Novo álbum de Cosmic Tone mostra que o full on voltou com tudo

"Resources" foi lançado recentemente pela Iono Music
* Edição e revisão: Flávio Lerner

Sempre de olho nos últimos lançamentos do psytrance, a coluna LIFT OFF, escrita por Nazen Carneiro, busca não somente os lançamentos mais bombados, mas também os mais interessantes, por seu conteúdo e sua conexão com a cena eletrônica atual.

No contexto do psytrance no Brasil, que não para de crescer e de se miscigenar, mas que não esquece suas raízes, vê-se o full on voltando com força numa cena pujante e com vários artistas de qualidade. Por isso o lançamento escolhido para a terceira edição da coluna LIFT OFF é Resources, de Cosmic Tone, lançado em fevereiro, pela Iono Music. Agora é só dar o play e boa leitura!

O projeto Cosmic Tone é realizado por Roi Nissan, israelense que tem longa história com o Brasil, tendo debutado no país mais de dez anos atrás. Sesto Sento, Ranji e Space Cat são apenas alguns dos artistas que trabalharam com Cosmic Tone em sua fantástica história dentro da cena psytrance — algo que remonta ao seu primeiro lançamento, Overwhelming, em 2002.

De lá para cá foram muitos singles, álbuns, gravadoras e parcerias, mas uma coisa parece não mudar no retrospecto desse artista: a fidelidade às raízes do estilo e a qualidade refinada de suas produções. É o que se vê no álbum Resources, com suas nove faixas e 68 minutos de pura viagem.

Trata-se de um trabalho com muita emoção envolvida, cheio de vontade de despertar a “energia da pista com um novo som, uma nova estrutura, uma vibe boa e a vontade de dançar”, segundo ele mesmo. “Para fazer valer essa atmosfera, pensei num álbum que trouxesse a pessoa pra pista pela melodia, mas a mantivesse na energia da dança. Para isso, o full on foi o conceito, mas com uma estrutura mais moderna”, complementa Roi.

LEIA TAMBÉM:

A primeira faixa do disco é um remix para Ranji & Mind Spin, em “Secrets of the Universe”. O único remix do álbum é, com certeza, uma homenagem a esse clássico, mas também um desafio que colou bem na abertura, com melodias e harmonias empolgantes junto a metais.

Logo em seguida, “Wake Us Up” — um som hipnótico e poderoso, que conecta-se com o core do psy — é uma clara mensagem sobre o que está por vir com as faixas “Unlimited” e “Internal Force”, e suas sonoridades espaciais e vibrantes. No meio do álbum, “Talking About Reality” representa o auge dessa proposta, te levando pelo som digitalizado da voz alienígena e a batida em ritmo acelerado. A explosão no break que faz a pista incendiar também é ouvida aqui, enquanto “Travel in Space” esclarece que tudo está conectado numa única jornada musical.

Linhas de baixo malucas que se interconectam com tantos elementos de uma forma harmônica parecem representar uma grande missão, mas que Cosmic Tone conduz com habilidade em “Intergallactic”. A essa altura, o capitão da nave prepara o público para pousar, e sente-se que a energia do full on dá lugar novamente a melodias sedutoras nas faixas “The Spotlight” e “It’s Not Like That” — esta uma pegada épica, que encerra a obra como queria o artista: com gostinho de quero mais!

Nazen Carneiro é colaborador da Phouse.

Quer ganhar 23 mil reais para montar o estúdio dos seus sonhos?

Se você é DJ e produtor musical não perca essa oportunidade.
Inscreva-se gratuitamente no Burn Residency 2019.
ADVERTISEMENT