Assédio sexual na música

Pesquisa britânica aponta que 48% dos músicos já sofreram assédio sexual no trabalho

De acordo com a Musicians’ Union, a situação tem levado a muitos profissionais abandonarem a carreira

Uma pesquisa da organização Musicians’ Union, que representa mais de 30 mil profissionais da indústria musical britânica, revelou que 48% dos seus artistas já enfrentaram casos de assédio sexual no trabalho. O estudo contou com a participação de 725 membros da entidade.

Os dados indicam ainda que, destes, 85% nunca relataram a situação. 61% dos entrevistados acreditam que correm mais riscos por trabalharem como freelancers, o que levou a MU a apoiar uma petição por uma legislação mais forte para proteger freelancers de assédio sexual.

“Estamos cientes de muitos casos de músicos talentosos, principalmente artistas jovens ou emergentes, que abandonam a indústria por causa de sexismo, assédio ou abuso sexual”, afirmou Naomi Pohl, vice-secretária geral da organização para a imprensa britânica.

“Muitos músicos que levaram a público sua história agora estão sendo processados por difamação”, seguiu Naomi. Ela também explicou que muitos dos que não denunciam têm medo de represálias que prejudiquem suas carreiras ou vidas pessoais, pois esta é a “cultura da indústria”.

A notícia sobre a pesquisa no portal da Musicians’ Union não especificou qual a porcentagem de homens e mulheres entre os entrevistados.

LEIA TAMBÉM:

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS