Connect with us

Notícia

Confira 10 dicas para o sucesso baseadas na carreira de Skrillex

Phouse Staff

Publicado há

Sonny Moore está no caminho da música há muitos anos. Atualmente ele é conhecido como Skrillex, e aclamado mundialmente pelo seu trabalho, mas já foi vocalista da banda From First To Last e lançou trabalhos solo como Sonnysound, para então iniciar sua trajetória atual, bem como paralelos como o Jack Ü e o Dog Blood.

+ Projeto paralelo de Skrillex e Boys Noize anuncia novas músicas

Diante de tanta versatilidade, o youtuber Evan Carmichael listou e interpretou dez regras que Skrillex seguiu no seu caminho de sucesso. Os 10 itens listados no vídeo são:

Cultive o seu próprio lance

Independentemente da moda ou do que você considera o suprassumo da produção musical, faça o seu próprio som sempre, se divirta com a música que você cria e isso vai agregar pessoas ao redor do seu trabalho.

Expresse energia

Fazendo seu próprio material de maneira sincera, você começa a cultivar e expressar uma energia própria, e segundo Skrillex, esse é o tipo de artista que se procura na indústria: alguém que é apaixonado pelo que faz, e isso se destaca.

Não tenho meda de falhar

Parece clichê, mas no final das contas seus fãs mais fiéis são aqueles que apreciam o fato de você explorar o máximo de possibilidades possíveis em relação ao seu talento e a suas habilidades, então faça sem medo.

Force os limites

Não se acanhe em mudar o que normalmente seria uma regra. No vídeo, Skrillex fala de seu single com Justin Bieber, o qual não segue a fórmula tradicional de uma música pop.

Dê um salto

Se você tiver certeza de que certa ação pode ser um grande salto em sua carreira, dê esse salto; em algum momento, ele é necessário.

Ignore os haters

Definitivamente, ignore comentários baseados puramente em ódio ou falta de compreensão sobre o seu trabalho. Ao invés disso, procure sempre aquele artista que esbarrou na sua música, deixou um comentário, e para sua surpresa tem um som que você acha demais.

Tenha foco

Para fazer algo grandioso você precisa dedicar muito tempo nesse ofício. Então se o seu lance é fazer música, tenha o foco de fazer o máximo possível, pois isso te coloca no caminho mais acertado.

Seja um estimulador

Utilize o conhecimento que você vai acumular na sua caminhada para estimular outras pessoas, afinal, líderes não têm seguidores, eles criam outros líderes.

Trabalhe MUITO

Trabalhe muito porque você quer alcançar quaisquer objetivos, e porque você ama fazer música, certo?

Se divirta com seus erros

Ao longo do caminho vai haver tropeços e talvez até umas gafes, mas não encare isso de forma negativa. Se você se divertir com a situação, a parte ruim se dissipa.

Confira o vídeo na íntegra:

Ao final, também rolam umas dicas bônus: a) se motive com o sucesso; b) preste atenção no feedback; e c) faça o que te faz feliz.

+ Skrillex faz aparição especial no Coachella

+ “Eu odeio as grandes gravadoras”; Diplo fala sobre o porquê da pausa com o Jack Ü

Deixe um comentário

Opinião

20 artistas do mainstream nacional para ficar de olho em 2018

Luckas Wagg

Publicado há

20 artistas 2018
Liu é uma das nossas grandes apostas para 2018. (Foto: Yohan Augusto)
Uma seleção de nomes que têm tudo pra explodir no cenário eletrônico brasileiro nesta temporada

O ano está apenas começando, mas já dá pra trazer aqueles listões que todo mundo curte. Então selecionamos aqui 20 artistas da cena mais mainstream da música eletrônica que valem ficar de olho pra esta temporada.

São nomes que não necessariamente estão começando ou são promessas; parte deles inclusive teve um 2017 já de bastante destaque. Porém, são DJs em quem acreditamos que, justamente por já terem revelado bastante potencial em uma amostra recente, têm uma margem de crescimento bem alta a curto prazo, e devem vir agora com tudo pra emplacar definitivamente no cenário nacional.

Longe de ser qualquer tipo de ranking, a seleção abaixo é apenas um acervo de alguns dos muitos artistas que entendemos que chamaram a atenção pela sua música ou apresentação em eventos que marcamos presença em 2017.

Liu

20 artistas 2018

Longe de ser mais uma promessa, Cristian Liu já pode — e deve — ser considerado como uma das novas e grandes estrelas da dance music nacional. Apadrinhado por ninguém menos que Alok, o DJ/produtor de traços asiáticos ficou conhecido por sua track “Don’t Look Back”, e desde então vem fazendo shows pelos quatro cantos do país. Seu lançamento mais recente é “Coastline”, em parceria com o garoto prodígio WOAK. A faixa já atingiu mais de 3 milhões de streams entre Spotify e YouTube.

Kiko Franco

Com remixes oficiais para grandes artistas como ZHU e J Balvin, Kiko Franco ganhou notoriedade no mercado nacional e a cada dia vem surpreendendo mais e mais. Em 2016, o DJ ficou conhecido pelo seu remix com Kubski para “Panda”, do rapper americano Desiigner. A faixa caiu no gosto de gigantes do cenário, como EDX, Vintage Culture e muitos outros. Seu lançamento mais recente é um remix para a faixa do 1Kilo, “Deixe-Me Ir”, em parceria com WOAK.

SELVA

Com certeza você já ouviu alguma músicas desses caras. Só para refrescar sua memória, eles são autores dos sucessos “Why Don’t U Love” — em parceria com Vintage Culture e Lazy Bear — e “Make Me Wanna”, com Zerky. Além de DJs e produtores, Pelu e Brian Cohen também são instrumentistas, e têm como destaque em suas performances um live de bateria e guitarra. O mais recente lançamento da dupla é “O Amor Existe”.

Öwnboss

Formado por Mario Camargo e Eduardo Zaniolo, o projeto Öwnboss vem ganhando notoriedade no cenário da música eletrônica desde os seus primeiros lançamentos — “Stressed Out” e “Take Me Out”, com Bruno Be. Em 2017, o grande destaque da dupla foi um rework para a faixa “Intro”, de The xx, com ninguém menos que Vintage Culture.

Future Class

Autores de diversas tracks que hoje compõem sets dos principais artistas do cenário nacional, Igor Dantas e Allan Deckii vêm chamando a nossa atenção há muito tempo. Com um 2017 super agitado, os garotos se apresentaram nos principais clubs e festivais do país, como Kaballah, Lollapalooza, Só Track Boa, Green Valley e Laroc. O lançamento mais recente da dupla é “Shooting Stars”, com Vintage Culture.

RADIØMATIK

O projeto de música eletrônica que marca a união do DJ/produtor Diego Moura com o músico Mario Veloso é a mais nova bola da vez. Com pouco tempo de formação, o RADIØMATIK já lançou duas faixas e tem agenda cheia pelos quatro cantos do Brasil. Seu mais recente lançamento é “Too Close”, que ganhou destaque na playlist MINT, do Spotify.

Dubdogz

Os irmão gêmeos Marcos e Lucas Schmidt, que juntos formam o projeto Dubdogz, sem dúvidas não poderiam ficar de fora desta lista. Os paulistas foram grande destaque em festivais como Tomorrowland, XXXPERIENCE e Electric Zoo Brasil — para o qual, inclusive, compuseram o tema oficial de sua última edição, “Sunrise”.

KVSH

Autor do grande sucesso do verão “Sede Pra Te Ver”, KVSH também é presença obrigatória por aqui. Produtor de mão cheia, Luciano Ferreira tem conquistado o público dos quatro cantos do país. Seu lançamento mais recente é “Eu Não Valho Nada”, com a DJ Samhara.

Evokings

Frutos da escola de produção Make Music Now, os meninos do Evokings são mais do que uma promessa. Em 2017 emplacaram o hit “Gravity” com Cat Dealers, e em seguida “My Way”, que já conta com mais de um milhão de reproduções no Spotify.

Breaking Beattz

Formado por Lauro Viotti e Rafael Zocrato, o duo Breaking Beattz despontou no Beatport em 2017 com uma de suas tracks entre as mais vendidas do ano. A dupla é dona de diversas faixas que invadiram as pistas dos principais clubs e festivais do Brasil no último ano. Entre elas, “Perfect Exceeder”, com Gabriel Boni, “Let The Bass Go”, com FractaLL, e “Get Low”, com Sharam Jey e Chemical Surf; com o duo brasileiro, também tiveram seu mais recente som, “Don’t Stop”.

RICCI

Um nome que dispensa comentários, Gabriel Ricci é uma das nossas grandes apostas para este ano.
Dificilmente você não ouviu diversas músicas desse jovem hitmaker em 2017, que assinou música inclusive pelo selo de Steve Aoki. Entre seus maiores sucessos estão “Lost Generation” e “Later”, além de “Wild Kidz”, com Vintage Culture. Mais recentemente, participou de uma mistura inusitada com o duo Seakret e o rapper Rael, em “Tá Pra Nascer Quem Não Gosta”.

WOAK

De identidade ainda não revelada, WOAK tem apenas 16 anos e já está dando muito o que falar. Só no Spotify o jovem garoto acumula quase um milhão de ouvintes mensais. Entre seus lançamentos, podemos destacar “Coastline”, com Liu, e “Deixe-Me Ir”, com Kiko Franco.

Zebu

De uma maneira bem interessante, Zebu mistura em suas produções  o future bass com sertanejo, samba, funk e outros gêneros nacionais. Sem dúvidas, um dos artistas mais ousados que conhecemos no último ano.

rrotik

Com lançamento por importantes gravadoras como Armada Music, rrotik não poderia ficar de fora da nossa lista. O jovem mineiro tem ganhado a nossa atenção com seus lançamentos de low bass, como “MYNE” e “Talking Bass”.

Joe Kinni

Autor do grande hit “Carioca”, com Jakko e Bianca Chami, Joe Kinni continua mostrando seu lado versátil na produção musical. Em 2017, o artista lançou diversas faixas com pés dentro e fora da música eletrônica. Seu lançamentos mais recentes são “Moça” e “Mensagem de Amor”. Pra quem curte essa nova onda do eletrônico com vocais nacionais, vale muito a pena seguir esse cara.

JØRD

Não foi a toa que o famoso “Jordinha” conquistou uma legião de fãs pelo Brasil. Apadrinhado por ninguém menos que o mestre Felippe Senne, o jovem de Belém do Pará tem sido uma das grandes referências para a nova geração de produtores. Sem muitos comentários, tirem a própria conclusão com aquele “bass” inconfundível do garoto:

Santti

Autor do hit “Sober”, com Cat Dealers, Santti é mais um nome em nossa lista que dispensa comentários. O garoto tem demonstrado ser um grande hitmaker e está entre as nossas descobertas favoritas de 2017. Seu lançamentos mais recentes são “Sunshine”, com Cat Dealers e LOthief, e “Céu Azul”, com Vintage Culture.

LOthief

Produtor de mão cheia, Leandro Souza é outro grande destaque do Low Bass que não poderia faltar nesta lista. Sob o nome de LOthief, o jovem produtor mineiro de 23 anos vem chamando a atenção com suas produções e conquistando diversos fãs Brasil afora. Seu lançamento mais recente é “Sunshine”, com Cat Dealers e Santti.

LIVIT

LIVIT set comemorativo

Coautores do hit “On Fire”, lançado pela Phouse Tracks — e que já conta com mais de um milhão e meio de reproduções no Spotify —, o LIVIT vem sendo destaque em diversas playlists no Spotify. O lançamento mais recente da dupla é “Give Me All You Got”, pela Sony Music.

The Fish House

Uma das melhores surpresas de 2017 foi o hit “Menina”, de Rafa Gontijo com seu primo Breno. Lançada pela Deepink, a música chegou a ser uma das mais tocadas em Minas Gerais. Outro grande lançamento de destaque do projeto de Gotijo foi “Hey Hey Hey”, com Doozie. A faixa foi tocada em diversos festivais por expoentes como Alok.

BÔNUS: SCORSI

Por último, mas não menos importante: SCORSI. Somos suspeitos a falar deste cara (ele é um dos nossos A&R na Phouse Tracks). Porém, fica a dica: FIQUEM BEM DE OLHO!

Luckas Wagg é CEO da Phouse.

Deixe um comentário

Continue Lendo

Notícia

10 festas de Réveillon pra entrar em 2018 com muita música eletrônica

Luckas Wagg

Publicado há

De Fatboy Slim no RN a ILLUSIONIZE em Búzios, confira alguns dos eventos de Ano-Novo mais badalados da cena eletrônica no Brasil!
* Atualizado em 19/12/2017, às 17:28

O fim de 2017 está chegando, e na virada para 2018 todos querem curtir à vontade, celebrar mais um ciclo vivido e esperar o novo ano de braços abertos. Pensando nisso, separamos uma lista com algumas das festas de Ano-Novo mais interessantes da cena eletrônica.

Tem rolês pros gostos mais variados — desde ILLUSIONIZE em Búzios até o Fatboy Slim no Nordeste, passando ainda por grandes festivais e seus lineups recheados de opções. Confira:

RÉVEILLON SUNDANCE FESTIVAL

Arraial D’ajuda/BA

Este é o sexto ano do Réveillon Sundance, e mais uma vez o festival está pronto pra receber a galera com muita música de qualidade. Nos dias 29, 30 e 31 de dezembro o público irá curtir atrações como Cat Dealers, KVSH, Shapeless, Robin Schulz, Zerb, entre outros. As celebrações acontecem à beira da praia, no vilarejo de Arraia D’ajuda, sul da Bahia. Saiba mais.

UNIVERSO PARALELLO FESTIVAL

UP Club Universo Paralello

Pratigi/BA

O já conhecido Universo Paralello acontece neste ano na Praia de Pratigi, também na Bahia, entre o dia 27 de dezembro ao dia 3 de janeiro. O lineup, como sempre, é gigantesco, mas para os que curtem um bom deep house ou brazilian bass, haverá o palco UP Club, onde se apresentam nomes como Alok, Boris Brejcha, Bhaskar, FELGUK, Gabe e SELVA. Saiba mais.

RÉVEILLON DE CARNEIROS

Carneiros/PE

O Réveillon de Carneiros, em Pernambuco, também é uma ótima opção para quem quer virar o ano na praia e ouvindo música boa. Os trabalhos abrem no dia 27 com a noite “We Love Vintage Culture”, e terminam no dia da virada. Nesses dias, o público vai curtir atrações como Zerb, Lucas Borchardt, Bruno Be, entre outros.

RÉVEILLON PUMP

PUMP Santarém

Manaus/AM

Em Manaus, você pode curtir o Réveillon da PUMP em sua “White Edition”. A festa acontece no píer do Tropical Hotel, onde haverá dois palcos — o PUMP e o Celebration, que trazem DJs como NEELIX, SELVA, a gaúcha Karine Larré e Leo Janeiro.

AWÊ — RÉVEILLON CARAÍVA

Caraíva/BA

Se você quer curtir um Réveillon mais tranquilo, realmente separado do ambiente urbano, então sua pedida é o AWÊ, que mais uma vez acontecerá às margens do Rio Caraíva, no litoral baiano. Comandando a pista estarão os DJs Rodrigo Bento, Dre Guazzelli e D-Nox.

RÉVEILLON DO GOSTOSO

São Miguel do Gostoso/RN

Em São Miguel do Gostoso, no Rio Grande do Norte, rolam cinco festas open bar, abrigando diversos estilos musicais para celebrar a virada. A cada dia, uma atração principal comanda a noite — e a principal dica aqui é o dia 29 de dezembro, cujo headliner será ninguém menos do que o Fatboy Slim.

RÉVEILLON MIL SORRISOS

Barra Grande/BA

RÉVEILLON PRIVILÈGE BÚZIOS

Búzios/RJ

Na Praia do Geribá, em Búzios, vai rolar o Réveillon da Privilège, que há 15 anos é a noite mais tradicional e grandiosa do balneário. A festa acontece no Fishbone, que vai apresentar para o público uma estrutura nova e completamente transformada — tudo ao som de ILLUSIONIZE, Gabe, Marquinhus SP e Sandro Valente.

P12 SPETTACOLO RÉVEILLON

Por fim, temos o Spettacolo Réveillon, que celebra a virada no dia 31 no P12, em Jurerê Internacional. Para encerrar mais um ano em grande estilo, a casa vai fazer uma festa “all inclusive”, com gastronomia internacional, bebidas premium, e um show de fogos. O lineup ainda não foi revelado — a única atração confirmada até o momento é a dupla Cat Dealers.

LEIA TAMBÉM:

Com Robin Schulz, Réveillon Sundance Festival anuncia nova edição na Bahia

Universo Paralello: Veja em 1ª mão algumas das atrações do palco UP Club

Assista a um documentário sobre o Universo Paralello Festival

Um festival de trance na Chapada Diamantina; saiba mais sobre o Ressonar

Conheça a PUMP Black Party, uma das maiores festas de Halloween do Brasil

Deixe um comentário

Continue Lendo

Entrevista

30 músicas para 30 anos: DJ Mau Mau celebra 3 décadas de carreira com playlist exclusiva

Flávio Lerner

Publicado há

DJ Mau Mau 30 anos
Um dos principais nomes da cena nacional comemora 30 anos como DJ neste sábado, em São Paulo; confira o depoimento e a playlist que o Mau Mau montou para a Phouse!

