Notícia

“Cultura techno” de Zurique é nomeada “herança cultural intangível”

Zurique, a maior e mais famosa cidade da Suíça, reconheceu, através da UNESCO, a “cultura techno” local como parte da sua “herança cultural intangível”. O site da UNESCO afirma que essa iniciativa de nomear patrimônios culturais surgiu para “apoiar os países membros em seus esforços de preservar a diversidade cultural do mundo em um ambiente internacional de constante mutação”. Na prática, porém, não haverá nenhuma diferença em termos legais para Zurique.

A decisão vem na esteira de um reconhecimento global da cultura de pista ao redor do planeta. Em algumas cidades europeias, governos contam com a presença de embaixadores da vida noturna, como o Night Czar em Londres e o Night Mayor, em Amsterdã; na Alemanha, o Berghain foi reconhecido como “alta cultura”, o que baixou drasticamente sua taxa de impostos; em Detroit, há anos já se comemora a “Semana do Techno”, e mais recentemente o prefeito se reuniu com artistas para fomentar o turismo em torno do gênero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ...

+ Prefeito de Detroit discute fomentar a vida noturna da “capital do techno”

A América do Sul, porém, ainda está bem longe desse tipo de realidade; no Brasil, não tem sido incomum o poder público — aliado muitas vezes à imprensa — não apenas não incentivar, como lutar contra a realização de festivais e festas de dance music.

* Flávio Lerner é editor-assistente na Phouse; leia mais de suas colunas.

LEIA TAMBÉM:

Uma pataquada histórica ameaça cancelar o show do Kraftwerk na Argentina

Prefeitura de São Paulo causa revolta ao interditar festa itinerante

A Jovem Pan e o “jornalismo” que atrasa a música eletrônica no Brasil

Quem ainda tem medo da música eletrônica?

Deixe um comentário

No Comments Yet

Comments are closed