Cambismo

Irlanda deve aprovar lei para combater o cambismo

Legislação limita compra de ingressos por pessoa

A vida dos cambistas está ficando cada dia mais difícil no Reino Unido. A bola da vez vem da Irlanda, que está para aprovar uma legislação proibindo a revenda ilegal de ingressos. A iniciativa restringe os “bots de tickets”, que são programas de computador que compram ingressos automaticamente para revenda secundária. Apesar de limitar o comércio ilegal, a nova regra irá valer só para eventos de música ao vivo e esportivos em “locais designados”, e com mais de mil atendentes.

A nova lei ainda precisa ser sancionada pelo parlamento irlandês, mas deve complicar bastante o comércio ilegal de ingressos. Proibindo os bots, e consequentemente a revenda em sites secundários, a ação surte um efeito significativo nos métodos dos cambistas.

+ Luta contra o cambismo: artistas gringos cortam na carne para evitar a prática

Segundo o jornal The Irish Times, os locais dos eventos precisam pedir para ser incluídos na nova legislação para garantir a eficácia da iniciativa. O Ministro das Empresas do governo irlandês também poderá aplicar a legislação a locais específicos para proteger os interesses dos consumidores.

Vários artistas já declaram guerra à prática. Ed Sheeran, por exemplo, cancelou dez mil ingressos de sua turnê no Reino Unido, para combater a comercialização ilegal. A equipe do cantor cancelou os ingressos vendidos ilegalmente, inclusive do site Viagogo.

No Brasil ainda não existe uma legislação firme para combater a venda ilegal de ingressos. A prática, entretanto, pode ser classificada como agiotagem ou crime contra a economia popular, se ingressos forem revendidos por preços mais altos que o estipulado pelo evento. Ambos os casos incluem penas de um a dois anos de cadeia e multa.

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS