di

Entrevista com Di Falconi, de Curitiba para o mundo!

Desde muito nova  a curitibana “Di Falconi” vem atuando na cena eletrônica, aos 14 anos se formou pela AIMEC (Academia Internacional de Música Eletrônica)  e hoje segue carreira em Miami, confira a entrevista:
Marcello Lacroze – Em pesquisa feita pela nossa produção, encontramos um pequeno release do inicio da sua carreira no seu perfil no SoundCloud, onde mostra que desde muito nova já apresentava um gosto fora do comum pela música, fale-nos um pouco desse gosto inicial, se ouve influência familiar ou de amigos, como você explicaria esse “encontro” com o mundo da musica??
Di Falconi – Aos 6 anos de idade eu comecei a fazer ballet, e continuei com a dança até os 13 anos. Eu tive contato com a música eletrônica através do meu irmão mais velho. Escutavamos Dance Music na época e meu sonho era conhecer uma discoteca. Acredito que a música sempre fez parte de mim. Não me lembro de um marco inicial, lembro do momento em que decidi ser DJ, aos 14 anos e comuniquei meu pai que sempre me deu total apoio, lembro aos 17 anos quando ele me levava pra tocar e me esperava dentro do carro durmindo a noite toda. Se nao fosse ele nao seria nada. Tenho muito orgulho de meus pais e muita sorte em ser filha deles.
Marcello Lacroze – Descobrimos que você deixava e ainda deixa a musica fluir através de você e expressou isso de varias maneira, passou sete anos na dança, passou a tocar violão,  a cantar, teve até uma banda de Reggae, e chegou a ser compositora, mas pelo visto faltava algo ai, então correu atras descobriu a musica eletrônica e resolveu a partir daí unir todos os gostos em uma “batida perfeita”, como foi esse trajeto desde a dança até o descobrir do eletrônico e quais mudanças você se sentiu sofrendo em relação ao seu gosto musical? quais dessas praticas você ainda mantém e qual ou quais delas por tão cedo não vai deixar de lado, porque é como se fosse uma parte de você?
Di Falconi – Eu sinto música, eu vejo música em toda a extensão da arte, eu nunca me senti completa e por isso sempre busquei música de todas as formas para ver qual me saciava. Na verdade ainda danço hip hop, ainda componho letras de reggae e ainda toco meu violão, continuo com todas as práticas pois todas me saciam. Assim como a música  foi evoluindo dos bailes antigamente que eram instrumentados e cheio de dança  pros DJ’s e clubs com hip hop e até então chegar a tecnologia através da música feita apenas por um laptop, eu também fui  me descobrindo ao mesmo compasso da história.
Marcello Lacroze – Aos 14 anos você se formou na AIMEC, a partir daí encarou o seu destino e mostrou o todo o seu profissionalismo e conquistou o seu publico, ganhando assim respeito e a sua primeira residência profissional no ano de 2011 no Yankee Bar e depois veio a residencia do Soviet ambas da Cidade de Curitiba que é a sua cidade natal, como foi ver a sua saída para o “mercado”, para o mundo dos DJ’s? como foi o período que você passou na Academia, você já tocava em algum lugar para ir divulgando o seu trabalho, quais eventos você chegou a participar durante esse tempo? E como foi ter o seu trabalho reconhecido e ter a sua primeira residencia?
Di Falconi – Eu passei por muitos momentos complicados, eu comecei a tocar em clubs antes de aprender a mixar, o que me trouxe uma má fama entre os DJ’s locais. Mas mesmo não tendo técnica eu não colocava um set pronto. Eu queria mesmo aprender. O DJ Nilvan foi meu grande mestre, ele me que ensinou tudo que sei com muita paciência. Levou um tempo pra me inserir no mercado e acabar com aquela idéia. Mas quando o reconhecimento veio e me via nos line up’s ao lado de DJ’s que eu admirava foi muito bom e muito gratificante.
Marcello Lacroze – No seu perfil no SoundCloud vimos que em 2010 você concluía o seu curso de produção musical e que tinha uma sede de buscar se atualizar e o sonho de conquistar o seu espaço, e que poderiam surgir projetos que contavam com um tour internacional, esse tour aconteceu? quais as cidade que você conheceu e se apresentou e deixou a sua marca por onde passou? no seu perfil no Facebook  vimos que hoje sua cidade atual é a belíssima cidade de Miami, como foi para você essa mudança? e sua carreira aí em Miami como anda?
Di Falconi – Esse tour internacional ainda não está completo, por enquanto os únicos países que toquei foi Brasil e USA, ainda quero ter o prazer de tocar em outros lugares. A mudança foi complicada, a adaptação ao novo sempre leva um certo tempo. Por aqui estou dando mais vazão a minha carreira como gestora, mas tenho alguns projetos em vista.
Marcello Lacroze –  Aqui no Brasil você já passou por diversas casas  como: Awake (Curitiba -PR),  Danghai Club (Curitiba -PR), Yankee bar (Curitiba -PR), Gold Street bar (Campinas -SP), The Hall (União da Vtória -SC), Soviet (Curitiba -PR) e entre muitas outras. Você mesclou em seus Set’s e playlist’s versões de clássicos em House e em Tech House, algum outro estilo lhe atrai na hora de compor as suas performances? Quais nomes lhe inspiraram e lhe inspiram até hoje na hora de produzir o seu material de trabalho? Você tocou ao lado de grandes exemplos como D-Lyfe, Lume, Analy Rose, Ilan Krieger, Spyzer, quais outros grandes nomes do mundo da musica eletrônica você teve a honra e oportunidade de tocar ao lado? e como foi se apresentar juntos com grandes feras do mundo dos DJ’s?
Di Falconi – Me atrai muito o deep house, porque me toca e sensibiliza, no entanto fiz dois ou três warm ups em minha vida, não combina com minha personalidade já que sou mais agitada. Sem dúvida de exemplo de produtor pra mim é o Paul Kalkbrenner, toda vez que escuto Sky and Sand choro, já chorei de felicidade e alegria. Até cheguei a tatuar a letra em meu braço esquerdo. É um produtor que pra mim consegue traduzir meu sentimento, o que falta no mercado aos meus olhos. Me apresentar ao lado de grandes nomes sem dúvida foi um enorme prazer e também enorme responsabilidade.
Marcello Lacroze – Em um projeto paralelo com a sua carreira como DJ  nós vimos que você tem um ótimo gosto para moda, e executa hoje um projeto chamado “Dicas da Di” que trás dicas de moda e estilo para mulheres de todas as idades, desde as adolescente até as mulheres adultas, conte-nos um pouco mais sobre como surgiu essa ideia? você tem estudado sobre moda também ou é um dom poder produzir look’s tão belíssimos e ter o mesmo bom gosto como você tem para a musica?
Di Falconi – Eu trabalho com moda há quase 4 anos. Vejo arte em produzir looks e transmitir o que sinto quando me visto. Estudo moda através do meu trabalho diariamente. A idéia veio em poder inspirar as mulheres a criarem mais com o seu guarda-roupa, eu quis trazer um pouco do meu olhar sobre moda com o blog.
Marcello Lacroze – No site vimos que você é a sua própria modelo para os divulgar os look’s, belíssima como você é, tem um corpo lindo com todo respeito, já pensou em também seguir a carreira de modelo também ou prefere apenas seguir como DJ  Sendo um pouco mais curioso (rsrs) já chegou a surgir alguns convites ou propostas para desfiles ou ensaios fotográficos para alguma revista de moda?
Di Falconi – Obrigada ! Rs  Não tenho pretensão em ser modelo, eu apenas amo tirar fotos e isso pra mim é um hobbie. Não surgiram convites, mas também não fecharia portas.
Marcello Lacroze –  Para finalizarmos quais o projetos você tem em mente para o futuro, o que os seus fãs e seguidores podem esperar. O que você pode nós revelar nesse momento? (rsrs)
Di Falconi –  Nesse momento estou dando foco a minha carreira em gestão, mas minha página na web continua em andamento, em breve com novidades! Muito obrigada!
Agradecemos a Di Falconi pela atenção e desde já deixamos o espaço aberto para outras oportunidades.
Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS