Fyre Festival
Billy McFarland pagou fiança, mas deve ser julgado neste mês

Lembra do fiasco do Fyre Festival em 2017? O festival que prometeu mundos e fundos em estrutura a preços altíssimos e não conseguiu realizar nada? Então, o cara por trás da produção fracassada acaba de ser denunciado por novas acusações de fraude. Segundo a promotora Kristy GreenbergBilly McFarland, de 26 anos, dava golpes em festivaleiros vendendo ingressos inexistentes para festivais populares, como Coachella e o Burning Man.

De acordo com a acusação, McFarland visava as pessoas da lista de clientes do Fyre Festival e vendia ingressos fantasma para eventos de alto nível. Entre eles o Coachella, Burning Man, Met Gala, Grammy e até o Super Bowl. O esquema envolve faturamento ilegal de mais de cem mil dólares entre 2017 e o início de 2018. O negócio funcionava online e era chamado de NYC VIP Access.

+ Fracasso de festival de música também inspira série documental

Não bastasse o papelão que foi o Fyre Festival 2017,  o escritório da Procuradoria de Manhattan revelou que McFarland está agora enfrentando um novo conjunto de acusações relacionadas a um esquema de multas do festival, que estava em andamento nos últimos meses enquanto ele aguardava a sentença. O empresário enfrenta acusações de lavagem de dinheiro, de fraude eletrônica dos ingressos e até de tentar se passar por outros funcionários da empresa.

Ele assumiu a culpa das acusações de fraude relacionadas ao Fyre e deve ser condenado na próxima semana, podendo pegar até 40 anos de cadeia. Quanto às demais, ele pretende lutar na justiça, alegando que estava sendo prejudicado por um ex-colega que está cooperando com os promotores.

Diante de toda essa palhaçada, Billy não parece estar muito preocupado após pagar fiança e aguardar em liberdade. A procuradora afirmou em juízo que McFarland está hospedado em hotéis de luxo, jantando em restaurantes caros e que até teria falado em fuga caso seja condenado. A nova sentença pode chegar a dois anos de prisão.

+ CLIQUE AQUI para relembrar o caso do Fyre Festival

Receba novidades no e-mail

Receba o melhor da Phouse em seu email!

:::. ALEATÓRIAS / LEIA TAMBÉM

Sem backup, JAUZ revela perda de diversas músicas em construção

O produtor vem tentando manter uma visão positiva sobre a situação

Cena de Brasília se une para ajudar DJ com câncer

A DJ Daianne Monteiro precisa passar por tratamento intensivo contra um câncer grave de colo do útero

Get Physical lança 3º EP da série “Cocada”

Com remixes para Hauy e Ossaim, o lançamento antecipa o VA “Cocada 2019”

Dre Guazzelli entrevista Bruno Martini

Influência do pai, Disney, “Hear Me Now”, parcerias de peso e palinha no estúdio marcam esta edição

Expoente underground, L_cio encaminha 2º álbum

Sucessor de “Poema” virá em parceria com a produtora Sala28

Celebrando 10 anos, Colours anuncia Joris Voorn

Festa gaúcha vai comemorar uma década em abril

Quarto round: Tomorrowland revela mais 15 nomes

De Alison Wonderland e Zeds Dead a Eric Prydz e Nina Kraviz

Alok lança psytrance pegado com Timmy Trumpet

Em collab pela Spinnin’, o brasileiro revisita mais uma vez suas raízes

Martin Garrix revela que não vai tocar no Mainstage do Tomorrowland

Lugar que pertenceu ao holandês nos últimos anos deve ser ocupado pelo Swedish House Mafia

Primeiro single de Zedd em 2019 traz participação de Katy Perry

O humano Zedd e a robô Katy Perry vivem uma experiência científica no clipe de “365”