Boicote ao Berghain

Berghain sofre boicote por mudar a política para a entrada do público

O famoso clube de Berlim adotou sistema de pulseiras e cobrança pelo reingresso após a saída

Um dos pontos mais tradicionais da cena techno de Berlim, o Berghain passou a ser alvo de um boicote após alterações na famosa — e controversa — política de entrada e saída do local. Um evento no Facebook foi criado para convidar aqueles que não estão satisfeitos a deixar de visitar o clube até 31 de outubro e exigir que as mudanças sejam repensadas.

Até então, o Berghain utilizava carimbos na entrada para identificar o público, que ficava livre para entrar e sair do recinto, mas a partir deste mês isso mudou. Agora são entregues pulseiras aos que conseguem entrar, e quem quiser sair deve pagar mais cinco euros para retornar — além dos 18 euros iniciais.

No evento do boicote no Facebook, os organizadores explicam: “Vamos tomar essa ação conjunta e boicotar o Berghain por um mês e meio, até 31 de outubro. Se nada acontecer, vamos prolongar o boicote por três meses. Esta é a chance para eles verem o que o Berghain é sem nós, e para nós vermos se conseguimos fazê-los nos ouvir e estabelecer um diálogo”.

Até o fechamento desta publicação, o evento contava com cerca de 1.800 pessoas, entre confirmados e interessados; o clube ainda não se manifestou sobre o tema.

LEIA TAMBÉM:

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS