Solomun voltará ao Brasil em novembro

DJ não se apresenta no país desde o final de 2018

Depois de um ano, o DJ bósnio Solomun voltará ao Brasil. O DJ se apresentará na ARCA — espaço cultural de São Paulo inaugurado em outubro, que recebeu recentemente edição do Circoloco —, no dia 19 de novembro.

O anúncio acaba de ser feito pelo Instagram de Luiz Eurico Klotz, sócio da ARCA e da Plusnetwork. Mais informações em breve.

ERRATA: Solomun completará um ano sem tocar no Brasil, e não dois, conforme escrevemos originalmente. As últimas gigs do artista no país foram no final de outubro, em showcases da sua Diynamic que rolaram no Warung e no Laroc.

+ CLIQUE AQUI para ler mais sobre o Solomun

“Sinto que conheço vocês melhor”; Hot Since 82 fala sobre o rolê no Brasil

DJ inglês conta à Phouse sobre o novo episódio da “Even Deeper”, gravado no nosso país

Hot Since 82 no Ame Club, durante passagem pelo Brasil. Foto: Alisson Demetrio/Divulgação

* Edição e revisão: Flávio Lerner

Fim de semana após fim de semana, nossos clubs recebem artistas internacionais acostumados a comandar as pistas dos principais eventos do globo. Alguns criam uma conexão realmente especial com o nosso país, especialmente aqueles que possuem a oportunidade de passar alguns dias por aqui.

Durante sua última tour pelo Brasil, Daley Padley, aka Hot Since 82, tocou em alguns dos clubs mais icônicos — Ame e Warung —, curtiu o Carnaval no Rio, gravou um set para a BE-AT.TV no coração de São Paulo, conheceu a Amazônia e produziu o terceiro episódio da série documental Even Deeper, que já havia registrado momentos de sua tour mundial no Japão e no México.

Aproveitamos o lançamento, feito ontem (23), para bater um papo especial com Daley, que comentou seu apreço pela natureza, detalhes da Even Deeper, sua passagem pelo Brasil e relacionamento com o público verde e amarelo. Confira a seguir:

O terceiro episódio da “Even Deeper” cobre a última tour brasileira do Hot Since 82

Nessa nova edição da Even Deeper, você fala sobre a importância de se conectar com o “mundo real” durante sua passagem pelo Brasil. Nosso país te inspira a fazer isso de que maneiras?

Bem, eu sou do norte do Reino Unido, onde tem bastante área verde e é uma região rodeada por campos e parques seguros. Acho que querer estar perto da natureza está no meu sangue. Meu trabalho permite que às vezes eu veja isso, então sempre que posso, estou perto da natureza.

Não conseguia pensar em outro lugar no mundo para gravar o próximo episódio da Even Deeper, senão o Brasil — o país onde está localizada a maior floresta do mundo. Foi lindo e sinto-me muito honrado por ter visitado.

A Even Deeper já passou por Japão e México anteriormente. Durante as gravações, o que você tirou de melhor em cada um desses países?

Aprendi que você nunca deve julgar um livro pela capa, sempre ter a mente aberta e sempre dar aos outros uma parte do seu tempo. Essa série me ajudou a crescer como pessoa. Ter visitado tantos lugares no mundo acabou sendo simplesmente um trabalho cheio de amor.

Como surgiu a ideia de criar a série?

Veio totalmente pelo desejo de compartilhar com o resto do mundo esses lindos lugares que visito. Minhas lembranças estão no meu coração, mas eu também posso mostrar aos outros minha vida e outras culturas, da comida às pessoas, as tradições e claro, a história e a cena clubber. É uma parte enorme de quem eu sou.

Nessa última tour, você teve a oportunidade de tocar no Brasil durante o Carnaval, uma das maiores e mais impressionantes festas do mundo. Como foi viver essa experiência?

Uau, foi fantástico! Pude riscar outro item da minha lista de desejos. Eu trouxe a chuva britânica comigo, mas ainda assim tivemos uma experiência incrível. Ver tantas pessoas nas ruas com suas famílias e seus amigos foi um espetáculo. Tanta música e sorrisos… Nós adoramos!

Tive a oportunidade de acompanhar sua última gig no Warung e fiquei surpreso por boa parte do set ter sido conectado ao techno, em vez do tech house melódico que tanto marcou suas produções. O que exatamente te levou a esse caminho?

Em todos os sets, gosto de focar na pista, e não nos estilos. Não quero ser rotulado, quero expressar como estou me sentindo naquele momento. É engraçado, porque eu não acho que toquei techno (risos). Só acho que estava discotecando com mais crueza. Foi uma gig especial, posso dizer isso. É um local épico e quando o sol aparece é incrível.

Quais lugares mais chamaram sua atenção durante essa passagem pelo país? Você conseguiu se conectar com o público de forma mais profunda?

A Amazônia, sem dúvidas. É um lugar que achei que nunca conseguiria visitar. Tirou nosso fôlego. Desde comer os peixes do rio local a ver os botos-cor-de-rosa nadando, pegar os jacarés selvagens no rio com nossas próprias mãos… Foi tão bom! É um lugar maravilhoso. Mas também é triste ver quanta poluição está devastando a floresta, o desmatamento ilegal… Essa parte realmente me deixa chateado.

+ CLIQUE AQUI para assistir ao episódio anterior da “Even Deeper”

Como você descreveria seu relacionamento com as pistas brasileiras após essa tour e essa edição da Even Deeper?

Sinto que conheço vocês muito mais. O que faz vocês dançarem, a comida que vocês mais gostam… Pequenas coisas que nunca soube. A próxima viagem será ainda mais épica.

Já existe outro país confirmado para o próximo episódio?

Há tantos que queremos visitar e documentar. Não é tão fácil como você pensa e é muito caro. Muito disso sai direto do meu bolso, mas é um trabalho feito com muito amor, e eu curto demais fazê-lo.

Alan Medeiros é colaborador da Phouse.

Novo álbum do Avicii terá ação de pré-lançamento em São Paulo

Capital paulista será uma das seis metrópoles em que fãs poderão se conectar para ouvir trechos do disco

Programado para o dia 06 de junho, TIM, o álbum póstumo do Avicii, terá uma grande ação promocional da Universal Music entre os dias 1º e 02 de junho, em seis metrópoles no mundo todo: Sydney, Tóquio, Estocolmo, Londres, Nova Iorque e São Paulo.

Por aqui, o evento vai rolar no Shopping Morumbi, na região do Brooklin paulista. Quem colar no shopping entre 10h e 22h do sábado (dia 1º) ou entre 14h e 20h do domingo (dia 02), vai se deparar com um cubo com uma plataforma iluminada dentro.

Quando ativada com a mão, a tecnologia vai encontrar uma das pessoas conectadas em outra cidade, e ambas poderão ouvir o mesmo trecho das músicas novas. O conceito da campanha é que a música do Avicii conecta pessoas em todo o planeta. Não está claro ainda, entretanto, quanto tempo cada um poderá permanecer dentro do cubo.

Foto: Divulgação

Confira os vídeos da campanha:

+ CLIQUE AQUI para ouvir as músicas já lançadas de “TIM”

Carnaval e música eletrônica: uma combinação perfeita?

A cada ano, a música eletrônica vai provando sua popularidade ao se infiltrar na mais brasileira das festas

* Por Danilo Bencke
* Edição e revisão: Flávio Lerner

Há tempos que as marchinhas de Carnaval estão fora de moda. Dançar com o dedinho para o alto ao som de “mamãe eu quero mamar” ou “a pipa do vovô não sobe mais” é definitivamente algo que os jovens não fazem hoje em dia. Durante um tempo, o axé preencheu esse espaço vazio deixado, mas isso parece estar mudando de novo.

Cada vez mais a música eletrônica vem ganhando espaço nessa época. O que começou como resistência, como o Festival Soulvision, que acontece esse ano em Altinopólis entre 1º e 05 de março, agora atinge diretamente o mainstream do Carnaval, os trios elétricos de Salvador. Entre eles, um bloco puxado por ninguém menos que o Major Lazer, além do Bloco Sollares, que neste ano trará FISHER e Chemical Surf.

+ 10 super dicas para um Carnaval com muita música eletrônica

Até aí nenhuma grande novidade, já que o próprio Alok já movimentou mais de 100 mil pessoas em um carnaval de rua em Curitiba, que contou também com ILLUSIONIZE e os DJs curitibanos Rafael Araújo e SoundCloup. É possível dizer que foi uma porta de entrada para esse tipo de eventos na cidade, que neste ano teve a CarnaVibe apresentando alguns dos melhores DJs do país, como Renato Ratier, Gustavo Motta, Gabriel Boni e Victor Ruiz.

As grandes capitais não estão de fora dessa onda. Na verdade, no Rio de Janeiro o carnaval eletrônico já virou tradição com o Rio Music Carnival, que neste ano chega a sua décima primeira edição, trazendo nomes de peso como DJ Snake, FISHER e CamelPhat, além dos super badalados Vintage Culture e Cat Dealers. São Paulo também não fica para trás, seja no Carnaval de rua, com blocos como o Unidos do BPM e o Frita Comigo, ou em eventos como o Ame Laroc Festival, que conta com os renomados produtores Dubfire, Hot Since 82 e Seth Troxler, entre muitos outros.

+ Alphabeat lança compilação para celebrar o Carnaval

Quem busca uma festa à beira-mar, com piscina e clima do verão, não pode deixar de aproveitar o Carnaval eletrônico 2019 do P12 Parador Internacional, na Praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis. Com eventos confirmados do Só Track Boa e Brazil Carnival, esse é um destino certo para os amantes da música eletrônica, que possui ainda nos arredores os super clubs Green Valley e Warung, que, como de costume, também possuem programação especial no feriado.

Todavia, não são apenas os eventos carnavalescos que estão cada vez mais voltando para o eletrônico; os grandes artistas pop do momento também estão mais envolvidos com a cena. Por exemplo, a grande artista pop do momento Anitta, já tinha feito uma parceria com o duo Tropkillaz em “Vai Malandra”, e agora repete a dose com “Bola Rebola”, além de outra parceria, desta vez com o duo Jetlag, em uma versão eletrônica da música “Zé do Caroço”. Até artistas exclusivos do axé, como o cantor Léo Santana, estão apostando na música eletrônica para o Carnaval. O artista fez uma parceria com a DJ Thascya em “Que seja com você”.

Em suma, o Carnaval eletrônico tem cada vez mais se espalhado pelo país e vem ganhando mais adeptos a cada ano. Seja nos grandes eventos ou com grandes artistas, a moda está começando a pegar. De fato, o sentimento da tradicional festa brasileira se funde bem com o velho conceito de PLUR (Peace, Love, Unity and Respect — paz, amor, unidade e respeito). Então, good vibes aos foliões da música eletrônica!

Danilo Bencke assina a coluna da AIMEC na Phouse.

Plusnetwork traz nova edição do Circoloco ao Brasil

Festa volta ao país depois de cinco anos

A Plusnetwork anunciou nessa segunda-feira o retorno ao Brasil de um dos rolês mais prestigiados de Ibiza: o Circoloco, famoso after de house e techno das segundas-feiras do DC10. Até este momento, poucos detalhes foram revelados para o público — entre eles, a data, 10 de maio, uma sexta-feira, e a cidade, São Paulo.

Em contato com a Phouse, entretanto, a Plus adiantou que o evento será na ARCA, novo espaço cultural da capital inaugurado em outubro, em antiga fábrica desativada da Vila Leopoldina. O projeto tem entre seus sócios Mario Sergio Albuquerque (Laroc/Ame) e Maurício Soares (ex-Plusnetwork), além de Andrea Galasso e Tatiana Aulicino.

No próximo dia 07, o lineup será revelado, enquanto a venda dos ingressos está prevista para abrir no dia 11.

A festa vem para vingar janeiro de 2017, quando uma edição chegou a ser anunciada no Brasil, mas acabou não saindo do papel. Em 2018, porém, rolou showcase da label no Warung, com Seth Troxler, The Martinez Brothers e Albuquerque, durante o Carnaval.

Em 2007 e 2013, também houve edições do Circoloco no Brasil — a primeira, novamente no Warung; a segunda, em tour que passou por The Week (Rio de Janeiro), D-EDGE, Warung e Magnolia Beach Club (Bahia), além de showcase no MOB Festival. Nomes como Seth Troxler, Maceo Plex e Tale of Us foram algumas das atrações.

* Flávio Lerner é editor da Phouse.

10 super dicas para um Carnaval com muita música eletrônica

Grandes astros nacionais e internacionais estarão espalhados pelo país

Com o Carnaval batendo à porta, demos uma revisada em nossas publicações anteriores e em mais alguns eventos bacanas que vão rolar neste ano. São tantas opções e tantas atrações de peso que foi difícil escolher apenas dez — sim, demos um “migué” pra incluir mais de um evento por tópico. Mas não é à toa, já que este, possivelmente, é o Carnaval brasileiro com mais opções para os fãs de música eletrônica dos últimos anos.

Duvida? Então saca só:

1 – Carnaval de Salvador

Alok doa cachê Pipoca do Alok
Foto: Alisson Demétrio/Reprodução

Começamos com uma das capitais desta que é a mais brasileira de todas as festas. Em Salvador, neste ano, teremos nada menos que o primeiro Bloco Sollares (com FISHER e Chemical Surf, no dia 05 de março; leia mais aqui) e trios elétricos puxados por Alok (em 02 de março, repetindo a experiência de 2018; leia mais aqui) e Major Lazer (que ainda contará com Tropkillaz e ÀTTØØXXÁ, também no dia 02; leia mais aqui).

Além deles, o sempre concorrido Camarote Salvador — que rola entre 28 de fevereiro e 05 de março — terá grandes atrações voltadas ao nosso universo, como DJ Snake, Diplo, Alok, Alan Walker, CamelPhat, Claptone, Steve Aoki, Mark Ursa, Chemical Surf, Goldfish, Gabriel Boni, André Pulse, Öwnboss, Camila Peixoto, Future Class, Bruno Be, Rafael Diafentaler, Anndrey Mansur, Zerb, Breno Rocha, Make U Sweat, Marina Diniz, Victor Lou, Kesia, Thiago Mansur, Cool Keedz e Old Boys.

2 – Carnaval Green Valley

Carnaval Green Valley
Foto: Diego Jarschel/Divulgação

O Green Valley nunca deixa de fazer a sua própria versão das principais datas comemorativas celebradas no país — e com o Carnaval obviamente não seria diferente. A casa de Camboriú vai abrir nos dias 02 e 04, trazendo 29 atrações nacionais e internacionais, de estilos variados.

Vintage Culture, Claptone e FISHER são os headliners neste ano, com outras atrações do naipe de LOthief, Volkoder, Gabriel Boni, Oliver Giacamoto, Devochka, Tube & Berger, Fabrício Peçanha, Ashibah, Skazi e Mandragora. Leia mais aqui.

3 – Sunflower 2019

Sunflower 2019
Foto: Divulgação

A terceira edição do “Carnaval do amor” retorna ao Mirante Beagá, em Belo Horizonte, no dia 03 de março. Alan Walker, FISHER, Vintage Culture, Bruno Be, Dubdogz, Groove Delight, LOthief e RDT são as atrações. Leia mais aqui.

4 – Blocos em São Paulo

Se São Paulo pode não ser a cidade mais tradicional em termos de Carnaval, em termos de música eletrônica ela está no topo. E com nada menos que 580 blocos programados para rolar pela capital, destacamos de uma só vez alguns dos principais, que trazem grandes DJs no comando do som.

Pela primeira vez com um trio elétrico próprio, o Unidos do BPM vai partir da Praça da Sé, às 16h do dia 02 de março, com Tessuto, Ella De Vuono, Paco Talocchi, DJ Mau Mau e Rafael Moraes. Haverá ainda nova edição do Unidos em Brasília (leia mais aqui).

Outro já tradicional bloco da capital é o D.RRETE, do D-EDGE, que vai receber, entre os dias 03 e 05, nomes como Alex Justino, BLANCAh, Andre Salata e Renato Ratier. Nos três dias, a partir das 21h, o clube recebe os clubbers foliões com atrações de peso — como Afrika Bambaataa, Lewis Fautzi e B.Traits — em seus afters (leia mais aqui).

Quem também está organizando seus rolês pela cidade é o DJ Dre Guazzelli, que comanda dois blocos no Carnaval paulistano: o Bloco Dre Carnaval, que sai da Avenida Faria Lima com a Rua Ministro Jesuíno Cardoso no dia 04 de março, a partir das 14h, em parceria com a Riachuelo e com participação do trio Seja Você, Seja Feliz (usado por diversos artistas em Salvador) e do Gabriel Boni (leia mais aqui); e o do dia 09 de março, quando o Carnaval já dá uma baixada na poeira, e Dre se apresenta com o Bloco Dre Tarde — a versão carnavalesca da sua festa Sábado Dre Tarde.

A reunião começa às 15h, na frente do bar Pirajá (também na Faria Lima), e às 17h o bloco começa sua andança em direção ao Largo da Batata. Desta vez, o DJ se apresenta em formato “all day long”, acompanho por Salazar no Sax, Cleyton no violino e Kafé no vocal (leia mais aqui).

“Quero fazer com que meus blocos tragam momentos de muita felicidade e desperte os melhores sentimentos nas pessoas que vão curtir meu som. Paz, amor e muita música! Preparem-se!”, declarou o DJ. “Vamos amar sem rotular. Vamos espalhar sorrisos. Vamos nos divertir. Separe sua fantasia, leve consigo toda sua alegria e curta os nossos blocos com responsabilidade.”

5 – Ame Laroc Festival

Laroc Ame
Foto: Divulgação

O maior clube de música eletrônica de Valinhos e seu recém-nascido irmão techneiro juntam-se no primeiro Ame Laroc Festival, que rola durante três dias — 02, 03 e 04 de março —, com passagem pelas duas casas e mais de 30 atrações.

Os headliners são Alan Walker, CamelPhat, Diplo, DJ Snake, Dubfire, Hot Since 82 e Seth Troxler, mas ainda há diversos nomes nacionais, entre mainstream e underground, escalados. Leia mais aqui.

6 – Carnaval Warung 2019

Foto: Ebraim Martini/Divulgação

A exemplo do Green Valley, o Warung também vai soltar a folia nos dias 02 e 04 de março. No dia 02, a pista Inside será comandada por Dubfire, que ainda traz o parceiro de SCI + TEC, o DJ Lancaster, além dos brasileiros Boghosian e Fran Bortolossi. Já a pista Garden terá assinatura do selo espanhol Rumors, de Guy Gerber. O próprio Gerber comandará o espaço, junto com Lauren Lane, Bill Patrick, Leozinho e Conti&Mandy.

No dia 04, Hot Since 82, B.Traits, Renato Ratier e Mezomo tomam conta do Inside, enquanto Seth Troxler, Dyed Soundorom (membro do Apollonia) e Albuquerque ficam encarregados pela assinatura sonora do Garden (que desta vez leva a curadoria do selo catalão Brunch in the Park).

7 – Rio Music Carnival

Rio Music Carnival 2018
Foto: Allan Vilela/Divulgação

Obviamente o Rio de Janeiro não poderia ficar de fora dessa lista. Repetindo o feito dos últimos anos — mas agora desvinculado do BRMC —, o Rio Music Carnival traz, entre os dias 1º e 05 de março, na Marina da Glória, DJ Snake, CamelPhat, FISHER, Cat Dealers, Vintage Culture, Barja, Gabriel Boni, KVSH, ILLUSIONIZE, Gabe, FTampa, Ghostt e o Dennis DJ como headliners. Confira a programação completa:

1º de março: Vintage Culture, Chemical Surf, RDT, Meca

02 de março: Love Sessions com Barja, FTAMPA, Gabe, Gabriel Boni, Ghostt, ILLUSIONIZE e KVSH.

03 de março: Baile do Dennis com Dennis DJ, Kevin o Chris, MC G15, Delano, Neblina e Buchecha

04 de março: DJ Snake, GoldFish, Pontifexx, Dubdogz e DaKid

05 de março: Rio Me com FISHER,  CamelPhat, Cat Dealers e Leo Janeiro

8 – Bloco do Tropkillaz

Bloco do Tropkillaz
Foto: Reprodução

Ainda no Rio, o Tropkillaz também comandará seu próprio bloco. O chamado “Bloco do Tropkillaz: Bola, Rebola” vai partir dos pilotis e jardins do Museu de Arte Moderna da capital no dia 04 de março.

Omulu, Heavt Baile, Batekoo & Deize Tigrona, Wobble DJs (Marginal Men B2B Rodrigo S), Diana Bouth, M$E & JXNVS, Digital Dubs, Glau, Bia Marques, DJ Molla, TSFN e Totonete são as atrações já reveladas. Leia mais aqui.

