INGEK: O grave de Minas Gerais

Com mais de 100 mil ouvintes mensais no Spotify e 6 músicas muito bem recebidas em 2019, INGEK começa o ano com mostrando por que merece atenção

INGEK. Foto: Dilson Ferreira/Divulgação

* Edição e revisão: Flávio Lerner

Bass, house e energia. Três palavras que com certeza cabem na descrição tanto dos shows, quanto das músicas do projeto INGEK. Ainda mais a julgar pelos seis lançamentos do artista no ano passado, entre eles o hit “Take Control”, coproduzido por Felguk e lançado pela HUB Records, que ultrapassou a marca de um milhão de streams.

Outros lançamentos de 2019 mostraram a atenção especial do artista aos sons graves como em “I Don’t Give a Shit”, composta junto de Almanac e lançada pela Deepink, e “Babylon Boot” — coproduzida por Alex Senna e lançada pela Fire Music. Ambas levam os subs das festas ao máximo e testam a resistência do front. Perguntado se faz algum tipo de tratamento no som pensando nisso, Sérgio Malta de Oliveira respondeu o óbvio: 

“É pra fazer o chapéu voar mesmo, sentir aquele gravezão batendo no peito. A ideia é essa”.

E não é mesmo? Cada vez mais essa característica toma a house music e leva a uma camada de grave mais bruta, como em “Body Move” (HUB Records) e “Bring the House” (Pan Records), que ultrapassou 200 mil streams no Spotify em sua sétima semana.

O artista apareceu pela primeira vez na Phouse ainda em 2014, com a música “Dreamers”, lançada pela Big & Dirty Records. Em 2016, foi convidado a participar de dois eventos importantes fora do país: o Electric Daisy Carnival, no México, e a Winter Music Conference, que acontece em Miami, nos Estados Unidos, todos os anos. 

O sucesso precoce e o período fora do país influenciaram o mineiro de Divinópolis que fará 30 anos no próximo dia do DJ — 09 de março. Mais tarde, encontrou-se “na pesquisa do Brasil, das sonoridades voltadas aos brasileiros”, como ele mesmo explica.

Com o desafio de ser um artista independente a sua frente, INGEK conquistou aos poucos o suporte de artistas como FTampa, Victor Lou e inclusive do superstar Tiësto, que tocou “Take Control” na mais recente cerimônia do Top 100 da DJ Mag, em Amsterdã. 

Neste ano, INGEK já surgiu com “Coco Bongo”, produzida em parceria com o duo Clubbers e lançada pela CICLO Records no último dia 14. A faixa parece feita para os momentos de clímax das festas, e com vinte segundos já está lá em cima. 

A batida marcada se mistura a efeitos especiais feitos para viajar na dança. Mesmo sem vocais para cantar, “Coco Bongo” tem um som marcante que gruda na cabeça e traz motivação de sobra para curtir o dia — ou a noite.

Aliás, INGEK vem curtindo de dia e de noite. Com muitos shows Brasil adentro, este ano o DJ e produtor promete novas colaborações, mas sem dar muitos detalhes: “Sempre que viajo eu estou também produzindo, sempre pensando em música. Estou muito feliz com o lançamento de ‘Coco Bongo’ e vem mais por aí”. 

* Nazen Carneiro assina a coluna LIFT OFF na Phouse.

LEIA TAMBÉM:

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp