Gabe

Gabe deve se posicionar nos próximos dias sobre episódio no La Playa

DJ foi preso quando tocava em festa no Rio das Ostras

A Phouse está trabalhando intensamente desde ontem para apurar mais detalhes sobre a situação do DJ Gabe, preso no sábado em operação policial no bar La Playa, em Rio das Ostras–RJ. Circula o rumor de que Gabe teria sido liberado ainda no domingo, mas não conseguimos confirmar a veracidade dessa informação.

Entramos em contato com Polícia Civil, Polícia Militar, o staff e a defesa do DJ, mas até este momento, conseguimos apenas um breve depoimento do advogado Patrick Berriel: “O conceituado DJ Gabi [sic] jamais comercializou qualquer tipo de entorpecente. Está ocorrendo um equívoco na dinâmica do fato apurado pela Polícia Civil, o que será provado durante o processo. Tendo em vista as condições pessoais do DJ, a prisão é absolutamente desnecessária”.

Quando questionamos o paradeiro de Gabe, uma representante da agência Alliance Artists se limitou a dizer que “no momento oportuno serão postadas notícias nas redes sociais do artista direcionadas a todos os fãs e parceiros”. Sem uma certeza da situação atual do DJ, os fãs têm se mobilizado nas redes sociais dando seu apoio com a hashtag #Gabelivre.

+ CLIQUE AQUI para relembrar o caso

O que diz o La Playa

O bar, que teve sua festa interrompida, publicou um comunicado no Facebook na noite de domingo, confirmando que a operação ocorreu por volta das 20h30 do dia 16. Segundo a publicação, a Polícia Civil, a Polícia Militar e a Guarda Municipal entraram no estabelecimento “sem qualquer mandado de busca e apreensão e revistaram cerca de 200 pessoas”.

O estabelecimento ainda afirma que não foi responsável pela venda de entorpecentes, e que os proprietários não estavam cientes dessa atividade comercial. Quando procurado pela Phouse, o staff do La Playa se colocou à disposição para responder novas perguntas, mas ainda não retornou até o momento desta publicação.

Foto: Reprodução/Facebook

O que diz o G1

Segundo o G1, Gabe foi preso em flagrante com outras quatro pessoas por tráfico de drogas no local — informação que não conseguimos confirmar. De acordo com a reportagem de de Viviane Lopes e Fernanda Soares, os proprietários do La Playa, de fato, foram liberados por falta de provas de alguma participação no esquema. Entretanto, a matéria defende que o estabelecimento foi interditado e teve seu alvará cassado — o que foi negado pelo bar.

A reportagem ainda conseguiu contato com o delegado Ronaldo Andrade Cavalcante, da 128ª Delegacia de Polícia, que justificou a operação, chamada de Dama de Negro. “Encontramos muita droga no local, principalmente ‘cheirinho da loló’ e droga sintética. Havia droga no chão, no banheiro, entre as garrafas de bebidas e, inclusive, em setores privados da casa de show, como na cozinha e no estoque”, declarou.

“Segundo o delegado, quando os policiais disfarçados identificaram que a venda dos entorpecentes estava acontecendo, acionaram o restante dos agentes, que cercaram o estabelecimento na Av. Euclides da Cunha, na Enseada das Gaivotas”, segue a reportagem. “O DJ Gabriel Antônio Serrasqueiro [Gabe], que é de São Paulo, e o assistente dele estavam com droga sintética (ecstasy), maconha, cocaína e frascos com medicamentos, afirma Ronaldo Andrade Cavalcante”.

A matéria ainda foi atualizada nesta segunda-feira, trazendo o mesmo depoimento de Berriel que publicamos acima.

+ 23/02/2018: Às vésperas de long set em Curitiba, Gabe bate um papo breve com a Phouse

Fazendo jornalismo

Temos recebido algumas críticas por causa da reportagem de ontem. Alguns fãs de Gabe argumentaram que a acharam “desnecessária”, “sensacionalista”, “irresponsável”, “fake news” e “prejudicial à cena”, entre outros adjetivos não muito louváveis.

Em vista disso, a Phouse gostaria de esclarecer que o seu compromisso é com a informação e apuração dos fatos. Não publicaríamos nada sem a certeza e sem a devida responsabilidade no processo de apuração.

Gabe é um dos maiores expoentes do cenário nacional e é evidente que o que ocorreu em Rio das Ostras é um fato de alta relevância para nossos leitores. Pelo bom jornalismo, não poderíamos deixar de trazer essas informações, por mais que possam ser desagradáveis.

Tanto naquela matéria quanto nesta, não fizemos qualquer juízo de valor sobre o fato, e ressaltamos aqui todo nosso respeito pelo DJ e por sua trajetória.

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS