Dre Guazzelli produtor

EXCLUSIVO: Depois de 14 anos como DJ, Dre Guazzelli se lança como produtor musical

Com quase uma década e meia de estrada como DJ e agitador cultural, o paulistano agora se diz pronto para lançar as próprias músicas; escute os primeiros remixes!
* Atualizado em 02/02/2018, às 19:31

Dre Guazzelli traz grandes novidades para 2018. Depois de uma longa e sólida trajetória de 14 anos como DJ e agitador cultural, o paulistano está lançando agora sua carreira como produtor. Apesar de já ter uma faixa lançada em seu SoundCloud [“River Ray”, disponibilizada há cerca de um ano], ele considera que agora é o momento de começar de fato a soltar suas próprias músicas — algo que, na última década, se tornou uma das principais chaves para o sucesso de um artista no universo da dance music.

+ Dre Guazzelli: “Gosto de mostrar que é possível ser DJ e praticar Yoga, beber e comer brócolis”

+ Dre Guazzelli lança videoclipe para “River Ray”

“É neste ano que começa de verdade! Depois de 14 anos como DJ, recolhendo informações e sensações de diferentes pistas, festas, festivais, Ibiza, Burning Man, vou começar a produzir muitas músicas. Pegar e transformar um pouco do nosso Brasil musical é uma vontade antiga!”, revelou, em contato com a coluna. “Eu sempre sonhei em produzir, mas queria antes criar uma base sólida como DJ, uma segurança e experiência artística de dentro para fora, e assim chegar no momento certo, que é o de agora. Já fiz inúmeros cursos nos últimos anos, já tinha feito algumas músicas, mas precisei realizar algumas tarefas antes de poder chegar, sentar no estúdio e ter um ecossistema funcionando.”

Assim, em primeira mão, Dre compartilhou conosco os primeiros sons que marcam esse novo desafio. São dois remixes: um para “A Folha de Bananeira”, música de 2007 do cantor e compositor recifense Siba, e outro para o onipresente hit “Que Tiro Foi Esse”, da funkeira Jojo Maronttinni. Ambas as faixas foram pensadas em um primeiro momento para serem tocadas nas pistas, e por isso, ainda não têm previsão de um lançamento oficial.

Dre conta que o remix de “Que Tiro Foi Esse” foi pensado para o Carnaval: sua marca de festas “Dre Tarde” terá seu primeiro bloco no próximo dia 17, em São Paulo; ele vai do Pirajá até o Largo da Batata, com concentração a partir das 15h30, e saída entre às 17h e 18h. A faixa já está disponível para download gratuito, e existe a expectativa de que em breve ganhe um lançamento oficial.

Já sobre “A Folha de Bananeira”, o paulistano explica que o seu remix já foi testado e aprovado nas pistas baianas do Universo Paralello e do AWÊ, festa de Réveillon produzida em Caraíva pela sua própria empresa, a INNER. Este som, porém, não está disponibilizado para download — Dre explica que as negociações com o Siba estão bem adiantadas, e é bastante provável que a produção seja lançada oficialmente em breve.

https://soundcloud.com/dreguazzelli/folhadabananeira

Apesar de apresentarem propostas bem diferentes — uma é mais pop, voltada a um hit que está na boca do povo; a outra, numa proposta mais “cult”, traz uma roupagem mais orgânica e melódica, mantendo a essência dos ritmos tradicionais nordestinos —, é possível detectar nos dois remixes uma espinha dorsal de deep house fundida à música brasileira, o que deve ser a tônica dos seus próximos lançamentos. “Sim, vou seguir nessa pegada: melodia, instrumentos, elementos étnicos e orgânicos. Minhas influências são infinitas: MPB, Bob Marley, Bob Moses, Thievery Corporation, Kruder & Dorfmeister, Sasha Funke, Paul Kalkbrenner, progressive trance, techno, ambient, trip hop e tudo que faz o coração sorrir”, brinca, antes de introduzir o que deve vir por aí.

+ 10 festas para pular o Carnaval 2018 em ritmo eletrônico

“Estou com mais ou menos dez músicas prontas, e agora vou pensar em lançamentos e parcerias com selos — e inclusive com uma agência de DJs, coisa que nunca tive nesses 14 anos —, assim como em collabs com nomes que eu admiro e tenho como exemplo. Acredito que agora a produção vai aproximar meu som de pessoas que não me conhecem, além de aumentar o relacionamento com músicos que eu gosto. Mais do que nunca, vou me tornar um artista de dentro para fora!”, conclui, com empolgação.

Antes do seu bloco de Carnaval, o Dre Guazzelli toca neste sábado, no Carnauol; no domingo, no Chilli Beans Fashion Cruise; e no dia 11, no Laroc Club, onde abre para o jovem DJ francês Kungs. No dia 24, encerra as gigs do mês com o primeiro Sábado Dre Tarde do ano, com seus tradicionais long sets de sete horas.

* Flávio Lerner é editor da Phouse; leia mais artigos de sua coluna.

CONFIRA TAMBÉM:

O que significa ser um DJ? Alguns dos principais nomes do país respondem

No Forte do Brum, o Boiler Room de Recife celebrou a música brasileira e fez história

“Que porra é essa de new beach?”; O Fatnotronic segue mostrando consistência em seu novo EP

Vivenciando um Universo Paralello: Capítulo 1 – A experiência

“Um negócio como o Laroc não pode durar menos de quatro anos, ou terá sido tempo e dinheiro perdido”

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS