Leo-Janeiro-e-Mumbaata1

House classudo made in Rio: Leo Janeiro e Mumbaata falam sobre seu novo EP

Com remixes de HNQO e Andre Buljat, Solaris foi lançado nesta quarta-feira.

Um é um dos nomes mais conceituados da cena house/techno do Brasil, por um trabalho consistente de anos como DJ, produtor, label manager e curador do Rio Music Conference. Outro surgiu há pouco mais de dois anos, mas vem numa escalada vertiginosa, destacando-se com suas produções diferenciadas, que carregam uma bagagem de referências musicais poucas vezes vista na cena nacional — não à toa, o projeto foi eleito Produtor Revelação, no próprio RMC. Agora, com afinidades que vão muito além do fato de morarem na mesma cidade, Leo Janeiro e os rapazes do Mumbaata estão lançando mais uma empreitada musical juntos, com o EP Solaris.

+ Protagonista carioca, Leo Janeiro fala sobre RMC, Warung, D.O.C. e parcerias

+ Entrevista exclusiva com o projeto brasileiro Mumbaata

O disco tem quatro faixas: duas originais mais seus respectivos remixes, feitos por HNQO e o alemão/espanhol Andre Buljat. “Trabalhar com os meus brothers do Mumbaata sempre é legal. Eu e o Lenoxx [Hortale] temos muita coisa em comum, e o Pedro [Poyart] é um músico sensacional. União perfeita, por isso que sempre flui muito bem o trabalho”, contou Leo, em contato com a coluna. O trio responsável pelo EP deu um papo breve, mas minucioso, contando detalhes do processo de produção e como enxergam o resultado de cada faixa. Confira abaixo, enquanto curte o novo disco:

Solaris

“Essa faixa sempre teve algo bem especial. Eu sempre curti ela porque não tinha pretensão de ser algo para pista; ela tem um groove leve e uma linha de synths bem marcante. Me lembro que mudamos alguns pontos para justamente causar uma percepção diferente. Ela é bem mais orgânica e ficou na medida, possibilitando remixes incríveis” — Leo Janeiro.

“Começamos a produzi-la pela melodia ‘arabesca’ que dá o tema da música; em paralelo, compomos a bateria bem profunda para criar essa onda introspectiva. Gostamos muito do resultado final e de como ela funciona na pista” — Lennox Hortale.

House Feel

“Tem um pouco a ver com sunset mesmo, que é outra pegada diferente do Solaris. Eu já cheguei no estúdio com ela rolando, e disse: ‘tô dentro dessa’ [risos]! Ela tem um baixo mais marcante e segue uma proposta que eu curto muito, de ir crescendo, e tem muitos elementos interessantes — eu gosto da linha de baixo. Ela segue uma ideia de elementos de deep house clássicos. A programação de bateria é bacana com varias viradas que fazem ela ficar bem pista” — Leo Janeiro.

“Como o nome já diz, ela tem um pé forte na house music; usamos e abusamos de acordes e de alguns efeitos bem ressonantes que parecem assobios. Ela já tem uma pegada mais de pista e funciona muito bem no meio de um set. Foi a estreia do Moog Sub 37 aqui no estúdio — quem conhece vai identificar pela sonoridade” — Pedro Poyart.

Solaris (HNQO Remix)

“Um dos melhores remixes que escutei nos últimos tempos. Eu havia conversado com o Henrique [HNQO], e ele me disse que iria tentar algo, mas não garantiu nada. Um dia ele me manda o áudio perguntando se eu gostava; eu fiquei de cara! Tava no metrô, escutei aquele pedaço umas 15 vezes [risos], estava demais! Ela tem uma onda muito diferente da original; ele usou elementos que eu considero clássicos — a linha de baixo do moog ficou foda —, algumas percussões gravadas no próprio estúdio” — Leo Janeiro.

“Ficamos muito gratos pelo remix do Henrique, que fez uma versão bem diferente aproveitando o tema e o mood da original, fazendo um excelente deep house” — Lennox Hortale.

Solaris (Andre Buljat Remix)

“Esse remix foi algo que me deixou muito contente. O Andre é um grande amigo, ele mora em Barcelona e pedi para ele escutar o EP e o convidei para um remix, e prontamente ele disse que gostaria de fazer um para ‘Solaris’. Ele deu outra dinâmica à música; a programação de bateria ficou perfeita para qualquer warmup” — Leo Janeiro.

“Foi uma surpresa de última hora. A versão do Andre foi uma espécie de shuffle remix, usando os loops originais, porém em tempos diferentes criando novos grooves numa construção mais contínua” — Pedro Poyart.

Este EP não é a primeira collab entre Leo Janeiro e Mumbaata; no ano passado, assinaram em conjunto o EP Take Off, além de um remix para “Mind Games” [faixa do próprio Mumbaata]. Solaris foi lançado hoje, pela Warung Recordings, e está à venda no Beatport.

* Flávio Lerner é editor-assistente na Phouse; leia mais de suas colunas.

LEIA TAMBÉM:

EXCLUSIVO: Claudia Assef confirma nova edição de “Todo DJ Já Sambou”

Herói? Aparentemente, Chance The Rapper acaba de salvar o Soundcloud

“Cultura techno” de Zurique é nomeada “herança cultural intangível”

O Seth Troxler profanou o Templo com um loop de funk; queimem o herege!

Lúdico, subversivo e impactante: conheça o universo de Carlos Capslock

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PHOUSE MUSIC
SPOTLIGHT