Modelo, inspiração, exemplo, referência, ícone, respeito… São inúmeras as palavras que clubbers e profissionais da cena house/techno poderiam usar para resumir o DJ Mau Mau. Afinal, não é qualquer DJ brasileiro que festeja 30 anos de profissão com uma trajetória consistente, sendo pioneiro em tempos de terra seca e tendo a capacidade de se manter atual e relevante depois de tantas transformações nesse cenário.

Exemplo disso é o último ato de seu ano comemorativo: após aproveitar a marca pra celebrar em diversos momentos especiais durante todo este 2017, a festa derradeira desses seus 30 anos de DJ não é nada parecido com um baile da saudade tocando flashback para tiozões saudosistas, mas a nova edição da Capslock de Paulo Tessuto — um dos maiores exemplos [e reflexos] do que é a cena clubber contemporânea.

Antes de discotecar pra jovens mudérnos e hedonistas no sábado — fechando com chave de ouro um ano que teve direito até a B2B com o DJ Marky no palco eletrônico do Rock in Rio —, o Mau Mau gentilmente topou dar um depoimento à coluna com uma breve retrospectiva de sua trajetória; de quebra, escolheu pra gente 30 músicas que representam essas três décadas de carreira, incluindo nomes como Kraftwerk, Front 242, Moby, John Tejada, Paul van Dyk, LFO, Carl Craig e Galaxy 2 Galaxy, além de uma faixa autoral.

+ Lúdico, subversivo e impactante: conheça o universo de Carlos Capslock

Basta, então, clicar na playlist abaixo [tracklist ao final do artigo] e ler as palavras a seguir pra curtir essa pequena viagem no tempo com um dos DJs-símbolo de São Paulo. Com vocês, DJ Mau Mau:

Sempre fui apaixonado por música. Na adolescência, minha experiência inicial foi através de vários grupos profissionais de dança que participei. No final dos anos 80, frequentei o Largo São Bento, em São Paulo, onde gangues e grupos de hip hop munidos de equipamentos de som portáteis se encontravam para disputas de breakdance. Foi nesse momento que o universo do DJ começou a me conquistar.

Um pouco antes de completar 18 anos, tive minha primeira oportunidade como DJ: no porão do casarão mais underground da cidade, o Madame Satã, reduto de punks, góticos e modernos, comandado pelos mestres Marquinhos MS e DJ Magal, duas grandes fontes de inspiração. Nos primeiros cinco anos, os toca-discos eram apenas um passatempo, e eu exercia outras atividades como sustento — fui bancário, trabalhei no escritório do DMC Brasil e fui coreógrafo do grupo Dance Division. Com o tempo, me apaixonei pela profissão, outras oportunidades apareceram e ganhei residências importantes no final dos anos 80: Club Malícia, US Beef Rock, Rouge Neon e Walkabout.

+ Exclusivo: DJ Marky fala sobre novos lançamentos e o que falta à cena brasileira

Nos anos 90, adotei o nome profissional de DJ Mau Mau, quando fui convidado para comandar a cabine de som do Sra. Kravitz, ao lado do DJ Renato Lopes. Naquele momento, meu trabalho ganhou destaque e pude desenvolver meu estilo, voltado para o underground. Em meados dos anos 90, nasceu em São Paulo o primeiro after hours do Brasil: o Hell’s Club. Convidado pelo promoter e amigo Pil Marques, comandei por quatro anos essa grande revolução que moldou um novo comportamento na noite.

Em seguida, outras residências importantes: o after do Club Base, com o promoter Paulo Silveira, e a noite Technova no Lov.e Club, a convite de Oscar Bueno. Depois dos anos 2000, fui residente da noite Mothership no D-EDGE, onde, depois de alguns anos, fui transferido para a residência do Superafter, em que sigo até hoje. Atualmente, também comando a noite Houseira, no Club Jerome, com meu amigo Roque Castro.

+ O que significa ser um DJ? Alguns dos principais nomes do país respondem

A carreira de DJ também me direcionou para a produção musical, em que desenvolvi muitos projetos e parcerias. Fazendo remixes e participações em shows, trabalhei com artistas nacionais importantes, como Roberto Carlos, Rita Lee, Marina Lima, Edgar Scandurra, Kiko Zambianchi, Edson Cordeiro, Laura Finocchiaro, DeFalla, Rodrigo Pitta, Franco Junior, Daniela Mercury, Jota Quest, Dudu Marote, Adriana Calcanhoto e o maestro Fabio Gomes Oliveira. Minhas músicas foram tocadas por DJs internacionais que admiro e que sempre foram fonte de inspiração: Laurent Garnier, Stacey Pullen, Mr C. e Carl Cox, entre outros.

