Notícia

Suécia vai ter festival só para mulheres em 2018

Statement Festival

Um dos maiores festivais de música da Súecia, o Bråvalla teve sua edição de 2018 cancelada por conta de uma repetição de crimes de violência sexual que aconteceram no espaço do evento. Na edição deste ano, a polícia da cidade de Norrköping reportou quatro casos de estupro e 23 casos de abuso sexual — todos realizados por homens contra mulheres. Em 2016, esses números foram ainda maiores.

Assim, a humorista sueca Emma Knyckare (foto) lançou a ideia de fazer um festival livre de homens (ou ao menos de qualquer pessoa que se declare do gênero masculino): “O que vocês acham de fazermos um festival bem bacana em que apenas homens não serão aceitos, e que será tocado até que TODOS os homens aprendam a se comportar?”, twittou a comediante, em julho. E se podia parecer uma brincadeira na época, agora virou realidade. O Statement Festival, idealizado por Emma e um grupo de pessoas que aderiram ao movimento, logo ganhou campanha de crowdfunding pelo Kickstarter.

A meta era de arrecadar 500 mil coroas suecas — algo em torno de 63 mil dólares —, e foi com muita alegria que a humorista anunciou em seu Instagram, na semana passada, que a arrecadação foi atingida antes do tempo previsto. Ela diz que o festival está programado para acontecer em dois dias do verão de 2018, com equipe e lineup 100% femininos. Nenhuma atração ou informação adicional foi revelada até este momento.

A comunicação do Statement ainda chegou a afirmar que o festival não é livre de homens, mas apenas de homens cis; “homens trans e não binários são bem-vindos”.  Esse posicionamento tem recebido diversas críticas, que sugerem que permitir ou não a entrada de pessoas com base em seu gênero seria uma medida discriminatória e extremista, bem como uma solução paliativa para os casos de violência sexual contra mulheres. Ao jornal sueco The Local, Knyckare defendeu-se no que diz respeito a possíveis ilegalidades, afirmando que recebeu sinal verde de especialistas na área jurídica para realizar o evento. 

LEIA TAMBÉM:

Decisão que veta ingressos diferentes para homens e mulheres é suspensa

Monique Dardenne: abrindo portas pras mulheres na música, sem mimimi

O que o Dia Internacional da Mulher tem a ver com a dance music

Em show na Suécia, Tiësto divide palco com Alok e toca remix de “Hear Me Now”

Suécia: fábrica de novos talentos da música eletrônica

Deixe um comentário

No Comments Yet

Comments are closed