Leo Janeiro e Kaká Franco fundam duo baseado em vinil

LK pretende trazer a cultura do DJ old school de volta às pistas

Você pode não ser da velha guarda, mas se já presenciou um set feito apenas com vinil, deve saber que a sensação proporcionada frente à pista é diferente. A arte de discotecagem com os discos ainda é feita por alguns artistas aqui no Brasil que, apesar de tocarem também com arquivos digitais, nunca deixarão as antigas bolachas de lado. É o caso de Leo Janeiro e Kaká Franco, dois ícones da house music nacional que começarão em breve um novo projeto, intitulado LK.

Como você já deve imaginar, a ideia da dupla brasileira é resgatar e levar a magia desse estilo de mixagem para os quatro cantos do país, passando pelos principais clubs que temos por aqui. Os fãs de vinil podem ficar ainda mais animados, já que a cereja do bolo do projeto é realizar apresentações em formato de long sets, possibilitando uma construção musical criativa e genuína, seja lá onde for.

Leo Janeiro, um dos nomes por trás do LK, é um carioca que viu na vida noturna da cidade uma oportunidade para construir sua carreira dedicada inteiramente à música. Com fortes influências da black music dos anos 90, ele moldou seu perfil sonoro em torno da house e adquiriu experiência suficiente para carregar o nome de importantes clubs junto ao seu, tornando-se DJ residente da Beehive e do Warung Beach Club, A&R da Warung Recordings e membro crucial na concepção do Brazil Music Conference. Não podemos esquecer também da mentoria de Leo frente ao Cocada, compilado de sucesso lançado em parceria com a Get Physical no ano passado.

LEIA TAMBÉM:

Quem dividirá o espaço em cima dos palcos com ele será outro mestre da house, Kaká Franco. O artista é dono de uma coleção gigantesca de discos e, sem dúvidas, uma das maiores referências nacionais quando o assunto é discotecagem com vinil. Kaká definiu muito bem sua identidade trazendo em seus sets o groove dançante do estilo, mixando sons clássicos com contemporâneos e adicionando elementos de deep house, jazz, funk e disco, sempre sustentando uma seleção musical apurada e uma técnica impecável.

Utilizando a house como fio condutor, esta promete ser uma ótima experiência aos saudosistas e uma oportunidade aos mais jovens de entenderem um pouco mais sobre como era a magia das pistas nas décadas passadas, quando, muito antes dos pendrives e dos computadores, os DJs carregavam caixas e mais caixas de discos. A estreia do LK está prevista para esta sexta-feira, dia 15, na Fosfobox, no Rio de Janeiro. Em seguida, a dupla parte para Londrina, onde toca no Mobil Club, dia 22.

* Marllon Gauche é colaborador da Phouse.

Quer ganhar 23 mil reais para montar o estúdio dos seus sonhos?

Se você é DJ e produtor musical não perca essa oportunidade.
Inscreva-se gratuitamente no Burn Residency 2019.
ADVERTISEMENT