Laroc)

Luckas Wagg é CEO da Phouse.

LEIA TAMBÉM:

Confira mais de 20 sets que rolaram no Amsterdam Dance Event 2017

Confira uma palinha do B2B inédito entre Armin van Buuren e Hardwell

Jamie Jones, andhim, Soldera e outros compõem o lineup da elrow em SP

Time Warp e Awakenings se juntam em novo festival

Fundador do BRMC fala sobre mudança para SP e os 10 anos da conferência

Deixe um comentário

No Comments Yet

Comments are closed