Lançamento de “Intro”, com Vintage, Bruno Be e Ashibah, coroou o 2019 de Öwnboss

DJ conta à Phouse a história da criação, popularização e, enfim, release oficial do remix para The xx
* Edição e revisão: Flávio Lerner

Um ano de transição. É assim que Eduardo Zaniolo, DJ e produtor por trás do projeto Öwnboss, define o seu 2019. “Plantei muitas coisas boas e tenho certeza que em 2020 vou colher bons frutos”, completa. Todo esse otimismo se justifica, afinal, não foram poucas as conquistas do artista no ano que passou.

Uma das principais veio no dia 13 de dezembro: o lançamento oficial do remix de “Intro”, da banda The xx, produzido em parceria com Vintage Culture e Bruno Be com vocais da Ashibah. Na real a música já vinha sendo tocada por eles e por outros artistas desde o final de 2016, quando a primeira versão, ainda sem vocal, foi terminada.

“A repercussão nas pistas sempre foi das melhores. Desde o início, quando eu tocava ela, vinha gente me pedir o nome e querendo saber quem tinha feito”, contou o produtor, que também tem um carinho especial pela faixa: “Na verdade, ela é disparada a música que mais me faz ficar emocionado ao tocar. Sempre guardava ela pro final do set”.

Talvez a história da criação do remix ajude a explicar isso. Em 2016, ele e Bruno combinaram de, pelo menos uma vez por semana, sentarem juntos para trabalhar no estúdio e se ajudarem. “Naquela época, eu tinha a recém perdido meu pai, o Bruno tava numa fase bem complicada também, e a gente conseguiu se reerguer juntos. A ‘Intro’ é um dos resultados dessa fase”, explica o DJ.

E dá para dizer que a relação dos dois não é meramente profissional, mas, nas palavras de Eduardo, “de amigo, aluno e família”. Prova disso é que além hoje os dois moram juntos e dividem o mesmo estúdio em Jurerê para produzir suas tracks. “Sempre nos ajudamos e nos reerguemos juntos, somos bem próximos”, completa.

Segundo Zaniolo, o remix foi finalizado em apenas três dias, pois a cada progresso feito, a empolgação dos produtores crescia. “Eu tinha certeza que essa música ia fazer história. Enviamos ela pro Vintage Culture [sugerindo a collab] e ficamos o final de semana todo na expectativa da resposta dele”, segue. 

Naquela segunda-feira, veio o positivo de Vintage, que deu o toque final à obra, deixando-a da forma como conhecemos. Quer dizer… quase. Em 2017, Öwnboss tinha um set logo após a dinamarquesa Ashibah em uma festa. “Ela me falou que estava com uma letra na cabeça para cantar a ‘Intro’. Disse que amava demais aquela música e pediu pra cantar em cima dela quando eu fosse tocar”, explicou.

Naquele momento, saiu algo bem diferente da atual — que é um cover de “I Need a Miracle”, clássico dance dos anos 90, de Coco Star —, mas já era o suficiente para sentir que com um vocal, a música ficaria imbatível. “Passou uma semana e a Ashibah apareceu com a versão ‘Rework’, com os vocais dela de ‘I Need a Miracle’, e foi emocionante, pois simplesmente melhorou o que pra nós na época já era perfeito. Foi uma sacada de gênio”, revelou Öwnboss.

Mesmo sem ter sido lançada oficialmente, a track se tornou uma febre, cativando o público e recebendo suportes de diversos artistas. De todos estes, um ficou marcado para Öwnboss após o Réveillon do Green Valley de 2017: “A Nora En Pure tocava depois de mim, me escutou finalizar o set com a ‘Intro’ e veio me pedir a música, pois tinha amado ela. Passou uma semana e eu comecei a receber vídeos dela abrindo o set no Coachella”.

A produção, porém, teve que esperar mais de três anos para conseguir ser lançada oficialmente, por conta dos direitos autorais. “A gente até tinha desistido, pois além de ter que autorizar o remix de uma banda fodástica como o The xx, ainda tinha o vocal da ‘I Need a Miracle’ — ou seja, eram duas solitações diferentes”. Por sorte, o staff dos artistas não desistiu e, já na finaleira de 2019, conseguiu a liberação através das gravadoras.

Ao todo, o Öwnboss realizou 13 lançamentos no ano passado (oito oficiais e cinco bootlegs). No Spotify, foram dez milhões de streams em 79 países e 525 mil horas escutadas. Seu bootleg de “Lose Control” (de Meduza, Becky Hill e GOODBOYS) recebeu suporte de Tiësto no podcast Club Life #657. 

Set do Öwnboss para o verão 2020

O ano também teve gigs importantes. No início de março, foi uma das atrações do Ame Laroc Festival. Mais tarde naquele mês, se apresentou sob as águas do litoral brasileiro no Chilli MOB Cruise. Em agosto, veio o B3B especial com Vintage Culture e Meca no Green Valley Gramado.

No final de novembro, o DJ ainda fez uma aparição surpresa no set do amigo Bruno Be na edição de Porto Alegre da Só Track Boa. Aliás, por falar em STB, ele nos adiantou em primeira mão que estreia oficialmente no festival na edição de Floripa, no P12, durante o Carnaval, no dia 24 de fevereiro.

Matheus Mariano é colaborador da Phouse.

LEIA TAMBÉM:

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp