Em e-mail vazado, Porter Robinson traz visão crítica sobre a cena eletrônica

Porter Robinson crítica
Originalmente endereçado a amigos e players da indústria, Porter Robinson introduziu o primeiro EP do Virtual Self com uma visão crítica da cena atual

Um e-mail de Porter Robinson destinado a amigos e figuras-chave da indústria para apresentar seu novo projeto, Virtual Self, vazou na semana passada.

O mais interessante dele é o insight que o produtor traz sobre a cena eletrônica atual. Ao falar sobre o Virtual Self, Porter diz que ambiciona resgatar “algumas coisas” que foram perdidas nesse cenário nas últimas décadas. “[Meu objetivo] É empurrar a música eletrônica para um caminho diferente. Como ela convergiu com a música pop em 2016 (pela segunda vez nos últimos dez anos, a outra foi em 2011), acho que isso levou muitos artistas para longe de projetos apaixonados e ousados, que corram riscos. Nos últimos dois anos, tudo que a maioria dos produtores tinha que fazer para tentar emplacar um hit era comprometer o seu estilo próprio em uns 30% e acrescentar um vocal tropical seguro e inofensivo”, escreveu.

+ Porter Robinson lança primeiro EP de seu projeto paralelo, Virtual Self

“Eu considero que o melhor e mais saudável ponto da música eletrônica é quando coisas novas e inesperadas acontecem. Esse é um gênero que triunfa na novidade. E eu definitivamente não acho que o Virtual Self, o trance dos anos 2000 ou a arte digital abstrata são a solução ou o futuro, mas eu acredito que esse estilo é algo inesperado, e algo que eu esteja preparado para fazer, porque eu o amo. Esse é o precedente que eu quero estabelecer, ou ao menos a abordagem que quero que os outros artistas tenham em mente. Eu amo muito, muito, muito a música eletrônica, e quero que ela seja a melhor possível. Espero que ao fazer algo inesperado, eu possa dar uma sacudida nas coisas, e com sorte, inspirar outros artistas a fazerem algo estranho.”

Em um tweet, o músico admitiu que era um e-mail privado que foi vazado à imprensa, mas não parece ter se importado muito. “Não me importo que as pessoas leiam o que escrevi. De qualquer forma, eu já deveria ter dito algumas dessas coisas publicamente”.

+ Porter Robinson presenteia colega com computador novinho