O que já era bom ficou melhor: o Dekmantel SP anunciou um novo palco

Intimista, lado B, eclético, transmitido por streaming ao vivo e feito para “otakus musicais”: saiba tudo sobre a novidade de última hora do Dekmantel em São Paulo.

Ontem você leu aqui na Phouse uma entrevista breve com os caras da Gop Tun, coletivo paulistano responsável por trazer o conceituado festival holandês Dekmantel pro Brasil. Uma das perguntas que fiz a eles dizia respeito a possíveis parcerias com artistas que casariam com a estética do núcleo: Tahira, Fatnotronic, Arcade Fighters, Carrot Green e Selvagem. Os dois últimos já estavam confirmados como atração do festival, e, coincidentemente, pouco depois que a matéria foi publicada, os dois primeiros surgiram como protagonistas em um novo anúncio que nos pegou no contrapé, melhorando o que já era bom: haverá um novo espaço, com todo um novo lineup.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
...

A iniciativa é resultado da parceria entre as rádios web Red Light e Na Manteiga, promovendo um novo palco alternativo, mais intimista, tal como a Red Light tradicionalmente mantém na matriz, em Amsterdam. A Na Manteiga, por sua vez, está para a Gop Tun como a Red Light está para o Dekmantel — Caio Taborda, inclusive, é uma espécie de “agente duplo”, já que ajudou a fundar a Gop e a rádio. Como a iniciativa rolava por lá, pensou-se em fazer essa ponte também aqui, e ambas as webradios se emparceiraram pra empreitada.

Lineup do novo palco, sem os horários ainda definidos: mas com a certeza de dez horas de música por dia

Pra entender melhor a parada, conversei com Luiz Gabriel Vieira, outro dos fundadores da rádio paulista, que gentilmente me explicou os meandros da iniciativa. A proposta leva curadoria dos três núcleos — Dekmantel, Na Manteiga e Red Light Radio — e mescla artistas gringos e nacionais, em sets mais lado B. Alguns já estavam na programação do festival [Young Marco, Aurora Halal, Solar e Shanti Celeste], sendo selecionados nomes que representam o DNA da rádio brasileira: ecleticismo [da world music ao jazz brazuca, passando por rap, house e techno], ou, como disse o Luiz Gabriel, “música de quem gosta muito de música” — “otakus musicais”. Representando o boogie brasileiro, além de Fatnotronic e Tahira, teremos também o DJ Paulão, da Patuá Discos, e Benjamin Ferreira. “O som brazuca e a disco brasileira sempre foram muito celebrados lá fora. Ficamos felizes em poder contribuir”, complementou.

O palco será pequeno, perto da praça de alimentação, com uma estação de rádio móvel e sem a menor preocupação em formar pista, embora com um soundsystem generoso. E o melhor: vai rolar streaming ao vivo pelo Facebook — que você poderá acompanhar tanto pela página da Na Manteiga quanto pela da Red Light. Ao lado do Boiler Room especial no palco Gop Tun, este será o outro live streaming transmitido.

Os horários só serão divulgados na semana que vem, mas o Luiz garante que a programação será simultânea ao festival inteiro, das 13h às 23h em ambos os dias. Imperdível pra quem, como ele mesmo definiu, é aficionado por música boa.

LEIA TAMBÉM:

Um papo com os caras da Gop Tun, que estão trazendo o Dekmantel para São Paulo

No Forte do Brum, o Boiler Room de Recife celebrou a música brasileira e fez história

“Que porra é essa de new beach?”; O Fatnotronic segue mostrando consistência em seu novo EP

Deixe um comentário

No Comments Yet

Comments are closed