9 – Fields Eletro Carnival

Foto: Reprodução

A Fields, no centro de Florianópolis, terá três dias de festa para celebrar este Carnaval, sendo que o primeiro, em 1º de março, será 100% voltado à música eletrônica. A label Fields Eletro Carnival traz grandes nomes nacionais em seu line: DJ Glen, Fabrício Peçanha, Bruno Furlan e Juliano Machado. A casa abre às 23h.

10 – DJ Snake no P12

DJ Snake no Carnaval
Foto: Reprodução

Snake, como você já tinha lido aqui, é uma das super atrações deste Carnaval brasileiro. Além dos rolês citados acima, o astro francês também é o headliner da festa no Parador 12, dia 03 de março. Os DJs Dyve, André Maran, Pinho Menezes e Du Oliveira completam o lineup da casa de Jurerê Internacional, que funciona das 11h às 22h.

São Paulo comemora Dia da Música Eletrônica com semana de atividades

Cinco dias repletos de festas, workshops, palestras, filmes e fotografias

Pouca gente sabe, mas o último domingo de setembro é oficialmente o “Dia da Música Eletrônica” em São Paulo. A data foi instituída em 2005 pela vereadora Soninha Francine (PPS), mas nunca chegou a ter uma celebração à altura. Desta vez, porém, será diferente.

Com uma semana repleta de atividades, a capital paulista terá uma grande semana de atividades relacionadas à cultura eletrônica, entre o dias 23 e 24 e 28 e 30 de setembro. A programação foi organizada por Claudia Assef, a convite da própria Soninha, com apoio da Secretaria de Cultura de São Paulo, e inclui festas, mostras de filmes e fotografias, workshops e exposição de fotos.

Em seu blog, Claudia explica que a ideia surgiu a partir da festa que fez na cidade em 2017, para comemorar o lançamento da nova versão do seu livro Todo DJ Já Sambou. “Foram várias indas e vindas desde janeiro, e finalmente uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil foi aprovada para a relaização dos eventos”, conta. “Assim, criamos cinco eventos pensados com o intuito de gerar um buzz muito forte e enaltecer a importância e relevância de uma cultura importantíssima nesta cidade, mas que até ontem era tratada (e de certa forma ainda é) como coisa de gente drogada e/ou desocupada.”

+ RELEMBRE: Claudia Assef confirma nova edição de “Todo DJ Já Sambou”

O dia 30 fecha tudo com uma festa no Largo da Batata, que traz um “lineup histórico formado pelos melhores e mais importantes DJs de São Paulo, num recorte amplo e democrático que contempla ícones e expoentes da nova geração da cena”, segundo o release do evento.

Seja para palestrar ou para discotecar, nomes como Seu Osvaldo, Sonia AbreuL_cio, Phillipi (Fatnotronic), Mari Herzer, Gui Scott (Gop Tun), Renato Cohen, DJ Mau Mau e Anderson Noise participam da programação, que você confere na íntegra abaixo:

A entrada em todos os rolês é franca. Você pode conferir mais detalhes no evento do Facebook.

Falta de estrutura impede DJs de tocar na Virada Cultural

Realizada entre os dias 20 e 21 de maio, a Virada Cultural, em São Paulo, contou com problemas de montagem de palco, impedindo os DJs de soul music Talco Bells de se apresentar.

Segundo informações da Folha de S.Paulo, os artistas não puderam tocar no Coreto da Bolsa de Valores, na praça Antônio Prado, por não haver estrutura adequada montada.

Ainda de acordo com a Folha, os DJs foram escalados para tocar em outro local, na marquise do prédio da Balsa.

A Secretaria Municipal de Cultura informou ao veículo que houve atraso na montagem do palco e que a atração marcada para se apresentar após o Talco Bells ocorreu normalmente.

Senhoras e senhores, houve um problema de comunicação da Prefeitura que não montou a estrutura com os equipamentos…

Posted by Talco Bells on Saturday, May 20, 2017

Faça parte da maior plataforma de música eletrônica do Brasil! Curta nossa página no Facebookinscreva-se em nossa newsletter.

REVIEW: DGTL São Paulo, uma noite inesquecível

O DGTL chegou em São Paulo fazendo história. É difícil colocar em palavras o que foi a noite do último sábado (6). Dizer que foi como uma viagem a um novo universo talvez ajude a resumir a esfera que esse festival criou. Conhecido por seu florear artístico, que conecta a inovação moderna à nostalgia industrial, o DGTL é hoje um dos mais conhecidos festivais de techno da Europa e do mundo. Acontece em Amsterdã, Barcelona e agora no Brasil.

A imagem pode conter: noite e show

O que rolou em São Paulo foi inesquecível. Como diz o próprio festival, através da música, arte e produção, o evento consegue cumprir seu objetivo de manter o público sempre na sede por mais, proporcionando uma sensação inspiradora, cheia de descobertas e surpresas. Uma experiência única.

A imagem pode conter: 3 pessoas, multidão (Foto do DGTL /Facebook)

Sua preocupação em mesclar os maiores nomes da arte, da música e as melhores tecnologias dentro de um espaço inovador e industrial foi perfeitamente concluída. Começando pelo local — uma fabrica abandonada que possui historia desde 1950 —, a chamada Fábrica DGTL foi o lugar perfeito, como eles já haviam antecipado:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

“A Fábrica DGTL é um gigantesco complexo de galpões que já abrigaram diversos tipos de fábricas. Espaçoso, com uma arquitetura bruta e atmosfera industrial, é o lugar ideal para receber não apenas alguns dos melhores artistas do planeta como para exibir as instalações e projetos artísticos que fazem parte do festival” — DGTL Festival (Site).

Para o DGTL, projetos culturais e artísticos possuem um papel muito importante na sua proposta de envolver e engajar seus visitantes. Por isso, durante o evento, várias instalações de arte foram vistas. A de Muti Randolph buscava observar as relações entre linhas que se sobrepõem no espaço. À medida que as pessoas iam caminhando, as sobreposições iam mudando.

A imagem pode conter: área interna

Modular Dreams, da dupla Priscilla Cesarino e Danilo Barros, era uma parede mapeada digitalmente com projeções ao vivo. A Sala 28, formada pelo duo paulistano Junior Costa Carvalho e Rodrigo Machado, foi responsável por dois projetos: o do corredor luminoso e o do palco Modular, onde foram utilizados 180 metros de LED digital, controlados pixel a pixel por meio de um software áudio reativo desenvolvido pelo próprio estúdio. As luzes eram projetadas por meio de quatro espelhos motorizados em constante movimento.

A imagem pode conter: noite e atividades ao ar livre(Modular Dreams – foto do DGTL/Facebook)

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e área interna (Corredor de LED’s feito pelo projeto da Sala 28)

Foram três palcos muito bem localizados: o Modular, o Generator e o Frequency, que alimentaram o evento com muita música boa durante as quatorze horas de festival, sem nenhuma interferência de som. Da entrada, o palco mais próximo era o Modular, que contou com um design incrivelmente lindo, todo de LED, como citado, trazendo como primeira impressão uma sensação de dimensão e profundidade sem igual. Era realmente apaixonante olhar a estrutura. Uma grande viagem hipnotizante admirar toda aquela dimensão de lâmpadas de LED.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

“No palco Modular não era apenas ouvir a música, era conectar-se com o lugar!” – Michelly Pomini (Participante do Evento)

O palco Generator conteve painéis de LED e o maior atrativo foi a iluminação da pista. Várias fileiras de luz foram dispostas, com diversas configurações durante todo seu funcionamento, trazendo um aspecto de iluminação bem diferente ao público.

