É tetra: Green Valley é #1 pela quarta vez no ranking da DJ Mag

Outros quatro clubes brasileiros também estão presentes no Top 100

O ranking anual de clubes da DJ Mag foi divulgado pela revista nesta tarde. E tem brasileiro rindo à toa: o Green Valley conquistou pela quarta vez — a segunda seguida — o primeiro lugar. Além deste ano e do ano passado, o clube de Camboriú também foi o grande vencedor em 2013 e 2015.

Quatro dos cinco clubes brasileiros que figuraram na lista de 2018 também estão presentes: El Fortin (#23, subindo três posições), Laroc Club (#25, subindo quatro posições), Warung Beach Club (#28, perdendo dez posições) e D-EDGE (#67, subindo 14 posições). O Matahari, que ficou na 54ª edição no ano passado, não está mais no Top 100.

“Esse título não beneficia apenas o club, mas aquece o mercado local e nacional, desde o turismo ao nível artístico que tem cada vez mais qualidade no país”, afirmou o sócio-diretor do Green Valley, Eduardo Philipps, em comunicado à imprensa.

“É muito importante para nós o reconhecimento do público e da crítica especializada. Essa colocação no ranking é a consolidação de um trabalho constante de renovação e esforço para se manter entre os melhores mesmo com os problemas econômicos do país”, concluiu.

Confira os dez primeiros colocados:

1. Green Valley (Camboriú, Brasil)
2. Echostage (Washington, Estados Unidos)
3. Ushuaïa (Ibiza, Espanha)
4. Hï Ibiza (Ibiza, Espanha)
5. Zouk (Singapura)
6. Papaya (Zrcé, Croácia)
7. Octagon (Seoul, Coreia do Sul)
8. Bootshouse (Colônia, Alemanha)
9. Printworks (Londres, Reino Unido)
10. Berghain (Berlim, Alemanha)

Você pode conferir a lista completa aqui.

+ RELEMBRE AQUI o resultado de 2018

Em parceria com o Beatport, DJ Mag lança novo ranking de DJs

Ranking servirá de referência para artistas de house e techno

Depois de muita polêmica e um descrédito crescente entre público e crítica, a DJ Mag parece estar somando esforços para contornar essa situação em relação ao seu Top 100. A princípio, não foram efetuadas mudanças no ranking tradicional da revista, mas lançado um ranking alternativo, voltado ao underground.

Agora, no chamado DJ Mag Alternative Top 100 DJs, são eleitos os cem nomes mais populares de house e techno. A grande novidade é uma parceria com o Beatport. Assim, esse Top 100 alternativo é baseado no cruzamento das informações dos votos do Top 100 geral com dados da tendência de vendas da famosa loja de música online.

As marcas dizem acreditar que esta é uma forma melhor de reconhecer os top DJs do momento. O ranking também pode ter surgido para preencher a lacuna deixada pelo Resident Advisor, que descontinuou o seu Top 100 no ano passado.

+ Richie Hawtin aponta DJ brasileira como destaque de 2018

Como resultado deste primeiro ano, Carl Cox é o grande vencedor, seguido por Claptone, Richie Hawtin, Adam Beyer, Marco Carola, Solomun, Paul Kalkbrenner, Nina Kraviz, Black Coffee e Steve Lawler, fechando o Top 10. Nomes como Erick Morillo, Sven Väth, Fatboy Slim, Loco Dice, CamelPhat, Jamie Jones, Kölsch, FISHER, Sasha e Maya Jane Coles também estão relativamente bem rankeados.

A bandeira verde e amarela não ficou de fora. Mesmo que com apenas um nome, está muito bem representada pela DJ ANNA, que apareceu na 58ª posição.

