Com uma carreira consistente na última década, Alex Stein começa a virar referência fora do Brasil 

Nos últimos anos, o cenário do techno no Brasil se fortaleceu devido a diversos fatores, entre eles um maior interesse do público em produtores e selos internacionais que estavam desempenhando um bom trabalho já há algum tempo. Nesse circuito, sempre tivemos artistas brasileiros trabalhando em alto nível. Gui Boratto, Wehbba e Renato Cohen estão aí para comprovar isso. A grande visibilidade desses produtores certamente incentivou o trabalho de nomes de uma nova geração, que atualmente passam por um momento de intensa consolidação a nível internacional. Victor Ruiz, ANNA e outros talentos mais recentes refletem o brilho dessa leva de artistas.

Um destes talentos é o DJ e produtor Alex Stein. Inserido na cena eletrônica há mais de uma década, o paulistano carrega em seu som traços da cultura de pista conectada a dois países distintos: Alemanha e Brasil. Com uma infância marcada pela conexão entre essas partes, Alex despertou o interesse pela produção musical, se formou em engenharia de áudio e hoje continua em busca de um aprofundamento técnico no assunto. Após uma intensa ramificação de sua caminhada no cenário nacional, ele decidiu guiar uma mudança por completo em seu estilo sonoro em busca de novos horizontes.

Desde 2017, Stein tem desafiado seus limites com lançamentos e gigs frequentes fora do país. Suara, Senso Sounds e Hydrozoa são os selos que assinaram os mais recentes trabalhos do brasileiro. Os últimos, segundo ele mesmo, representam por completo o direcionamento sonoro que ele está buscando para o seu som — algo difícil de ser encontrado, e uma conquista que representa bastante para todo artista.

Com gigs mais frequentes em diversos países, entre eles Alemanha, Turquia, Líbano, Austrália, França, Suécia e Argentina, Alex tem inserido pouco a pouco seu nome na rota dos principais artistas de techno do mundo. Talvez ainda seja cedo para dizer aonde essa brincadeira pode chegar, mas seus avanços comprovam que potencial não falta para que a carreira de Stein renda relações frutíferas entre o Brasil e o mundo.

+ CLIQUE AQUI para ler mais notícias sobre techno

Receba novidades no e-mail

Receba o melhor da Phouse em seu email!

:::. ALEATÓRIAS / LEIA TAMBÉM

“Tell Me Baby” é o novo som do RodMac

Em collab com a DJ e modelo Lari Gadotti, e vocal de Maria Clara

Solomun voltará ao Brasil em novembro

DJ não se apresenta no país desde o final de 2018

Assista ao show de Eric Prydz no Creamfields London Steel Yard

Fã gravou as duas horas da última apresentação do HOLO, que rolou em Londres nesse final de semana

Conceituado engenheiro de áudio soma em 1º álbum de produtor de techno brasileiro

Em Berlim, VAntônio consegue o reforço de Hannes Bieger para finalizar “Humano”

Em loja de discos italiana, Eli Iwasa toca set alternativo em vinil; assista!

Brasileira recebeu convite para tocar na famosa Serendeepity, em Milão

KVSH fala sobre XXXperience BH e remix oficial pro rapper Xamã

Com lançamento recente, DJ “joga em casa” nesta edição mineira da XXXPERIENCE

Tomorrowland terá show orquestrado como parte de seu 15º aniversário

No “OUR STORY”, astros da EDM e a Metropole Orkest reinterpretarão clássicos da história do festival

Boiler Room terá festival de quatro dias

Em Londres, rolê será voltado a quatro vertentes musicais

BURN Residency Brasil abre inscrições para 2019

Nesta edição, o programa será apenas a nível nacional

Techno nacional: Paulo Foltz traz “ritual esotérico” em novo EP

“Esoteric Ritual” saiu nessa segunda-feira, via Prisma Techno