Já quem gosta de um ambiente aberto, gostou do Frequency — um palco decorado com madeira e folhas, formando um ambiente bem natureza, criado por Beto Tancredi. Entre grandes árvores e por cima de um gramado, contou com uma decoração natural e três “arquibancadas” de acesso livre ao público, para diferentes perspectivas: uma atrás do palco e duas em suas laterais. Todas as árvores foram iluminadas, e durante alguns momentos eram inclusive sincronizadas com o som da pista.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão, noite e atividades ao ar livre

“O palco Frequency foi bem diferente dos outros, principalmente na questão da música em si. Passei horas lá sem conseguir sair, o som estava maravilhoso, cativou todas a pessoas presentes. O ambiente estava lindo, o público sensacional e os DJs estavam ARREBENTANDO” — Arthur Peixoto (Participante do Evento).

O que mais admirei em todo o planejamento foi a preocupação do festival com alguns detalhes, os quais fizeram toda a diferença. Primeiro no seu engajamento: a cada semana um vídeo novo era publicado nas redes sociais, gerando expectativa e chamando atenção. Essa proximidade com o público, o suspense e a interação foram fundamentais — inclusive na parte de deixar cada detalhe do evento devidamente explicado.

Além disso, uma das propostas do DGTL é ter um impacto sustentável no universo dos festivais. Conscientes do impacto social e ambiental que possuem, trabalham com parceiros para espalhar essas mensagens cada vez mais. O festival trouxe, por exemplo, o seu conceito dos copos e garrafas não descartáveis: você comprava um copo personalizado por quatro reais e o reutilizava, evitando o descarte. No final, se você quisesse o seu dinheiro de volta, era só devolvê-lo.

As garrafas custavam quatro reais a mais no preço da água, na segunda, ao devolve-la ao bar você não pagava novamente. Esquema semelhante foi visto com os cartões do sistema cashless, que tem se feito cada vez mais presente nos festivais. O cartão custava cinco reais.

A estrutura, enfim, foi perfeitamente planejada. A quantidade de bares foi suficiente e a de caixas também, principalmente por causa dos caixas moveis. Embora houvesse nove mil pessoas, a demanda foi muito bem atendida, os atendimentos foram rápidos e tudo em ordem. Uma grande quantidade de banheiros foi disponibilizada, tanto químicos quanto em contêineres, com espelho e até mesmo pias. Mas poderiam ter sido do lado de fora para evitar o mau cheiro.

A imagem pode conter: noite e área interna

Um fato me surpreendeu. Na área de alimentação havia três food trucks, porém todos veganos. É muito difícil ver em grandes festivais opções vegetarianas e principalmente veganas. Pela primeira vez em um festival no Brasil o público vegetariano foi privilegiado — com direito a barraca de batata frita, pra quem se perdeu nas opções.

“Quando percebi que a comida da barraca era vegetariana fiquei feliz demais! Eu me senti muito realizada. Não só por me ver representada no evento, mas por ele ter ideologia sustentável.” – Lorena Camargo (Participante do Evento)

O cardápio foi variado: batatas fritas com molho e um topping de sua escolha (como bacon de soja); tacos mexicanos com salada de repolho, guacamole e pimenta; hambúrgueres de tofu, de feijão vermelho ou de shitake, entre vários outros ingredientes, a vinte reais; e falafel no pão sírio ou na folha de couve, por dezoito reais.

A imagem pode conter: 2 pessoas, noite

A parte difícil chega quando tento citar o melhor set da noite, o que obviamente é impossível. Foram quatorze horas repletas de grandes nomes, tanto nacionais quanto internacionais, que trouxeram em três palcos diferentes perspectivas do nosso amado techno, em diferentes proporções de emoção, amor e vibração pela música. Foi encantador — uma honra e um prazer — poder presenciar tantos nomes incríveis juntos no DGTL; foi arrepiante da cabeça aos pés.

Carol Mattos fez corações palpitarem de emoção no palco Modular. Juntando a emoção de se viver um dia histórico à energia do seu set e ao cenário hipnotizante, nada poderia ter sido mais perfeito.

A imagem pode conter: noite (Patrice Bäumel tocando no palco Modular)

Tati Pimont aqueceu muito bem a sua pista, que aguardava pelo espetáculo do Teto Preto, um show que reuniu diversos fãs e que surpreendeu a muitos com sua apresentação intensa e única, envolvendo também um show corporal por parte da vocalista Laura Diaz e do dançarino Loic Koutana. Como sempre, Teto Preto fazendo um show fora da caixa.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e noite

“A todos aqueles que disseram não ir cedo para o DGTL, sinto muito, mas perderam a identidade incrivelmente poderosa do expoente da cena de Techno paulista do Teto Preto, um live instrumental arrasador misturado com performances de cair o queixo!” – Gustavo Binembaum (Participante do Evento)

A grande Eli Iwasa, por sua vez, mais uma vez deixou a pista sem palavras. Trouxe tudo do bom e do melhor durante suas duas horas de set que pré-aqueceram nossas mentes ao Patrice Bäumel, que verdadeiramente deu um show no Modular! Um show intenso do começo ao fim.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas no palco e show

Tama Sumo em seu b2b com Lakuti fez um set de três horas muito bem construído, alternando bem as tracks e fazendo a pista toda dançar sem parar por um instante. Apparat conseguiu administrar muito bem seu set mantendo o estilo do Patrice no começo e aos poucos introduzindo seu ar mais alternativo e melodico até entregar a pista ao Mind Against. Encerrou com chave de ouro tocando três tracks que fizeram a pista ir aos céus.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado, barba e área interna

“Apparat veio numa pegada bem diferente dos outros djs, o que me agradou muito. Teve breakdown, downtempo, techno, o cara conhece demais!” – Melanie Havens (Participante do Evento)

Sobre o Mind Against, o dia que eu conseguir explicar para mim mesma o que foi aquele set, eu conto para vocês. Estou até agora tentando entender o que eu ouvi, um verdadeiro espetáculo dessa dupla que realmente fez todo mundo se emocionar.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Carl Craig, o rei do techno de Detroit, lotou o Generator de gente até não poder mais. Ninguém conseguiu ficar parado e todos fizeram o máximo para ver todo o seu set bem de pertinho. De fato fez historia — principalmente quanto tocou “Sweet Dreams”.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado

“O que esse cara fez foi indescritível, não é a toa que é o rei de Detroit. Em todas as tracks a galera ia à loucura, principalmente quando ele tocou ‘Wings‘ do Armand Van Helden, que tem um vocal super antigo da música ‘I won’t let you down’ de Ph.D. Craig soube comandar a pista e fazer todos dançarem sem parar. Para mim foi o melhor da noite.” – Melanie Havens (Participante do Evento)

Derrick May, não preciso nem dizer, foi um sucesso. Fez um set sensacional, que junto com toda aquela iluminação segurou a pista até o fim. Para muitos, foi bem difícil sair de lá para ver o Recondite.

