Connect with us
Banner Sundance Leaderborder
XXX Leaderborder
Federal Leaderborder

Notícia

Dopping virtual: como a compra de plays prejudica o mercado da música

Phouse Staff

Publicado em

27/10/2017 - 17:31
Compra de plays

O G1 publicou ontem uma reportagem investigativa sobre um dos efeitos colaterais da inovação tecnológica no mundo da música: a compra de números favoráveis às plataformas dos artistas, como plays, visualizações e seguidores.

Para muitos músicos, o número de plays em seu clipe no YouTube, por exemplo, significa mais shows a serem fechados, cachês mais caros e status — além, é claro, da remuneração que plataformas como YouTube e Spotify pagam aos artistas por esses números de plays. Por conta disso, muitos artistas têm comprado números falsos, dando uma pinta de um sucesso muito maior do que a realidade. Essa situação, aliás, é de alguma maneira semelhante ao que o ranking da DJ Mag tem oferecido: posições mais altas para os artistas que investirem mais grana em campanha (embora, até onde sabemos, não haja compra artificial nem fraude de votos nesse caso).

Os meios e a facilidade de se obter esses números falsos talvez sejam a grande surpresa aqui. Com uma simples busca no Google, é possível encontrar sites vendendo todo tipo de impulsionamento artificial — inclusive em playlists muito ouvidas do Spotify.

+ A quem importa o ranking da DJ Mag

Um dos exemplos mais impressionantes são as “fazendas de likes” na China, que, através de funcionários ou computadores, geram perfis falsos, comentários, compartilhamentos, entre outros serviços. Os preços variam de 16 reais por mil visualizações em seu vídeo a até dois milhões de visualizações por algo em torno de sete mil reais, por exemplo.

Independentemente do nível de sucesso do artista, os plays inflados artificialmente em plataformas como Spotify ou YouTube geram uma distorção nos pagamentos por streaming. Como dificilmente as fraudes são detectadas, um artista cheio de plays falsos acaba recebendo um retorno financeiro indevido, como se aquelas estatísticas compradas correspondessem a números reais.

+ Billboard pode passar a contar plays do YouTube para seus charts Top 200

“A fraude pode prejudicar os artistas que não a praticam”, diz o G1. “A renda de direitos autorais do streaming sai de uma parte do faturamento de empresas, como Google (dona do YouTube) e Spotify. O montante é distribuído aos artistas de acordo com o número de execuções das músicas. Ou seja: quem tem plays falsos pode ganhar mais e tirar parte dos honestos.”

+ Spotify se defende das acusações de fraudar playlists para poupar gastos

Segundo a reportagem, o YouTube costuma cortar os acessos artificiais e banir esses artistas, quando detectados. Muitas vezes, porém, o caso passa impune. Juridicamente, é quase impossível perseguir os que contratam o serviço e mais ainda os que o fornecem — as plataformas, no entanto, garantem que continuam trabalhando em soluções para o problema.

+ Novo app do Spotify ajuda artistas a colher dados sobre os seus ouvintes

Por outro lado, pode ser fácil para o público detectar algumas atividades suspeitas, como quando os números de seguidores de um perfil são proporcionalmente muito maiores do que o seu número de engajamento. Por exemplo, uma página que possui milhares de likes no Facebook, mas suas publicações contam com meia dúzia de curtidas, comentários e compartilhamentos — ou ainda um artista que possui poucos seguidores no Twitter e no Soundcloud, mas apresenta um videoclipe no Youtube com milhões de visualizações.

+ Jabá? Spotify testa destaques pagos para gravadoras em playlists

No final das contas, quem mais perde é a comunidade artística honesta, que acaba competindo por prestígio e remuneração com farsantes. Por outro lado, a possibilidade destes serem descobertos no longo prazo é grande, o que gera perda total de credibilidade frente ao público e ao mercado. Até lá, porém, convivemos com algumas incertezas com relação a todos esses números no mundo da música.

A reportagem do G1 ainda investiga quatro sites que cobram para aumentar esses dados artificialmente, expõe conversas de usuários em fóruns de música que contam sobre suas experiências no serviço, fala sobre jabá nas rádios e consulta advogados sobre o tema. Vale dar uma olhada na matéria completa.

RECEBA NOVIDADES NO E-MAIL

Deixe um comentário

Notícia

Escute “Collapse”, o aguardado novo EP de Aphex Twin

Disco sucede “Cheetah”, de 2016

Phouse Staff

Publicado há

Collapse
Foto: Reprodução

Pra quem curte uma doideira eletrônica, Aphex Twin é sempre uma das melhores pedidas. Depois de promovê-lo com uma carta codificada e vários teasers muito loucos espalhados em cantos diferentes do planeta, o produtor soltou seu aguardado EP Collapse, pela Warp Records.

Sucessor do EP Cheetah (2016), o disco traz cinco faixas do britânico em sua melhor forma, e cujos nomes já mostram um pouquinho do que é a loucurada da sua arte: além da previamente conhecida “T69 Collapse”, temos “1st 44”, “MT1 t29R2”, “abundance10edit[2 R8’s, FZ20m & a 909]” e “pthex”. Confira:

LEIA TAMBÉM:

Com vídeo, Aphex Twin lança primeira track do “Collapse EP”

Através de mensagem bizarra e enigmática, Warp anuncia EP de Aphex Twin

Aphex Twin lança loja online com quase todo seu catálogo de lançamentos

Aphex Twin solta faixa sinistra no domingo de natal

Conheça o “Aphex Twin da roça”, um dos melhores produtores da dance music experimental brasileira

Continue Lendo

Notícia

LOthief e Breno Miranda juntam-se em “Lalaiá”

Faixa foi lançada pela Deckdisc

Phouse Staff

Publicado há

Lalaiá
LOthief e Breno Miranda. Arte: Divulgação

Dois mineiros em ascensão no cenário nacional somaram forças em mais um som eletrônico com pegada brasileira. “Lalaiá” é o resultado da collab entre LOthief e Breno Miranda, lançado pela Deckdisc.

Escrita e cantada por Breno, a faixa mistura o formato de canção acústica com os drops do low bass. A música surgiu de um dos esboços do cantor e compositor, que LOthief acabou curtindo e acrescentando seu toque pessoal. Confira o lyric video: 

LEIA TAMBÉM:

LOthief e Mojjo lançam releitura para o hit “Like a G6”

Escute “Sunshine”, mais novo single do Cat Dealers com LOthief e Santti

Relembre os lançamentos de música eletrônica que arrepiaram a última sexta-feira 13

Vintage Culture lança single com KVSH e Breno Miranda

Continue Lendo

Notícia

Ouça “This Feeling”, nova canção dos Chainsmokers

Single traz a jovem cantora country Kelsea Ballerini

Phouse Staff

Publicado há

This Feeling
Foto: Reprodução

Em parceria com a jovem cantora country Kelsea Ballerini, os Chainsmokers lançaram nessa terça-feira mais um novo single: “This Feeling”.

A música começa bem pop e suave, crescendo em intensidade à medida que novos elementos vão entrando: primeiro, acordes de violão, que preparam o terreno pros beats e synths do drop. 

Além de Ballerini, a canção também conta com a voz do próprio Andrew Taggart. Confira:

+ CLIQUE AQUI para ler mais notícias sobre os Chainsmokers

Continue Lendo

Publicidade

Sundance (300×250)
Federal Music 300×250
XXXperience 300×250

Facebook

PLAYLIST

Trending

-->

Copyright © 2018 Phouse

Translate »
Sundance Pop Up