E hoje vamos saber um pouco mais sobre o duo sergipano THE NICE NOISE,  Primeiramente gostaríamos  de agradece-los a honra dessa entrevista.
Fabio Nunes – Vamos lá, como surgiu a ideia do projeto?

The Nice Noise –  Tudo começou em abril de 2012 quando Adriel Pedral recebeu o diploma do curso Mister Deejay e foi convidado para tocar na boate Clone Mix. Nesse período, Vitor Pedral foi aprendendo junto com o irmão e também com o suporte do DJ Décio Guerato e da Clone Mix. No dia 07 de julho, íamos tocar separados, mas estávamos com vergonha e pra diminuir a tensão tocamos juntos. FOI INCRÍVEL! Nossa timidez sumiu e passamos a dominar não só as CDJs, mas também o público. Damos boas-vindas ao projeto The Nice Noise.

Fabio Nunes –  Quanto tempo tem o projeto?

The Nice Noise – 11 meses. No dia 07 de julho vamos fazer 1 ano de The Nice Noise e de DJ tambem.

Fabio Nunes –   Se algum de vocês recebesse uma proposta de tocar só, vocês aceitariam?

The Nice Noise –  Já recebemos inúmeras propostas assim(risos). Até de tocar na mesma festa, porém separados. E não aceitamos nenhuma. O nosso trabalho é junto, tudo que fazemos são frutos da nossa criatividade e do nosso feeling. A essência está na dupla, um completa o outro e tudo fica perfeito.

Fabio Nunes – O que despertou em vocês o interesse pela e-music e a vontade de ser DJ?

The Nice Noise – Sempre curtimos a música eletrônica, mas o fator que alavancou o interesse foi a dança Free Step. Somos apaixonamos e a vontade de querer tocar e querer criar impulsionou a vontade de ser DJ.

Fabio Nunes – -Qual a vertente de vocês e qual o motivo da escolha?

The Nice Noise – Tocamos o Tribal House com forte influência do Dutch. Gostamos de sons bem fortes e agitados, que façam as pessoas se moverem mesmo sem querer.
Pra dançar, basta só escutar e tudo flui naturalmente.
O nosso ritmo é pra pular e curtir sem limites, é pra soltar toda a energia , sem vergonha de ser feliz. É pra extravazar totalmente e pode dançar de qualquer jeito.

Fabio Nunes – Como vocês elaboram o seus sets?

The Nice Noise – Pesquisamos bastante e cada música é selecionada com um objetivo, nada é aleatório. Vamos seguindo o feeling da pista.
Tem hora pra refletir, hora pra gritar, hora pra sorrir, hora pro que é novo, hora pro que é antigo, mas em todos os momentos são pra dançar e pular.

Fabio Nunes –  Como foi tocar pela primeira vez fora de Sergipe?

The Nice Noise – Foi espetacular! Não esperávamos ser assim tão bem recebidos e com tanto carinho pelo público. A cidade toda estava coberta com nossas fotos e cartazes. Todo mundo sabia que éramos a The Nice Noise. E quando assumimos o comando da festa foi arrepiante, não sabemos nem descrever. Todos dançando, gritando e curtindo bastante. Só emoções!

Fabio Nunes –  Quais as músicas que não podem faltar na case?

The Nice Noise – Atualmente, diríamos que: Bauer – Harlem Shake; Will.i.am feat. Britney Spears – Scream & Shout; Calvin Harris feat Florence Welch – Sweet Nothing; D-Rashid & Otto – Million Voices e entre

Fabio Nunes –Quais suas referências na música eletrônica e na sua opinião o que precisa mudar na cena e-music em Aracaju?

 

The Nice Noise – Gostamos muito do David Guetta, Calvin Harris, Skrillex, Zeds Dead, Deniz Koyu.
Aracaju tem evoluído bastante nessa cena. Vamos até receber o Playground. Mas, para mudar mesmo, o primeiro caminho envolve o público e a cultura. O segundo é a valorização dos artistas da terra e do que é bom. Um exemplo de festa que foi um estouro e com a maior parte dos DJs daqui, podemos citar a Craazy Party. Isso é possível, é só saber fazer. Em suma, nesses últimos tempos estamos contentes com o andar da carruagem da E-music Sergipana.

Fabio Nunes – Como foi a experiência de ter tocado na primeira edição da Craazy Party?

The Nice Noise – A Craazy Party superou nossas expectativas. A casa lotou e o público foi lindo e com muita vontade de ser feliz. Foi emocionante, nos arrepiamos do começo ao fim. Cada música que a gente colocava as pessoas acabavam gostando mais ainda. PERFEIÇÃO!
A festa foi muito organizada e fluiu de forma esplêndida. A ordem dos acontecimentos do evento, a estrutura… tudo isso colaborou pra festa ser incrível. Além disso, todo mundo pode ver o quanto Sergipe tem de bom no quesito DJ.

Receba novidades no e-mail

Receba o melhor da Phouse em seu email!

:::. ALEATÓRIAS / LEIA TAMBÉM

Première: Aryela – Wrong Way Around

Faixa marca nova fase da DJ e produtora de São Paulo

JØRD inicia nova fase da carreira com “So Wrong”

Som é considerado o lançamento mais importante de JØRD até hoje

Underworld anuncia álbum baseado em projeto ambicioso

“Drift Songs” vai reunir a música apresentada no Drift, projeto multimídia de 52 semanas

Empreendedor, Steve Aoki lança HQ e app para exercícios

Saiba mais sobre “Neon Future” e o Aoki Bootcamp

Confira o novo ranking de festivais da DJ Mag

Segundo a revista, o Top 50 Festivals foi baseado nos votos dos DJs eleitos nos polls de 2018

Segundo portais, Pioneer deve sair do mercado de hardware para DJs

A retirada representaria uma perda enorme para DJs do mundo todo

Techno pesado: ouça “Old Norse”, novo EP do produtor brasileiro Spuri

EP saiu nesta segunda-feira (29), pela Prisma Techno

Felix Jaehn lança collab com o Breaking Beattz: “Meus produtores de deep house favoritos no momento”

Duo mineiro revela que foi procurado pelo DJ alemão no Instagram

Kraftwerk fará primeiro show em Ibiza de sua história

A apresentação será parte da celebração dos 20 anos da Cocoon, de Sven Väth

Alok terá sua própria gravadora

Primeiro lançamento será releitura de clássico do Pink Floyd