Confira a lista completa:

01. Carl Cox
02. Claptone
03. Richie Hawtin
04. Adam Beyer
05. Marco Carola
06. Solomun
07. Paul Kalkbrenner
08. Nina Kraviz
09. Black Coffee
10. Steve Lawler
11. Solardo
12. Green Velvet
13. Erick Morillo
14. Sven Väth
15. Fatboy Slim
16. Loco Dice
17. Charlotte de Witte
18. Jamie Jones
19. CamelPhat
20. Kölsch
21. Seth Troxler
22. Maceo Plex
23. Amelie Lens
24. Hot Since 82
25. FISHER
26. Sasha
27. Patrick Topping
28. Kerri Chandler
29. Dennis Cruz
30. Maya Jane Coles
31. Riva Starr
32. Joris Voorn
33. Ellen Allien
34. Mark Knight
35. John Digweed
36. Denis Sulta
37. Nicole Moudaber
38. Guy Gerber
39. Jeff Mills
40. Nastia
41. Bicep
42. The Martinez Brothers
43. Skream
44. Dubfire
45. The Black Madonna
46. Chris Liebing
47. Claude Vonstroke
48. Peggy Gou
49. Pan-Pot
50. Disclosure
51. Dave Clarke
52. Chris Lorenzo
53. Shadow Child
54. Tale Of Us
55. Radio Slave
56. Ricardo Villalobos 
57. Stephan Bodzin 
58. ANNA
59. Enrico Sangiuliano 
60. Pete Tong
61. Joseph Capriati 
62. Laurent Garnier
63. Dixon
64. 2manyDJs
65. Danny Howells
66. Carl Craig
67. Patrice Bäumel
68. Josh Butler
69. Detlef
70. Eats Everything
71. UMEK
72. Latmun
73. Alan Fitzpatrick
74. Booka Shade
75. Billy Kenny
76. DJ Koze
77. KiNK
78. Dennis Ferrer
79. Sam Paganini
80. Dense & Pika
81. Nick Curly
82. Darius Syrossian
83. Secondcity
84. Sidney Charles
85. Matt Sassari
86. Marc Romboy
87. Catz ‘n Dogz
88. Damian Lazarus
89. Nic Fanciulli
90. Danny Tenaglia
91. My Nu Leng
92. Detroit Swindle
93. David Morales
94. Darren Emerson
95. Len Faki
96. Zinc
97. Dax J
98. Purple Disco Machine 
99. Dave Seaman
100. Rampa

Você pode conferir mais detalhes diretamente na página da DJ Mag.

LEIA TAMBÉM:

Dez DJs brasileiras figuram no Top 200 da DJane Mag

Martin Garrix lidera o Top 100 da DJ Mag pelo 3º ano seguido

A quem importa o ranking da DJ Mag?

Editorial: É hora de rever nossa posição sobre o Top 100 da DJ Mag

Decisão ousada: Resident Advisor encerra seu Top 100 de melhores DJs do ano

Richie Hawtin aponta DJ brasileira como destaque de 2018

O expoente do minimal techno explica por que escolheu a DJ ANNA como revelação do ano

Ainda analisando os perfis e as escolhas dos DJs que entraram no Top 100 da DJ Mag neste ano, percebemos que o Brasil foi destaque para além de Alok, Vintage Culture e Cat Dealers.

Isso porque ninguém menos que Richie Hawtin, um dos maiores expoentes do minimal techno no mundo, elencou a DJ ANNA como sua artista revelação de 2018.

“Embora a ANNA já esteja por aí há um bom tempo, neste ano vimos ela elevar suas produções e seus remixes a outro patamar”, justificou o canadense. Que moral, hein?

Lançado pela Kompakt, Speicher 105 é o mais novo EP da brasileira

+ DJs do Top 100 da DJ Mag revelam suas músicas favoritas de 2018

DJs do Top 100 da DJ Mag revelam suas músicas favoritas de 2018

Confira as seleções de nomes como Martin Garrix, Armin, Guetta, Tiesto, Alok e Vintage Culture

Como de praxe, a DJ Mag traça um perfil de cada um dos 100 ganhadores do seu polêmico ranking anual. Antes dessas biografias, há uma pequena ficha técnica informando a origem, o estilo, a fama que carregam e as escolhas dos artistas para música favorita de 2018 e artista revelação.

Dando uma olhada rápida nesses perfis, a Phouse resolveu selecionar as escolhas de música do ano dos dez primeiros colocados, mais os três projetos brasileiros que também entraram na parada. Como Hardwell (3º lugar) e Afrojack (8º) não apontaram nenhuma música, colocamos Steve Aoki (11º) e R3HAB (12º) em seus lugares.

É curioso notar que só entre esses 13 nomes, “Losing It”, do FISHER, foi escolhida três vezes (também foi a escolha de vários outros nomes do Top 100), enquanto “One Kiss”, do Calvin Harris com a Dua Lipa, duas. Também temos aqui os artistas que mostram aquela autoestima da porra ao indicar suas próprias faixas. Por fim, outros DJs não se contentaram em elencar só uma, e acabaram vindo com duas tracks. Confira:

#1. Martin Garrix: Taska Black – Forever

 

#2. Dimitri Vegas & Like Mike: FISHER – Losing It / Travis Scott – Sicko Mode

  
   

#4. Armin van Buuren: Sunset Brothers X Mark McCabe – I’m Feeling It (MaRLo Remix)

  

#5. David Guetta: FISHER – Losing It

(Ouça acima)

#6. Tiësto: Loud Luxury feat. brando – Body

 

#7. Don Diablo: Logic feat. Alessia Cara & Khalid – 1-800-273-8255

  

#9. Oliver Heldens: Calvin Harris & Dua Lipa – One Kiss (Oliver Heldens Remix) / Enrico Sangiuliano – Astral Projection

 
  

#10. marshmello: Crankdat – Reasons To Run

  

#11. Steve Aoki: BTS – Fake Love

 

#12. R3HAB: R3HAB x Mike Williams – Lullaby

 

#13. Alok: FISHER – Losing It

(Ouça acima)

#19. Vintage Culture: RÜFÜS DU SOL – No Place

 

#48. Cat Dealers: Calvin Harris & Dua Lipa – One Kiss

(Ouça acima)

Martin Garrix lidera o Top 100 da DJ Mag pelo 3º ano seguido

Avicii, Swedish House Mafia e subida de trio brasileiro também são destaque

Assim como em 2017 e 2016, Martin Garrix foi o DJ mais votado no Top 100 da DJ Mag. A segunda posição ficou novamente com Dimitri Vegas & Like Mike, enquanto Hardwell e Armin van Buuren inverteram suas posições, em terceiro e quarto lugar, respectivamente.

Avicii foi bastante homenageado na votação, subindo da 28ª para a 15ª posição, enquanto o Swedish House Mafia reapareceu no ranking, em 63º.

Outro destaque foi a subida do trio brasileiro que bombou em 2017: Alok subiu do 19º ao 13º lugar, Vintage Culture foi do 31º ao 19º, e os Cat Dealers, que debutaram na lista no ano passado, no 74º lugar, subiram para o 48º.

Confira o Top 100:

