DJs geriátricos: veja como seriam seus artistas favoritos na velhice

Selecionamos 45 expoentes do cenário nacional pra entrar na brincadeira do FaceApp

Sim, nós também entramos na onda do FaceApp pra conferir como ficariam alguns dos expoentes do cenário eletrônico brasileiro depois de o tempo agir sobre eles, as rugas aparecerem e os cabelos descolorirem.

Como alguns dos DJs já tinham compartilhado suas próprias fotos envelhecidos nas suas redes, usamos essas que já tinham sido criadas (divulgadas na legenda como “Reprodução”), enquanto criamos várias outras.

O desafio agora é tentar não rir:

BÔNUS: DJ André Marques na terceira idade mandando aquele ao vivo!

Foto: FaceApp/Phouse
  • Patrocinado: Clique aqui para inscrever-se no Burn Residency 2019 e ter a oportunidade de alavancar a sua carreira.

Swedish House Mafia lança camisetas bizarras

Não tem como isso ser sério

Trollagem, autoironia, crítica social foda ou apenas extremo mau gosto? Ninguém entendeu bem o real objetivo, mas o fato é que o Swedish House Mafia colocou à venda duas camisetas novas do grupo que parecem ter sido feitas para uma banda de metal farofa dos anos 2000.

Vamos falar a real, não tem como isso ser sério. Vejam algumas das reações carinhosas dos fãs nas redes sociais:

“Poderiam apenas tentar lançar umas músicas novas? Obrigado.”
Músicas novas — Swedish House Mafia — Cancelar os shows e fazer merchan
“Parece produto pirata que um morador de rua tentaria vender na entrada de um show”
“Parece uma banda de metal kkkkkkkjjjj”
Precisamos salvar o mundo depois dessa monstruosidade
Esse a gente não precisa traduzir
“Demitam quem quer que tenha dito que essas camisetas ficaram bonitas”

Enquanto isso, o Swedish House Mafia segue falando pouco e se apresentando por alguns cantos do mundo. Clique aqui para ler mais notícias sobre o trio.

Programa de entrevistas do alter ego de Dillon Francis bomba no YouTube

Como DJ Hanzel, Dillon faz entrevistas debochadas com grandes nomes da cena eletrônica

Para Dillon Francis, ser “apenas” DJ e produtor seria um desperdício de talento, haja vista a vocação que o cara tem pra comédia. Por isso, natural que seu próprio programa humorístico de entrevistas no YouTube fizesse bastante sucesso. No chamado One Deeper Talks, apresentado por seu alter ego de sotaque alemão DJ Hanzel, ele questiona os convidados sobre seus trabalhos musicais e traz outras questões hilárias e nonsense, colocando alguns dos maiores nomes da cena eletrônica em saia justa.

Produzido pela TBS Digital, o programa é basicamente estruturado em entrevistas constrangedoras com DJs. A ideia surgiu em 2015, quando Hanzel entrevistou Dillon Francis. Sim, ele foi entrevistado por seu alter ego. Depois disso, em 2017 a série passou a ser produzida pela TBS.

Mais recentemente, depois de diversos episódios com vários grandes nomes da cena, como Alesso, muito zoado por seu perfil de modelo, Kaskade e Flosstradamus, Dillon — ou melhor, Hanzel — começou a compartilhar os “cortes do diretor”, versões maiores e com cenas inéditas de entrevistas previamente publicadas.

No último dia 17, saiu a versão mais longa da entrevista com o Calvin Harris, que é, sem dúvidas, uma das melhores. Entre deboches, análises de tweets antigos e momentos de vergonha alheia, Calvin é obrigado, por exemplo, a observar um bailarino em “posições desconfortáveis” enquanto é questionado sobre arte. No domingo, saiu a versão estendida com o Jauz. O único problema é que não há opção com legendas em português, então você tem que manjar legal do inglês pra conseguir curtir.

O programa do DJ Hanzel surgiu de uma brincadeira de Dillon em uma série de clipes em que ele interpreta um DJ chato com sotaque alemão. O personagem Hanzel é apaixonado por deep house e tem a língua afiada, daí o nome do programa. A piada ganhou representatividade quando Francis criou uma página oficial do DJ Hanzel no Twitter, e ele ainda se apresenta com o alter ego em eventos desde 2016.