Ou: por que o Justice falhou em ser o Daft Punk.

Woman, o terceiro e novíssimo álbum de estúdio do Justice, foi lançado 18 de novembro, via Ed Banger Records e Because Music, mas eu preferi esperar e dar uma digerida com calma pra poder falar sobre ele, sem precipitações ou conclusões apressadas. Ontem, tivemos o lançamento do novo clipe oficial para o quarto single do LP — “Fire”, que sucede “Safe and Sound”, “Randy” e “Alakazam !”, que infamemente separa o ponto de exclamação do corpo do texto, como tem sido convencionado em conversas de whatsapp e posts raivosos no Facebook.

Fire: legal, mas nada demais

O vídeo traz os franceses Gaspard Augé e Xavier de Rosnay lavando um carro e depois pegando um carona com ninguém menos que a Susan Sarandon em uma estrada no meio do deserto estadunidense. É bacana, mas provavelmente passaria batido sem a presença da atriz famosa. Primeiro, porque de todos os singles, “Fire” é o mais fraquinho — ou o menos bom. Depois, porque o clipe reflete muito bem o momento pelo qual o Justice e passa com seu novo disco: tenta causar furor, mas falta substância.

A dupla tem sido bastante comparada com o Daft Punk desde que surgiu, não apenas por beber diretamente do legado destes, mas também por tentar adotar uma postura semelhante, de ficar a maior parte do tempo ausente dos holofotes e então buscar ressurgir com algo épico e revolucionário. O Daft Punk tem trilhado esse caminho com maestria; dificilmente seus lançamentos e discos não mudam o jogo e marcam uma época. Por outro lado, se o Justice teve êxito em fazê-lo [2007] e, discutivelmente, em Audio, Video, Disco [2011], agora está bem longe disso — tanto que Woman foi lançado há duas semanas e ninguém parece ter ligado muito.

O disco, assim como o novo videoclipe, são bacanas; só. Em um momento em que o conceito de álbum é cada vez menos valorizado na dance music — em que predominam faixas sazonais, descartáveis, para bombar nas pistas por um curto período de tempo —, Woman é acima da média. Seus singles são de razoáveis a bons, e sustentados ainda por faixas excelentes como “Chorus” e “Heavy Metal”. Por outro lado, outras como “Pleasure”, “Fire” e “Stop”, soam como fillers [em bom português, “encheção de linguiça”].

Além disso, por melhores que sejam, as músicas parecem figurinhas repetidas: vimos do mesmo, e melhor, não somente no álbum anterior, mas também em muitas bandas de indie pop/indie no começo desta década, como Friendly Fires e Toro y Moi. “Alakazam !” podia perfeitamente ser uma música do Cut Copy; “Fire”, do Chromeo. E quando vi seu videoclipe, me veio imediatamente a lembrança de “Fallout”, do Neon Indian [assista abaixo]. O clipe, de 2012, em uma parceria com o Adult Swim, tem uma estética bastante similar [apesar de ser um cartoon], porque resgata esse imaginário vintage oitentista que chegou ao ápice em filmes como Drive, de 2011. O vídeo do Neon Indian, porém, é muito mais marcante e rico; ele não se limita a apenas saudar e reproduzir uma imagem, mas também brinca com ela. Já em “Fire”, temos apenas a estética pela estética, o hype pelo hype. É legal, mas esquecível — exatamente como o álbum ao qual faz parte.

Receba novidades no e-mail

Receba o melhor da Phouse em seu email!

:::. ALEATÓRIAS / LEIA TAMBÉM

Carnaval Green Valley: confira a programação

Vintage Culture, Claptone e FISHER são os headliners dos dois dias de festa

Confira a programação completa do Warung Day Festival

Produção divulgou o cronograma de horários do evento

Celebrando 37 anos, Diogo Accioly escolhe suas 5 faixas favoritas de “peak time”

DJ vai comemorar o aniversário tocando ao lado de Gui Boratto, João Lee e Nuvem

Minitour de Moodymann no Brasil começa nesta quinta-feira

Um dos DJs mais excêntricos do cenário underground global

Veja fotos da montagem dos palcos do Tomorrowland Winter

Festival rola na região dos Alpes franceses, em março

Filme do Netflix sobre o Fyre Festival está disponível no Brasil

Com subtítulo digno de “Sessão da Tarde”

Promessa brasileira lança remix pela Hot Creations

Conheça o DJ Lukke, jovem produtor carioca estabelecido em Los Angeles

Com mais um single, Chemical Brothers revelam data e tracklist de “No Geography”

Ouça “Got To Keep On”, terceiro single do 9º álbum de estúdio do duo

Ultra Europe confirma Swedish House Mafia

Site do festival apresenta popup com logo do trio

Tomorrowland Winter divulga horários e mapa

Confira a programação completa da primeira edição de inverno do Tomorrowland