A profissão também me proporcionou conhecer outros países e culturas. A convite do mestre Garnier, fiz minha primeira apresentação na França em 1995, no festival Trans Musicales, em Rennes. Depois ganhei residência por dois anos na festa francesa Open House, onde passei pelas principais capitais do país. Os convites internacionais não pararam: Inglaterra, Portugal, Alemanha, Turquia, Japão, Itália, Espanha, Bélgica, Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Chile e Bolívia.

Em 2017, já recebi homenagem pelos anos de carreira do Nation Disco Club, primeiro reduto clubber em São Paulo, do final dos anos 80, comandado pelo DJ Mauro Borges, e também do Music Non Stop de Claudia Assef, entre outras comemorações. No início do ano, recebi o convite para tocar na Carlos Capslock através do L_cio e do Paulo Tessuto, e desde então estou muito ansioso.

+ Famoso edit de clássico de Chico Buarque ganha lançamento oficial

A Capslock é o tipo de festa que eu gostaria de frequentar, mas a minha agenda de trabalho não permite. Ter a oportunidade de comemorar essa data tão especial numa das festas mais legais da atualidade é um presente ao lado de amigos queridos! Tantos momentos de plena felicidade dedicados à música passaram voando, mas a paixão em pesquisar novos estilos musicais, desenvolver sons em estúdio e depois testar o resultado nas pistas pelo mundo continua a mesma do início de carreira.

São 30 anos de dedicação e amor. Assim, preparei uma retrospectiva com 30 músicas que marcaram minha carreira. São composições em estilos diferentes que em algum momento fizeram parte do meu repertório, e mesmo as mais antigas ainda soam bem atuais. ​Divirtam-se!

Tracklist:

[Anos 80]

1- Section 25 – Looking from a Hilltop (Megamix)

2- Colourbox – Hipnition

3- Front 242 – Don’t Crash

4- Kraftwerk – Numbers

5- Test Dept – The Faces of Freedom 1,2,3

6- Fast Eddie – Acid Thunder

7- Mike Dunn – Life Goes On

8- Adonis – No Way Back

9- Bam Bam – Give It To Me (Club Mix)

[Anos 90]

10- LNR – Work It To The Bone (The Original Classic)

11- West Bam – Alarm Clock

12- Dr. Baker – Kaos 1989

13- LFO – LFO

14- Xpansions – Move Your Body

15- DSR – Babaloo

16- Capricorn – 20 Hz

17- Speedy J – Something For Your Mind

18- Moby – Go

19- Humate – Love Stimulation (Paul van Dyk’s Love Club Mix)

20- Galaxy 2 Galaxy – Hi-Tech Jazz

21- Secret Cinema 2 ‎- Straight Forward

22- Kosmic Messenger – Flash

23- Jonny L – This Time (Carl Craig Mix 2)

[Anos 2000]

24- M4J – Macumba

25- DJ Mau Mau – Space Funk

26- John Tejada – Sweat (On The Walls)

27- The Martian – Particle Shower

28- Gabriel Ananda – Doppelwhipper

29- Luna City Express – Fresh

30- Justin Maxwell & John Tejada – I’ve Got Acid

A Capslock com o DJ Mau Mau rola neste sábado, dia 09, em São Paulo, em local ainda não revelado; o line ainda traz Tessuto, L_cio, Ella De Vuono, Max Underson, Vitor Lagoeiro e o alemão Sebastian Voigt.

Flávio Lerner é editor da Phouse; leia mais artigos de sua coluna.

CONFIRA TAMBÉM:

Um mergulho na rica discoteca de Chaves e Chapolin

Famoso edit de clássico de Chico Buarque ganha lançamento oficial

EXCLUSIVO: Claudia Assef confirma nova edição de “Todo DJ Já Sambou”

“Sem solidez, sem profundidade, não há futuro”; uma entrevista com o lendário DJ Meme

Relatos de um Fim de Século; a história do último club porto-alegrense a celebrar a cultura DJ

Deixe um comentário

Continue Lendo

Trending

-->

Copyright © 2018 Phouse