“Derrick May foi sem duvidas, para mim, o nome da noite! Trazendo para nós aquele pedacinho de Detroit em seu Techno industrialmente inconfundível e mixagens de tirar o folego.” – Gustavo Binembaum (Participante do Evento)

Agora, Recondite é Recondite, não tinha como perder. Quem conseguiu e saiu do Derrick May para ver o careca botar para quebrar, provavelmente não se arrependeu. Resultado? Não está escrito no céu o que foi essa live. O produtor colocou a pista no chão e levou as mentes para o espaço. Um live impecável, imperdível e memorável.

A imagem pode conter: 1 pessoa, noite

“Seu live foi porrada do começo ao fim, transições perfeitas e tracks impressionantes que deixaram todos de queixo caído. Quando ele tocou Phalanx (minha track favorita) só faltou eu pular a grade para beijar sua careca, ele superou todas as minhas expectativas junto com DGTL.” – Diego Freitas (Participante do Evento)

Vril foi mais um que trouxe ao público do Generator um live de responsabilidade. Dividiu seu horário com Âme, que também não tem nem o que comentar. Âme deu vida ao amanhecer de domingo com suas tracks melódicas e ao mesmo tempo intensas, do jeitinho que seus fãs gostam. Foi um belo começo de manhã.

A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna

“O live do Vril foi de longe um dos momentos mais marcantes da noite de sábado, ele conseguiu superar toda e qualquer expectativa que eu tinha. Ele conseguiu dominar a pista e levar a galera à loucura a cada track que ele virava mixada com outra e essa mistura sempre resultava em algo extremamente impactante! Fui surpreendida, mal posso esperar para ver ele denovo!” – Jéssika Rodrigues (Participante do Evento)

Ryan Elliott, Speedy J e Davis parecem ter finalizado as três pistas da melhor maneira possível. Para quem conseguiu escolher em qual dos três palcos encerrar a noite, meus parabéns, porque realmente foi difícil.

A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco, show e área interna

“Transitando do techno ao house com extrema técnica e maestria, com ênfase na house music, Ryan Elliott mostrou para o que veio. Foi uma finaleira digna de um palco tão bonito quanto foi o Frequency. Ryan resgatou tracks clássicas difíceis de serem tocadas nos dias de hoje e ao mesmo tempo mesclou com novas, o resultado foi de um set impecável. A emoção do americano foi tão grande que acabou tocando 1 hora a mais do que o esperado com um grande sorriso no rosto e de alma lavada.” – Lucas Lifschitz (Participante do Evento)

Em suma, apesar de não estar cem por cento expresso em palavras o que foi realmente a sensação de vivenciar essa experiência, é fundamental encerrar parabenizando todos os responsáveis e organizadores do DGTL São Paulo por toda a produção e organização do evento. O festival foi realmente indescritível e muito bem articulado do começo ao fim. O lineup foi montado de uma maneira preciosa com grandes produtores do mundo todo.

“Meses de espera nunca valeram tanto a pena. Um festival em que sua essência foi a fusão de uma organização europeia de ponta ao som de um techno vibrante que cada vez mais conquista nossos corações.” – Gustavo Binembaum (Participante do Evento)

Acredito que o evento tenha alcançado a expectativa da maioria de seus participantes, e isso não é algo fácil de fazer. Por isso, os parabéns, e que tenha uma vida longa no Brasil, pois o público aguarda ansioso uma próxima edição. Vai ser difícil alguma festa superar tão cedo a sensação e a experiência que o DGTL nos trouxe.

LEIA TAMBÉM:

Como foi o primeiro Dekmantel em São Paulo

Warung Day Festival 2017: um dia inesquecível

Lúdico, subversivo e impactante: conheça o universo de Carlos Capslock

Capitaneado por Seth Troxler, o Boiler Room volta ao Nordeste brazuca

Como a crise e as mudanças de mercado geraram um novo perfil de festivais no Brasil

Shows do Disclosure com 50% de desconto

Como você já viu aqui na Phouse, o duo britânico Disclosure virá ao Brasil para duas apresentações exclusivas que acontecerão dia 30 de setembro no Rio de Janeiro (Metropolitan) e dia 2 de outubro em São Paulo (Citibank Hall).

Caso você tenha interesse em ir, mas ainda não pôde comprar seu ingresso porque está meio apertado de grana, nós temos uma solução. Falamos com a galera da T4F e eles liberaram um desconto especial de 50% para os nossos fãs. Para aproveitar a oportunidade é só acessar os links de venda:

30 de setembro – Rio de Janeiro (Metropolitan)

2 de outubro – São Paulo (Citibank Hall)

“Desconto válido para compra de ingressos inteiros no setor Pista, somente no site ticketsforfun.com.br. Promoção não cumulativa com meia-entrada e outros descontos promocionais. Sujeito à disponibilidade de ingressos.” – T4F

DJ Memê realizará Workshop de Produção em Curitiba e São Paulo

DJ Memê, depois de comandar um Workshop focado em remixes, no Amsterdam Dance Event (ADE), no ano passado, e realizar a primeira edição do Workshop de Produção de Musica Eletrônica, no Rio, realizará suas próximas edições do Workshop de produção em Curitiba e São Paulo. O evento, que é um marco na cena nacional, é uma oportunidade única de aprofundar conhecimentos e técnicas. Memê promete em cada edição, montar um Dream Team com grandes nomes do mercado. Produtores com anos de conhecimento e prática em produção de música eletrônica, que ainda estão na ativa e que continuam a percorrer a estrada do sucesso.

Além de ser produtor musical premiado, pioneiro na arte de fazer remixes no Brasil e ícone da House Music nacional, Memê produziu discos que marcaram o país. Sua história na música é extensa e impressionante, ele é autor do primeiro sucesso de Shakira, segundo a revista americana Billboard. Ele também trabalhou com Mariah Carey, Des’ree, Gloria Estefan, Dido, Toni Braxton, entre outras estrelas. Além disso, sua música “Chanson Du Soleil” virou febre nas pistas do mundo todo e consolidou a sua carreira internacionalmente, com tours pela Europa e Ásia. Com essa história marcante, ele está levando toda sua experiência para uma série de Workshops pelo Brasil, ao lado de convidados ilustres, que estão despontando com suas atuais produções e técnicas infalíveis de estúdio.

O próximo convidado para o Workshop de Curitiba é o garoto prodígio Volkoder, que conquistou o mundo com suas produções de alto nível, o jovem tem assinado com grandes gravadoras como Hot Creations, Toolroom e Suara, e ainda está com uma agenda repleta de shows pelo Brasil e pelo mundo. Além de tudo isso, ele ainda conquistou recentemente o prêmio do RMC, com a música do ano “Sensantion”.

Outro convidado que tem feito trabalhos de destaque é Bernardo Novaes. Com o seu sólido conhecimento em masterização e a experiência de ter importantes gravadoras em seu portfolio, como Universal Music, Revealed, Ultra, Door Records, Spinnin’, o mestre da master trará dicas de ouro para os participantes.

