Alphabeat

Conheça a Alphabeat, novo selo nacional de música eletrônica

Label surgiu na metade de setembro e chega nesta sexta-feira a seu terceiro lançamento; ideia inicial é focar em vertentes populares de house, e no futuro abrigar outras vertentes.

Nascida através da parceria entre as empresas Live Talentos (gestora de carreiras musicais, que trabalha com artistas como Make U SweatChitãozinho e Xororó e Paula Fernandes) e Qwerty.id (que fornece consultoria e gestão de carreira, focada em música eletrônica), a Alphabeat Records é mais um novo selo para promover talentos na cena eletrônica nacional.

A Alphabeat veio ao mundo oficialmente no último dia 15, a partir do lançamento de “Someday”, do duo paulistano RAKKA — composto por Arthur Luchessi e Bruno Genz (ex-integrante da banda Cine) — com os vocais de Victor Olivatti. No dia 22, a segunda faixa assinada pelo selo foi “ALIVE”, do famoso DJ holandês Dannic com a jovem cantora norte-americana Mahkenna. E hoje, 29, emplacam o seu terceiro lançamento: “The Sound”, do jovem produtor Woak — garoto de 16 anos, que vem recebendo suporte de nomes como Vintage Culture e Bhaskar, e que também terá em breve faixa pela Spinnin’ Records, com Liu.

Sócio-fundador da Alphabeat e Label Manager/A&R na Qwerty.id, Bruno Magalhães explica que a ideia é ter sempre um lançamento fixo nas sextas-feiras. “Teremos lançamentos todas as sextas, onde focaremos os lançamentos mais acessíveis, que devem performar melhor em streaming, e nas segundas ou quartas vamos começar a lançar músicas mais pista, direcionadas a DJs e à galera da cena”, diz, em contato com a Phouse. “Nossa estratégia é gerar conteúdo frequente de qualidade, e usar trocas de network e marketing digital para o crescimento da plataforma, aos moldes da Spinnin’ e da Armada, por exemplo.”

Os três lançamentos feitos pela Alphabeat Records até agora

Magalhães também afirma que objetivo da label é “expandir as fronteiras da música eletrônica”, a partir do lançamento de “música sem rótulos específicos”. “Os critérios para seleção são a qualidade técnica e criativa e a capacidade de penetração dos fonogramas no mercado”, complementa. Seu sócio na Qwerty.id e na Alphabeat, Ronaldo Cunha destaca que — como podemos perceber pelos três lançamentos até então — o foco inicial tem sido em vertentes mais populares de house music, mas ressalta estarem esperando o momento certo para lançar subselos direcionados ao underground e a outros subgêneros.

A Alphabeat já tem contrato com os brasileiros Dudu Linhares e Pam Pam (integrantes do trio Make U Sweat), Kiko Franco, Champz e Anndrey Mansur, além de outros nomes gringos, ainda não revelados. “Acredito que o nosso principal diferencial está na agilidade, nos processos enxutos, no bom relacionamento com o mercado e, principalmente, na nossa vontade de ajudar as demais empresas em expandir e consolidar o gênero [eletrônico]”, conclui Ronaldo. “Estamos também iniciando a operação de mais alguns negócios dentro da nossa estrutura, que além da gravadora, incluem editora, bookings, management e eventos.” Os sócios destacam que, para os artistas interessados, o envio de demos está disponível através do e-mail: demos@alphabeat.com.br

Agora, é aguardar pra ver até onde a Alphabeat pode chegar.

LEIA TAMBÉM:

Entenda, na prática, o que muda com a fusão entre Plusnetwork e DJcom

Warner compra Spinnin’ Records em acordo multimilionário

Spinnin’ Records lança plataforma para projetar novos artistas

HUB Records se torna o selo oficial de música eletrônica da Sony no Brasil

Motivado para exportar os bons nomes do Brasil, ILLUSIONIZE lança selo

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PHOUSE MUSIC
SPOTLIGHT