fbpx
Revolution Day DJ Amargo

Expoentes do underground protestam contra Trump e Brexit em rádio britânica

DJs como Seth Troxler e Eats Everything vão tocar gratuitamente durante visita de Trump

Donald Trump acumula impopularidade no meio artístico também no Reino Unido. Trump vai visitar o país britânico em julho e um protesto “eletrônico” está tomando forma contra o republicano na Soho Radio, em Londres. Gideön, DJ e apresentador da rádio, trará grandes nomes da cena house/techno para tocarem contra os ideais nacionalistas do americano e do tratado do Brexit, que tirou o Reino Unido da União Europeia em 2016.

Chamado “Revolution Day”, o protesto deve ocupar a programação da rádio por 12 horas na sexta-feira, 13 de julho — dia da visita do presidente americano. Entre os nomes já confirmados no protesto estão Seth Troxler, Jackmaster, Eats Everything, Midland, Heidi, Prosumer, ArtworkLuke Solomon e A Guy Called Gerald, entre muitos outros. Todos vão tocar de graça.

Revolution Day
Foto: Reprodução

Membro da dupla Block 9 e apresentador do programa Soho Jams, Gideön (cujo nome de batismo é Gideon Berger) falou sobre o protesto para a DJ Mag e destacou a música como personagem essencial no processo de mudanças políticas. “A visita de Trump e o Brexit são tudo que representa a onda crescente de nacionalismo, ódio e sentimento de direita que precisam urgentemente ser resistidos. A última vez que isso aconteceu na Europa, seis milhões de judeus, gays, ciganos e ‘degenerados’ foram assassinados em câmaras de gás. O projeto europeu foi fundado por um motivo. Nunca se esqueça. A dance music é amor. E precisamos de um pouco disso agora.”

Entre os DJs que também comentaram sobre o ato, Seth Troxler ressaltou a urgência do envolvimento público: “A essência da arte é baseada em resistência. Estamos em um ponto de virada na história onde o fascismo está em ascensão, e somente através da conscientização global podemos lutar contra essa ascensão da direita”. O DJ não mediu palavras para justificar a sua posição contra o momento político: “Eu odeio o Donald [Trump] e o Brexit. Eles sequestraram o sistema político e, se não resistirmos, estamos todos fodidos”.

+ Uma banda marcial tocou Daft Punk na França, mas o Trump roubou a cena

Ainda na publicação da DJ Mag, o DJ Midland destacou que tocar de graça é o mínimo que poderia ser feito pelo ideal. “Eu realmente não me vejo como oferecendo meus serviços de graça, é uma chance de fazer barulho por algo em que acreditamos e nos opomos. É importante tentar mudar as mentes, e que melhor maneira de fazer isso do que através da música?”. Eats Everything e Jackmaster também deram suas razões para participar do programa — você pode conferir a matéria na íntegra aqui.

Resistência 

Esta é mais uma das manifestações políticas recentes na Europa que conta com personagens importantes da cena clubber. Há poucas semanas, publicamos matéria sobre a Rave Protesto na Geórgia, em defesa dos clubes Bassiani e Café Gallery, após sofrerem ataques da polícia. Logo depois, rolou uma grande manifestação em Berlim, em que o coletivo de clubes alemão Reclaim Club Culture participou com muita house e techno de um ato público contra a passeata do partido político nacionalista Alternative für Deutschland (AfD). A manifestação reuniu 20 mil pessoas.

LEIA TAMBÉM:

Como foi a grande manifestação política com participação da cena clubber de Berlim

Clubes de Berlim farão protesto contra partido político de direita

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS