“DJ” está entre as piores profissões para 2017

Site dos EUA especializado em carreiras escolhe DJ como a 6a pior profissão para 2017

O site norte-americano CareerCast.com divulgou a nova edição de seu ranking anual sobre as melhores e piores profissões nos EUA para 2017. Apesar de não ser aplicado à realidade brasileira, o levantamento traz considerações importantes sobre muitas profissões e mercados. Mais de 200 atividades foram avaliadas pelo portal, em diversas áreas de atuação, criando um espectro de comparação bastante grande e relevante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
...

Os critérios utilizados pela publicação são os seguintes: demandas físicas, ambiente de trabalho, renda, estresse e perspectivas de contratação. Os dados avaliados foram obtidos de diversas agências do governo americano relacionadas ao mercado de trabalho.  A partir desta avaliação, o CareerCast chegou à surpreendente conclusão de que DJ é na verdade uma das piores  profissões para o ano de 2017.

Em 6o lugar no ranking das atividades menos promissoras, a profissão de DJ foi avaliada pelo site como tendo uma renda anual média de U$S30.380 (algo em torno de R$100 mil por ano) e uma perspectiva de crescimento de -11%. Ou seja, é esperado que, ao menos no mercado norte-americano, as contratações de DJ devam diminuir em uma janela de 7 anos estudada pelo portal.

O ranking do CareerCast entra em desacordo com diversos outros estudos que mostram um constante crescimento recente do mercado da música eletrônica. É possível que o site de carreiras tenha identificado que este crescimento desacelerará, ou que seus benefícios serão colhidos mais por outras atividades que não as de DJ. Ainda é possível discutir se a lógica aplicada ao mercado americano seria válida para o mercado brasileiro, e é bastante possível que não seja.

Felizmente, os DJs não precisam estar tão preocupados como os repórteres de jornal, considerados a pior profissão de 2017.  Locutores de rádio, lenhadores e militares também são algumas outras profissões que não estão nada bem cotadas para este ano. Na outra ponta do ranking, estão mais do que sorridentes profissionais como cientistas de dados, matemáticos e professor universitários, algumas das profissões mais bem avaliadas pelo ranking. No primeiríssimo lugar, como a melhor profissão para 2017, estão os estatísticos.

Você concorda com a avaliação do CareerCast? O que você acha que pode estar por trás da má avaliação da profissão de DJ? Os DJs brasileiros devem ficar preocupados com a notícia? Entre no debate com a gente!

Deixe um comentário

No Comments Yet

Comments are closed