5 nomes do tech house que inspiram o jovem Gustavo Koch

Catarinense vive novo momento na carreira artística
* Edição e revisão: Flávio Lerner

A aparência jovem pode até enganar, mas ao ouvir Gustavo Koch na pista, percebe-se que seu som possui as características dos maiores produtores musicais do Brasil — tanto que, ao longo da carreira, ele já firmou parceria em estúdio com alguns medalhões da eletrônica. 

O jovem DJ e produtor faz parte do time da Plusnetwork, ocupa a posição de residente do El Fortin — inclusive, encerrou o mainstage da última edição, que celebrou 14 anos de casa — e, junto ao club, vem crescendo e ganhando um reconhecimento na cena cada vez maior. Outra casa fundamental do Brasil, o Green Valley também já foi palco para o artista, mostrando que talento e maturidade são características que o acompanham em cada nova conquista.

Gustavo Koch
Tocando no aniversário de 14 anos do El Fortin. Foto: Divulgação

Atualmente, Gustavo Koch vive um momento de transição gradual de seu estilo sonoro, apresentando uma estética mais voltada ao tech house, mas sem esquecer de suas raízes que o fizeram chegar até aqui. Como a pesquisa musical faz parte de sua rotina, convidamos o artista para indicar cinco produtores do gênero que vêm chamando a sua atenção e que tem lhe inspirado neste novo momento. 

Abaixo ele ainda comenta sobre cada uma de suas escolhas e seleciona uma track de cada um para você curtir. Confira!

+ LEIA TAMBÉM: Tech house: a nova menina dos olhos do cenário eletrônico brasileiro

Kyle Watson feat. Pop Art – Don’t Talk

Música que balança a pista quando eu toco, é uma das minhas preferidas. Difícil mesmo é escolher uma só música do Kyle Watson, todas são grandes obras de arte, e tenho muito como inspiração.

Anti Up – Hey Pablo

Essa está no meu top cinco. Os timbres são bem no estilo desande, tenho certeza que grandes DJs usaram como referência. Esse projeto paralelo do Chris Lake é fenomenal, me inspiro bastante nele.

Victor Lou – Untitled

Victor Lou é um dos artistas que mais admiro e tenho como referência, e essa é uma das músicas que mais gosto. A linha de bass é bem empolgante e ela está sempre presente em meus sets.

Michael Bibi – Gig The Fire

Essa música carrega bastantes elementos diferenciados, fugindo um pouco do desande que eu costumo fazer — o drop com os plucks é muito pista. Outra que está em meus sets e a galera responde muito bem.

The Sponges – Space Funk ‘75

Essa música é uma mistura de vários gêneros, mas com predominância do tech house. O vocal clássico e o drop incrível fazem ela ser mais uma das minhas preferidas.

* Marllon Gauche é colaborador da Phouse.

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.
ADVERTISEMENT