1. Martin Garrix
2. Dimitri Vegas & Like Mike
3. Hardwell
4. Armin van Buuren
5. David Guetta
6. Tiësto
7. Don Diablo
8. Afrojack
9. Oliver Heldens
10. Marshmello
11. Steve Aoki
12. R3hab
13. Alok
14. W&W
15. Avicii
16. DVBBS
17. Lost Frequencies
18. KSHMR
19. Vintage Culture
20. Eric Prydz
21. Skrillex
22. Fedde Le Grand
23. Ummet Ozcan
24. DJ Snake
25. Quintino
26. VINAI
27. NERVO
28. Headhunterz
29. Angerfist
30. Bassjackers
31. The Chainsmokers
32. Kygo
33. Timmy Trumpet
34. Vini Vici
35. Wolfpack
36. Alan Walker
37. Blasterjaxx
38. Danny Avila
39. Kura
40. Calvin Harris
41. Axwell /\ Ingrosso
42. Diplo
43. Nicky Romero
44. Zedd
45. Alesso
46. Tujamo
47. Yellow Claw
48. Cat Dealers
49. ATB
50. Diego Miranda
51. Above & Beyond
52. Jeffrey Sutorius (ex-Dash Berlin)
53. Carl Cox
54. Martin Jensen
55. Paul van Dyk
56. Will Sparks
57. Claptone
58. Steve Angello
59. deadmau5
60. Robin Schulz
61. Richie Hawtin
62. Florian Picasso
63. Swedish House Mafia
64. Jay Hardway
65. Miss K8
66. Mike Williams
67. Andrew Rayel
68. Mariana Bo
69. Radical Redemption
70. Brennan Hart
71. Swanky Tunes
72. MATTN
73. Carta
74. Aly & Fila 
75. Ferry Corsten
76. Da Tweekaz
77. Breathe Carolina
78. Deniz Koyu (KO:YU)
79. Adam Beyer
80. Daddy’s Groove
81. Mosimann
82. Tchami
83. Nghtmre
84. DJ L
85. Wildstylez
86. Marco Carola
87. Cedric Gervais
88. MaRLo
89. Deorro
90. Andy C
91. Solomun
92. Lucas & Steve
93. Markus Schulz
94. Bobina
95. Paul Kalkbrenner
96. Alison Wonderland
97. Nina Kraviz
98. Rave Republic 
99. Carl Nunes
100. SLANDER

LEIA TAMBÉM:

Pelo segundo ano consecutivo, Top 100 da DJ Mag tem três brasileiros

Ao elogiar novo ranking da Billboard, Tiësto alfineta Top 100 da DJ Mag

Green Valley é eleito o melhor club do mundo em lista da DJ Mag

A quem importa o ranking da DJ Mag?

Editorial: É hora de rever nossa posição sobre o Top 100 da DJ Mag

Como foi a celebração do 3º prêmio de melhor club do mundo no Green Valley

Clube comemorou mais um título da DJ Mag no final de maio

Em 30 de maio, a Phouse TV esteve presente no Green Valley para acompanhar a festa de celebração do terceiro título de melhor clube do mundo pela DJ Mag.

Ali, nosso apresentador Fernando Cruz quis saber da galera presente por que o GV é o melhor clube do planeta, e ainda trocou uma ideia com Alok e Fabrício Peçanha — duas das grandes atrações daquela noite —, além de pegar uma palavrinha do DJ residente Rodrigo Vieira e do sócio-diretor da casa, Eduardo Philipps.

Pra conferir essa reportagem, só dar o play no vídeo acima!

+ Na véspera de feriado, Green Valley comemora terceiro título de melhor club do mundo

Green Valley é eleito o melhor club do mundo em lista da DJ Mag

Número de brasileiros no ranking cai, mas suas posições melhoram em relação ao ano passado
* Atualizado em 29/03/2018, às 11:02

O Green Valley acaba de ser eleito pela terceira vez o melhor clube de música eletrônica do mundo no Top 100 de clubs da DJ Mag. A casa de Camboriú sobe duas posições em relação a 2017, repetindo em 2018 os feitos de 2013 e 2015, quando também faturou a primeira posição do ranking.

“Não poderíamos ter prêmio melhor para comemorar os dez anos do Green Valley do que o reconhecimento do público e da crítica especializada com a volta oficial do clube à primeira posição. Esse ranking é a consolidação de um trabalho constante de renovação que leva o nome do Green Valley e do Brasil para o mundo todo”, declarou o sócio-diretor da casa, Eduardo Philipps, à imprensa.

+ RELEMBRE AQUI o resultado de 2017

Além do GV, outros cinco brasileiros marcaram presença no poll: Warung (#18 — subindo três posições), El Fortin (#26 — subindo duas posições), Laroc (#29 — subindo 16 posições), Matahari (#54 — subindo 15 posições) e D-EDGE (#81 — descendo 31 posições). O Sirena, #57 no ano passado, não está mais no ranking, assim como o Anzuclub (#31 em 2017), que fechou suas portas em outubro.