Como atração exclusiva para o encontro de São Paulo, Memê traz o artista que foi considerado pela gravadora inglesa Toolroom como um dos embaixadores da musica eletrônica no Brasil, Antônio Eudi. Ele também acumula diversos prêmios de respeito como: Melhor Música do Ano de 2013, pelo renomado Rio Music Conference e Melhor Produtor de House Music do país, pela revista DJ SOUND, no ano de 2014. Suas musicas já foram lançadas por diversas gravadoras ao redor do globo como Defected, Toolroom, Warung, Armada, Dessous, Incorrect, 303 lovers, Go Deeva, Stereo, Urbana, e tocadas por ícones mundiais como Carl Cox, Mark Knight, Roger Sanchez, entre outros.

A cena eletrônica nacional vive um grande momento, com novos DJs, produtores, agências e festivais. A cada dia, o mercado, como um todo, precisa de aprimoramentos e da eterna busca pela profissionalização. São essas atitudes que fazem com que a cena progrida. O Workshop contará com técnicas de produção, histórias pessoais e discussões sobre o mercado, tanto brasileiro, quanto internacional. O evento acontecerá no dia 19 de maio, em Curitiba, no Hotel Pestana e dia 26 de maio, em São Paulo, no Hotel Pestana, com direito a coffee break e muito networking. As vagas são limitadas para 70 pessoas e as entradas já estão disponíveis para compra. Abaixo está o link com todas as informações.

Curitiba – 19 de Maio: http://bit.ly/Workshop-Meme-Curitiba

São Paulo – 26 de Maio: http://bit.ly/Workshop-Meme-SaoPaulo

Workshop de Produção de Música Eletrônica

Steve Aoki se apresentará no Estádio do Maracanã durante o Carnaval

Estados como Santa Catarina, Bahia, São Paulo e Rio estão confirmados para receber a tour do DJ/Produtor norte-americano Steve Aoki.

No Rio, o astro  da EDM se apresentará no Estádio do Maracanã, junto a outros grandes nomes do cenário nacional, ao exemplo da dupla Chemical Surf. Em Florianópolis, sua passagem é garantida pelo Music Park, onde se apresentará ao lado do lendário Fatboy Slim. Já na Bahia, o “japa” retorna ao Camarote Salvador, onde já se apresentou em 2014 com artistas como Armin Van Buuren, Nervo e Dimitri Vegas & Like Mike. Além de Aoki, o Camarote Salvador neste ano contará também com nomes como Hardwell, Axwell, Pete Tha Zouk, Kolombo, Bakermat e Vintage Culture. Em São Paulo, o DJ se apresentará em Guarujá, no Kaballah On The Beach.

Para ir aquecendo, reviva o set do Steve Aoki no Tomorrowland Brasil 2015:

Warung Day Party aterrissará em São Paulo neste mês

O Warung Beach Club, intitulado como Templo da Música Eletrônica, por ser o mais conceituado e vanguardista beach club do mundo, chega à São Paulo com sua turnê Warung Day Party. Será no dia 26 de setembro, a partir das 12h, em um dos jardins mais exclusivos da cidade, o Golf Club Transamérica. No line-up o DJ e produtor Phonique fenômeno mundial da deep house e colecionador de inúmeras premiações assumirá as pick-ups. O alemão vem a São Paulo para afirmar seu titulo dos mais aclamados pelo público, e agitará a pista com sua batida feita com muita apuração e técnica.

Do velho continente quem também desembarca no país direto para o evento é Mattias Tanzmann residente do club DC-10, um dos mais animados de Ibiza. Da cena nacional cuidarão das pick-ups os conceituados DJs Junior C, Renato Ratier, Gabe, Oliver Giacomotto, Du Serena, Edu Poppo , Hot Bullet, Rapha Fernandez e Diogo Accioly.

Line-up:
Matthias Tanzmann
Phonique
Olivier Giacomotto
Renato Ratier
Gabe
Junior C.

Du Serena 

Edu Poppo 

Hot Bullet

Rapha Fernandez 

Diogo Accioly

Maior edição regional, RMC São Paulo conta com workshops, palestras e festas

RMC SAO PAULO

Um dos importantes eventos do Brasil, o RMC chega a São Paulo com sua maior edição regional que pretende discutir o cenário da musica eletrônica em solo nacional, englobando palestras, workshops e shows. Os encontros pela maior cidade do Brasil serão feitos entre os dias 10 e 13 de dezembro, no Centro da Cultura Judaica.

A programação está dividida em três etapas: A conferência, o Club Week e a Pour Les Mis. A Phouse vai te explicar o que é feito em cada um:

Conferência: A parte de discussão do mercado da música eletrônica, entretenimento e cultura serão abordados nas conferências, que contarão com palestras, workshops e Speed Coaching com artistas relevantes da cena nacional e internacional. Levando aos interessados informações aprofundadas sobre o atual cenário EDM do Brasil e do mundo.

Club Week: Além das palestras, workshops e encontros com pessoas ligadas ao mundo da Dance Music, também ocorrerão festas nas melhores casas da cidade. A parceria do RMC com os clubs darão vantagens ao público durante a semana que acontece o evento. As baladas e bares participantes são: Clash Club, Anzu, Club 88, Club 33, Disco, Madame, D-Edge, Dj Club, Lions Night, Mono Bar, Rivieira e Alberta #3.

Pour Les Mis: No dia 13, último dia dos trabalhos do RMC por São Paulo, o encerramento será na festa Pour Les Mis, que tem as atrações: Caio T x TYV, Mauricio Gatto x Angelo Fracalanza, Volkoder, Elekfantz, Vintage Culture, DJ Mau Mau, Gaturamo e Rogerio Soldera.

Além de São Paulo, o RMC já teve edições nos mais importantes polos do Brasil, como Curitiba, Manaus, Belém, Recife e Brasília. Desde 2009, a música eletrônica vem sendo discutida como negócio, arte e capacitação. A edição principal é sediada no Rio de Janeiro no período de Carnaval.

Dimitri Vegas & Like Mike confirmados em São Paulo

dimitri-vegas-like-mike-tomorrowland

O duo Dimitri Vegas & Like Mike desembarcará em São Paulo, no Audio Club, no próximo dia 14 de novembro. Os organizadores da Entourage e Industria E comercializarão três mil entradas para o público na capital paulista.

Os residentes do Tomorrowland ficaram na segunda posição do ranking da revista inglesa DJ Mag e, atualmente, são um dos projetos mais procurados do mundo.

Além de São Paulo, os belgas também estarão no Dream Valley festival, onde são os artistas mais aguardados do evento, que acontece no parque temático Beto Carreiro World. Abaixo fique com a apresentação dos irmãos no mainstage de Boom:

Phouse Indica: Cheb’ Five

ChebsO Phouse Indica desta semana vai para o produtor de Cheb’ Five, de São Paulo. Felipe Chebib, o cara por trás do projeto, tem origem árabe e atua como produtor musical desde 2008. Sua nova track, “Disarming”, foi lançada por um dos maiores portais de track do mundo, o EDM.com. O estilo é Future Electro.

Em sua trajetória realizou collabs e remixes com Marco Hanna, Neologic, Jano (México), entre outros. Além disso, teve sua música intitulada “Right There”, lançada em um álbum, vendido em lojas de todo o Brasil. Seu remix para a música “Legends”, do brasileiro Has!, entrou no top 100 pela loja Beatport. Apresentou-se em alguns dos melhores eventos de diversos estados brasileiros, como Ono Teatro (PR), Sunset Day Party (MG) e Deep Forest (RS).

Abaixo você pode conferir um pouco do trabalho de Cheb’ Five com a track “Disarming” e seu podcast “Five 5station”:

Danny Ávila recusa a se apresentar em São Paulo

danny avila

No último sábado, aconteceu a festa Kaballah Showcase, no Skol Beats Factory, em São Paulo. O evento contou com line-up de peso, incluindo nomes como Danny Ávila, E-Cologyk, Thomas Krauze e A Liga. Mas, a maior atração, o espanhol Danny Ávila recusou se apresentar e, segundo seu manager, o público não satisfez às expectativas do produtor, por isso o cancelamento. Já Tomas Krauze e E-Cologyk não viram problemas com a pouca quantidade de público presente, e fizeram suas belas performances. A Liga também não se apresentou.

Danny teria que se apresentar às 2h, mas com o cancelamento de sua apresentação, a festa teve que ser encerrada às 3h, com E-Cologyk tocando seu set. À principio com um warm up com House e Tech-House, e depois com seu característico Melbourne Bounce e Electro. Seu remix para a música Blame, de Calvin Harris, foi um dos pontos altos no show. Fazendo jus ao nome de revelação do Brasil, com presenças marcantes nos festivais nacionais Tribe e Federal Music.

O club Skol Beats Factory tem uma das melhores localizações de São Paulo e conta com o que há de melhor no que se trata de qualidade sonora e iluminação. Porém, a quantidade de convidados deixou a desejar neste evento. Ainda não sabemos o motivo da não lotação, será o grande número de eventos de EDM em São Paulo? Ou será que os organizadores pecaram na divulgação? Aí fica a pergunta, já que em outros eventos, como Zedd, por exemplo, a Skol Beats lotou e foi muito bem avaliada pelo público e mídias especializadas.

Além de São Paulo, o espanhol se apresentou em Vitória, no Espirito Santo, e Búzios, no Rio de Janeiro, para completar sua turnê pelo Brasil.

Calvin Harris e Skrillex no Brasil em 2015

Calvin-Harris-Brasil-2014

2015 no Brasil será marcado por grandes atrações da música eletrônica. Além dos gigantes festivais como o Tomorrowland, artistas consagrados irão desembarcar no país. Segundo o site Omelete, da Uol, Calvin Harris é atração confirmada para o festival Lollapalooza, em São Paulo. E, conforme uma fonte da Phouse confidenciou, Skrillex também virá ao evento, que acontece em março, no Autódromo de Interlagos.

Os principais artistas de EDM no festival seriam eles e, pela segunda vez, viriam ao Lola, já que em 2012, ambos estavam como atração no Palco Perry. Skrillex, porém, não era o astro que é atualmente. Harris era mais famoso, e tocou no mesmo dia que os roqueiros do Foo Fighters, assim os bilhetes se esgotaram com maior rapidez.

O festival ainda não se pronunciou sobre atrações, mas, como de costume, os organizadores anunciam todos os artistas de uma só vez. O Lollapalooza vem sendo sucesso de público e recebe elogios da crítica pela qualidade na organização e line up.

Um mês para o inicio da #XXXTrilogy com line up definido

xxx

Para comemorar os 18 anos do XXXPERIENCE Festival, as produtoras No Limits e Plus Talent anunciaram recentemente o conceito #XXXTRILOGY, campanha que já engloba os próximos três anos do evento, culminando na Edição Especial de 20 Anos em 2016. O conceito “XXX Trilogy: uma aventura pelo caminho da magia” divide-se em três etapas. A primeira parada é 2014, mais especificamente no chamado “Vale dos Dragões”, região lúdica que vai nortear a nova cenografia apresentada este ano, dia 15 de novembro na Arena Maeda (Itu/SP), a partir das 20h.

Em 2014, o festival terá quatro palcos segmentados. O Love Stage é voltado para a EDM (Electronic Dance Music) – leia-se Electro-House e Progressive House. O Joy Stage, assinado pelo Fusion Energy Drink, aguarda os apreciadores do Deep e Tech-House; o Union Stage reúne o público do Techno. Por fim, o Peace Stage traz o som do Trance, que consagrou o evento no início dos anos 2000.

Para esta edição eles revelam o line up completo para seu público. Foram confirmados DJs como AfroJack, Nicky Romero, VINAI, Sesto Sento, entre outros. Veja abaixo todos os artistas desta edição:

AFROJACK | ALOK | AMINE EDGE & DANCE | ARTY | ASTRIX
AVALON | BERG | BOBBY BURNS | CAPITAL MONKEY | CAPTAIN HOOK
CLEVER LIBONI | COSMONET | DAMIAN LAZARUS | DAY.DIN | DU SERENA
ÉDER FM | EDIT REVENGE | EDU POPPO | ELEKFANTZ | ELEMENT
FABIO & MOON vs. SYMPHONIX | FTAMPA vs BRUNO BARUDI
GMS | HNQO | JAMIE JONES | JULIO BASHMORE | MATADOR
MAYA JANE COLES | NICKY ROMERO | OLIVER HELDENS
PINK UP | RENATO RATIER | ROGÉRIO SOLDERA | SESTO SENTO
SKIPPER vs V.FALABELLA | SOLOMUN | TALE OF US | THE KICKSTARTS
TOM KELLER | VIKTOR MORA | VINAI | VINTAGE CULTURE | W.A.O.

CNN diz que São Paulo tem a quarta melhor noite do mundo

O canal Style, da CNN, listou as dez cidades mais badaladas do mundo para se curtir a noite. E o Brasil está representado pela cidade de São Paulo, que ficou na quarta posição à frente de cidades como Las Vegas, Buenos Aires, Londres e Barcelona.

Na publicação, a CNN diz que São Paulo não é um lugar bonito, porém “cavando os concretos” é possível achar uma saída na noite. E eles até indicam o club D-Edge, que fica localizado no bairro da Barra Funda.

Para escolher as melhores cidades, a CNN fez um ranking com notas de 0 a 10 para as categorias Horas, Pessoas, Música e Experiência. Assim, São Paulo atingiu as seguintes pontuações: 9, 9, 7, 8, respectivamente, com o total de 33.

Confira as melhores cidades para curtir a noite:

1. Ibiza, Spain – Pontos: 37
2. Berlin – Pontos: 35
3. New York City – Pontos: 34
4. Sao Paulo, Brazil – Pontos: 33
5. Londres – Pontos: 32
6. Barcelona – Pontos: 32
7. Montreal – Pontos: 32
8. Las Vegas – Pontos: 31
9. Buenos Aires – Pontos: 29
10. Bangkok – Pontos: 27

Confira aqui a matéria:
http://goo.gl/HK51wS