“É muito difícil ser DJ no Brasil”: Erick Jay fala sobre novo título mundial

Campeão do mundo em 2016, o DJ paulistano venceu agora o DMC Online

Campeão do DMC e do IDA World em 2016, Erick Jay conquistou no último dia 02 o terceiro título mundial de sua carreira: o DMC Online. Criada em 2011, a modalidade funciona à distância, permitindo que DJs de qualquer canto do mundo participem.

Assim, além de levar mais um caneco para casa, o paulistano seguirá para Londres para lutar pelo bicampeonato do DMC World DJ Championship. A competição rola no dia 28 de setembro, no Islington Assembly Hall. O DJ Nino, que venceu o último DMC Brasil em junho [Jay ficou em segundo lugar] será o outro representante do país.

A performance que rendeu o título do DMC Online 2019

“É como se fosse uma missão, e a missão foi cumprida com sucesso. Porque é muito difícil ser DJ no Brasil. Questão de equipamento, de conseguir o espaço… A tecnologia tá nos ajudando, mas é muito difícil ainda”, contou Erick à Phouse. “Foi uma conquista super bem-sucedida, porque quem tem esses mundiais [na América do Sul] só somos nós aqui do Brasil. Os únicos mundiais que temos, fui eu que ganhei. Então é pro mundo ver que temos bastantes DJs aqui talentosíssimos.”

Para Jay, detentor ainda de nove títulos nacionais [DMC Brasil 2009, 2010, 2011, 2014 e 2015; Hip Hop DJ 2006, 2007 e 2008; e Quartz Riscos e Batidas 2014], o segredo para ganhar essas competições é ser ousado e criativo — e nisso, assim como no futebol, os brasileiros são mestres.

“Os caras gostam de ver coisas novas. Não basta você ter técnica. O nosso diferencial é que os DJs de campeonato dos outros países erram e entram em pânico. Eles não têm aquele jeitinho suingado brasileiro, de sair do erro com classe, sem desespero”, argumentou.

LEIA TAMBÉM:

Erick Jay é representante de uma das mais interessantes expressões da cultura DJ: o turntablismo, também conhecido como discotecagem de performance. São os artistas que constroem seus sets dando um show em habilidade técnica e repertório — quem é bom, mixa basicamente qualquer música. Infelizmente, essa cultura apresentou uma queda nos últimos anos, e no Brasil, tornou-se muito nichada, ganhando mais representatividade no universo do hip hop.

“No Brasil, a cultura turntablista era mais forte nos anos 80, 90 e 2000. De 2005 pra cá deu uma boa caída, porque os campeonatos foram acabando. Mundialmente, ainda continua, porque o turntablista usa o campeonato pra se divulgar. Ganhando, portas vão se abrindo, nos bailes, festas e festivais. Lá fora, continua essa tradição. Mas pra mim, continua sendo um diferencial numa pista”, seguiu, sem deixar de trazer uma visão otimista.

“As pessoas precisam estudar mais os DJs, a história, o seu diferencial. E o turntablismo brasileiro vem ganhando um espaço mundial agora. Eu vejo, quando vou ministrar aula, que o interesse vem aumentando — principalmente em garotos, para diferenciarem os seus sets. Eu espero que o turntablismo brasileiro cresça. Ele ainda está muito isolado. Precisamos de mais DJs fazendo performance em programas de TV”, finalizou.

O DMC Online

Diferentemente das edições nacionais e da etapa mundial, o DMC Online é uma plataforma em que DJs de qualquer lugar podem competir à distância, por vídeo.

O campeonato tem três etapas. Na primeira, centenas de vídeos inscritos competem pelo voto popular. Os dez mais votados classificam para o segundo round, no qual um juri especializado escolhe três semifinalistas. Essas primeiras duas etapas repetem-se outras duas vezes, até sobrarem nove competidores. Desses nove, os três primeiros lugares se classificam para o DMC World.

* Flávio Lerner é editor da Phouse.

Assista à cabulosa performance do DJ vencedor do DMC 2018

O campeonato mundial de DJs foi transmitido ao vivo pela primeira vez em 33 anos

A cultura DJ vibrou em mais uma acirrada competição do DMC World Championship, que teve a grande final realizada em Londres no último dia 07. Neste ano, foi o DJ Skillz quem confirmou ser o DJ de performance mais sinistro do globo ao conquistar o título com muita perícia nos toca-discos.

A treta foi bonita. O francês ficou à frente com um ponto de vantagem do segundo lugar, o DJ Fummy, do Japão. Já o DJ Renao garoto que com apenas 12 anos levou a taça mundial na edição passada, pegou o terceiro lugar agora, e o troféu de World Supremacy ficou com outro zica que ainda vamos ouvir falar — o DJ K-Swizz, de 15 anos, da Nova Zelândia.

+ DJ de 12 anos vence o DMC e quebra recorde

Restrito aos convidados do evento desde sua fundação, em 1985, o DMC foi transmitido ao vivo pela primeira vez na história, e computou mais de 400 mil visualizações no mundo todo — o que confere que o turntablismo está mais vivo do que nunca.

Sentem, peguem a pipoca, e confiram o show à parte que o DJ Skillz deu na final, abusando de técnica, repertório e criatividade, trabalhando movimentos clássicos como backspin e transformer scratch, entre outros truques avançados no mixer.

 


DJ de 12 anos vence o DMC e quebra recorde

Com apenas 12 anos de idade, o DJ Rena é o grande vencedor do DMC World Championship de 2017. Com o prêmio, o garoto quebrou o recorde de DJ mais jovem a alcançar o título, que pertencia ao A-Trak, quando venceu o torneio mundial aos 15 anos, em 1997.

Apesar da pouca idade, o moleque esbanja criatividade nos decks e domina técnicas extremamente avançadas de arranhar os discos, dando um show a parte na final que aconteceu em Londres. Ele recebeu o prêmio da mão do DJ Craze, que também o saudou no twitter.

Confira o vídeo de inscrição de DJ Rena para o DMC, e também um trecho de sua apresentação na final do campeonato:

Fundado em 1985, o DMC World Championship é o torneio de turntablismo mais conceituado mundialmente, premiando a cada ano o DJ mais habilidoso do mundo.

LEIA TAMBÉM:

A-Trak lança competição de DJs com Diplo como juiz

A-Trak revela ter sido responsável por introduzir Daft Punk a Kanye West 

Menina de nove anos se destaca cantando hit de Zedd em reality americano

Confira todos os vencedores do primeiro Electronic Music Awards

Exclusivo: DJ Marky fala sobre novos lançamentos e o que falta à cena brasileira

A-Trak lança competição de DJs com Diplo como juiz

No dia 7 de setembro, no Brooklyn, em Nova Iorque, o DJ e produtor A-Trak vai apresentar The Goldie Awards, uma competição para DJs e produtores organizada por ele mesmo.

São duas categorias para se inscrever: a DJ Battle, que irá julgar técnicas de turntablismo, e a Beat Battle, em que os competidores se enfrentarão com suas produções, em vez das habilidades nos decks. Os juízes da competição serão ninguém menos que Diplo, Destructo, DJ Craze, Mija, Mannie Fresh e The Whooligan.

As inscrições valem até 6 de agosto; basta postar um vídeo do seu trabalho no YouTube com a hashtag #GoldieAwards para concorrer.

O fato de A-Trak ter seu própria competição de DJs é simbólico, já que ele ficou mundialmente famoso após vencer o DMC, com apenas 15 anos de idade.