Primeiros Erros
Foto: Reprodução

Na última sexta-feira, Pic Schmitz lançou via Liboo sua própria versão para “Primeiros Erros”, clássico de Kiko Zambianchi de 1985, que também ganhou fama a partir da releitura do Capital Inicial nos anos 2000.

O cover do DJ e produtor gaúcho é bem semelhante ao som do Capital, incluindo através voz do conterrâneo de Porto Alegre Axel Antunes, que é semelhante à de Dinho Ouro Preto. Com a batida eletrônica ao fundo, entretanto, a música ganha uma pegada bem mais alegre e dançante.

Agora, em contato com a Phouse, Pic Schmitz explicou que a ideia de reconstruir um dos grandes sucessos do pop rock nacional surgiu a partir de uma sugestão do DJ Meme feita em maio do ano passado: “A ideia surgiu em São Paulo, durante o último BRMC. Em uma festa, estava conversando com o Meme, que é meu amigo há muitos anos, e ele chegou pra mim: ‘Pic, vou te dar um presente, cara. Tem uma música que ficaria demais pra você, acho que seria tua cara produzir uma nova versão’. Comecei a pensar na música e desde então venho trabalhando nela”.

O DJ acrescenta que, como o próprio Meme afirmou, trata-se de um som atemporal, que pegou diferentes gerações ao longo das últimas décadas. “A ‘Primeiros Erros’ tem três momentos com o mesmo verso e refrão: começa mais intimista, depois passa pra um clima intermediário e termina alegre, então ela vai numa crescente. Vim a desenvolvendo ao longo do ano inteiro, testando na pista, fazendo modificações, e ela ganhou essa cara, com auxílio de alguns outros produtores. A ideia foi deixar bem atual, alegre e pra pista, porque por essa evolução que a música tem, ela tem caminhos que podem levar pra uma veia mais triste ou alegre. E eu tentei dar esse rumo, deixando um clima final de esperança”, acrescenta.

+ “Sem profundidade, não há futuro”; uma entrevista com o lendário DJ Meme

Pic também revelou que o lançamento da sua releitura coincidiu com um momento de bastante pesar em sua vida: a morte do pai. “Casualmente, por uma triste coincidência, a semana em que ela foi lançada foi exatamente a semana em que meu pai veio a falecer. E por ela refletir muitas coisas do passado, ficou ainda mais significativa e marcante para mim”, declarou.

Por fim, o produtor explicou que, além de conseguir a liberação dos direitos autorais, sua ideia original era de propor para que o próprio Dinho Ouro Preto cantasse a música. Porém, o vocal de Axel Antunes, a princípio demonstrativo, acabou agradando bastante, e optou por mantê-lo.

Receba novidades no e-mail

Receba o melhor da Phouse em seu email!

:::. ALEATÓRIAS / LEIA TAMBÉM

Kraftwerk fará primeiro show em Ibiza de sua história

A apresentação será parte da celebração dos 20 anos da Cocoon, de Sven Väth

Bate-bola com o francês Malikk, que volta ao Brasil neste final de semana

Nazen Carneiro troca uma ideia rápida com a atração do Connection Festival

Vintage Culture tocará em noite de Garrix em Ibiza pelo segundo ano seguido

DJ brasileiro é uma das atrações da residência de Martin Garrix no Ushuaïa

Escute os dois novos releases da Alphabeat Records

“Never Ever”, do duo WhoøSh, e versão acústica de “Chuva” performada por Rodrigo Sá

30 anos de techno nas veias: conheça o espanhol Oscar Mulero

DJ toca no D-EDGE neste sábado, em passagem única pelo Brasil

Celebrando os 20 anos da VANDIT, Paul van Dyk lança sublabel

VANDIT Next Generation será dedicada à promoção de novos artistas

Novo single do Avicii na área: ouça “Tough Love”

Single sucede “SOS”, lançado há um mês

JØRD inicia nova fase da carreira com “So Wrong”

Som é considerado o lançamento mais importante de JØRD até hoje

Diplo receberá Anitta em festa na Pacha

Dupla deve lançar novo videoclipe em breve

Camboriú será palco do 1º BURN Residency Showcase de 2019

Rolê será feito em parceria com a Seas, no Espaço Garden