A Ushuaïa (Ibiza) e o Zouk (Singapura) completam as primeiras posições, respectivamente. Além deles, outros nomes muito conceituados mundialmente figuram nas dez primeiras posições, como a Pacha (Ibiza, #8), a Fabric (Londres, #9) e o Berghain (Berlim, #10). A novíssima Hï Ibiza, que ocupa o lugar da antiga Space, debutou na quinta colocação.

Top 10:

1. Green Valley (Balneário Camboriú, Brasil)
2. Ushuaïa (Ibiza, Espanha)
3. Zouk (Singapura)
4. Echostage (Washington, Estados Unidos)
5. Hï Ibiza (Ibiza, Espanha)
6. Papaya (Zrcé, Croácia)
7. Octagon (Seoul, Coreia do Sul)
8. Pacha Ibiza (Ibiza, Espanha)
9. Fabric (Londres, Reino Unido)
10. Berghain (Berlim, Alemanha)

Você pode conferir a lista completa aqui.

Ao elogiar novo ranking da Billboard, Tiësto alfineta Top 100 da DJ Mag

Astro holandês diz que agora “temos um Top 100 de verdade!”

Tiësto anda se especializando em declarações no mínimo curiosas. Depois de reclamar que a dance music estava pop demais, o DJ alfinetou o ranking no qual há 15 anos ele figura entre as primeiras cinco posições, e que o elegeu três vezes como número um.

+ Tiësto afirma que a música eletrônica está muito pop e prega volta às raízes

+ Nova versão de “BOOM”, de Tiësto e Sevenn, atinge o Top 20 da Billboard

A “indireta” ao Top 100 da DJ Mag se deu no Twitter, em resposta à Billboard, que acabava de anunciar o seu próprio Top 100. “Um Top 100 de verdade! Isso pode ser algo enorme, e finalmente temos algo com credibilidade”, twittou o astro holandês.

+ CLIQUE AQUI para ler mais sobre o novo Top 100 da Billboard

Billboard lança seu próprio Top 100 de artistas de música eletrônica

Ranking será baseado em um cruzamento de números dos artistas com voto popular

A Billboard anunciou nessa segunda-feira (26) a criação do Billboard Dance 100, o seu próprio ranking para artistas da cena eletrônica. O poll terá também a participação do voto popular, mas, diferentemente do Top 100 da DJ Mag, contará com outros critérios para definir a classificação. Assim, a revista pretende instaurar “um olhar com credibilidade e compreensão sobre o poder e a influência dos maiores nomes da dance music”.

+ RELEMBRE AQUI o posicionamento da Phouse sobre o Top 100 da DJ Mag

Entre esses critérios, entram estatísticas utilizadas para seus famosos charts (números de streaming, de vendas de música e tempo tocado em rádio), que serão cruzadas com dados sobre shows, como venda de ingressos, residências e participação em festivais. Por fim, o voto do público — que pode eleger seus cinco artistas favoritos, com direito a um único voto por pessoa — entra nessa equação.

+ Nova versão de “BOOM”, de Tiësto e Sevenn, atinge o Top 20 da Billboard

“O Billboard Dance 100 preenche uma necessidade de um ranking holístico, baseado em dados sobre a ampla gama de talentos na dance music. Dos hit makers do pop e curadores de clubs até os que vendem muitos ingressos, todos os modelos de um artista de sucesso encontrarão um lar aqui”, declarou Matt Medved, diretor da seção “dance e eletrônica” da revista.

+ A quem importa o ranking da DJ Mag?

Confira o vídeo que anuncia o ranking, com participação de nomes como Armin van Buuren, Alison Wonderland, Martin Garrix, KSHMRHardwell, Chainsmokers, Krewella, Kygomarshmello e David Guetta:

A votação está valendo até o dia 16 de março, através da página da Billboard. O resultado será anunciado entre 21 e 22 de março, durante a Miami Music Week.

LEIA TAMBÉM:

Billboard pode passar a contar plays do YouTube para seus charts Top 200

Laidback Luke detona Top 100 e treta com editores da DJ Mag no Twitter

À rádio israelense, KSHMR expõe sua visão sobre o ranking da DJ Mag

OPINIÃO: O Top 100 do Resident Advisor é melhor que o da DJ Mag?

OPINIÃO: Nós precisamos parar de dar moral pro Top 100 da DJ Mag

Laidback Luke detona Top 100 e treta com editores da DJ Mag no Twitter

O artista afirma ter sido boicotado no controverso ranking neste ano por causa de vídeo publicado por ele em julho

Laidback Luke não tem poupado críticas ao mercado da música eletrônica nos últimos tempos. E o alvo agora foi o Top 100 da DJ Mag, que segue, ano a ano, cada vez mais contestado.

Na semana passada, Luke escreveu uma série de tweets sobre o assunto, e disse não ter sido banido do ranking deste ano por causa de um vídeo publicado por ele em julho, em que criticava o famoso poll.

Alguns editores da DJ Mag responderam, negando as acusações e pedindo que ele provasse o que afirmava, no que prontamente se converteu em uma ríspida discussão virtual, com boa parte dos usuários se colocando ao lado do artista.

Em seu desabafo, Luke reforçou a ideia de que o ranking hoje se resume, basicamente, a um jogo mercadológico, em que se paga para alcançar maiores posições, e prometeu trazer novas informações internas mostrando detalhes de bastidores na próxima votação. Além disso, afirmou que a DJ Mag fez ameaças para que ele tirasse seu vídeo do ar.

RELEMBRE AQUI o posicionamento da Phouse sobre o Top 100 da DJ Mag

A quem importa o ranking da DJ Mag?

Confira os tweets, com suas respectivas traduções:

Vocês querem saber a verdade sobre o porquê de eu não entrar no Top 100 da DJ Mag deste ano? É por causa deste VLOG. *textão a caminho*

Ontem eu o postei no Instagram do KURA e três editores da DJ Mag vieram até mim. @the_z_word @CarlLoben e @CharlotteDJMag me chamaram de “não popular o suficiente” e de “ex-DJ de sucesso de EDM”

Depois do meu VLOG, a DJ Mag veio até mim para tentar derrubar o vídeo, ameaçando parar de fazer negócios comigo. Como não havia nenhum negócio mesmo, mantive o vídeo. Nesta conversa por e-mail com minha equipe, eles mostram estar bem cientes de seus maus-feitos:”

Sempre fui um fã da lista, mas ela cresceu e se tornou um monstro. Eu não me importo com a minha posição, eu não preciso deles. Mas conheço diversos colegas DJs que dão dinheiro para eles (ou outras coisas…), que hackearam o sistema. É o que é agora.

Para mais seguidores asiáticos e latino-americanos (não dos EUA, porque os EUA estão cientes), não se enganem!

Para meus amigos do Top 100, mil parabéns! Mas eu sei quanto dinheiro vocês investem. Isso deveria mudar.

Quando a votação recomeçar, o suculento VLOG virá! Eu tenho uma tonelada de informações internas para vocês que fará vocês perceberem o quão vendida a lista é. Eu acho que queremos o mesmo: uma lista honesta (eu não preciso estar nela). Então precisaremos consertar isso. @the_z_word @CarlLoben @CharlotteDJMag

Eu tenho até informações de pessoas que trabalham e trabalharam lá @DJMag

Como você pode parabenizar um amigo DJ, que conquistou sua posição, quando há uma invasão de nomes fakes/wannabes ali? Este é o problema @DJMag

O que as pessoas geralmente não percebem é que eu comecei como um fã da indústria. Totalmente apaixonado por ela. Eu não era ninguém. Eu quero isso de volta. Admiração por apresentações reais e apaixonadas. Romper barreiras e explodir minha mente.

@LaidbackLuke Você não foi chutado da lista, você não conseguiu votos o suficiente. Provavelmente porque você fez um vídeo dizendo que você a odeia, então seus fãs leais decidiram não votar. Você devia agradecê-los.

LEIA TAMBÉM:

Pelo segundo ano consecutivo, Top 100 da DJ Mag tem três brasileiros

Jetlag, FTampa e FELGUK quase entram no Top 100 da DJ Mag

À rádio israelense, KSHMR expõe sua visão sobre o ranking da DJ Mag

OPINIÃO: O Top 100 do Resident Advisor é melhor que o da DJ Mag?

OPINIÃO: Nós precisamos parar de dar moral pro Top 100 da DJ Mag

Jetlag, FTampa e FELGUK quase entram no Top 100 da DJ Mag

Como de praxe, a DJ Mag revelou os primeiros 50 nomes que ficaram de fora do seu Top 100. E se três brasileiros garantiram lugar na lista principal, desta vez outros três bateram na trave: o duo Jetlag (#102 — ou seja, a apenas duas posições de ter entrado no ranking), o FTampa (#108) e o FELGUK (#131), que no ano passado havia figurado no #67, e desde 2011 era presença constante na lista.

Confira os 50 nomes adicionais:

101. Slushii
102. Jetlag
103. Loco Dice
104. Sigma
105. Madeon
106. Cosmic Gate
107. Netsky
108. FTampa
109. Arty
110. Nucleya
111. Cheat Codes
112. Neelix
113. Krewella
114. Dyro
115. Curbi
116. Marco Carola
117. Borgore
118. Adam Beyer
119. Jamie Jones
120. Infected Mushroom
121. Breathe Carolina
122. Seven Lions
123. Dj Feel
124. A-Trak
125. Vicetone
126. Markus Schulz
127. Jack Ü
128. Marlo
129. Green Velvet
130. Chase & Status
131. FELGUK
132. Daddys Groove
133. Martin Solveig
134. Seth Troxler
135. Deniz Koyu
136. Ben Nicky
137. Showtek
138. Paul Oakenfold
139. Bobina
140. Omnia
141. Nina Kraviz
142. Zomboy
143. Sunnery James & Ryan Marciano
144. Erick Morillo
145. Merk & Kremont
146. Kolsch
147. Deorro
148. Popov
149. Sander Van Doorn
150. Fatboy Slim

RELEMBRE AQUI o posicionamento da Phouse sobre o Top 100 da DJ Mag

LEIA TAMBÉM:

Pelo segundo ano consecutivo, Top 100 da DJ Mag tem três brasileiros

A quem importa o ranking da DJ Mag?

À rádio israelense, KSHMR expõe sua visão sobre o ranking da DJ Mag

Pelo segundo ano consecutivo, Top 100 da DJ Mag tem três brasileiros

Nesse sábado, tivemos a famosa — e cada vez mais controversa — cerimônia de premiação Top 100 DJs da DJ Mag. Martin Garrix foi eleito o #1 pelo segundo ano consecutivo, seguido de perto por Dimitri Vegas & Like Mike e Armin van Buuren, respectivamente. Hardwell, Tiësto, The Chainsmokers, David Guetta, Afrojack, Steve Aoki e marshmello fecham as dez primeiras posições.

Pelo lado brasileiro, também rolou repeteco: assim como em 2016, três nomes brazucas figuram no ranking: Alok (#19, subindo seis posições), Vintage Culture (#31, subindo 23 posições) e Cat Dealers (#74, pela primeira vez na lista). O duo FELGUK, que ocupou o 67º lugar no ano passado, desta vez ficou de fora.

Nesta edição, o Top 100 também seguiu recebendo feedback negativo de personagens-chave da cena eletrônica global. Diversos DJs se manifestaram nas redes sociais contra a premiação — alguns, como Diplo, que ficou em 25º lugar, chegaram a pedir para não receber mais votos.

+ A quem importa o ranking da DJ Mag?

Como a Phouse já revelou em textos pontuais nos últimos dois anos, as principais críticas ao Top 100 consistem no fato de se tratar de um concurso de popularidade impulsionado por pedidos ostensivos de votos, que demandam, em muitos casos, de investimento financeiro para ocupar posições de maior prestígio — que, por sua vez, se convertem em mais datas e em cachês mais polpudos, sobretudo em mercados emergentes, como o asiático.

RELEMBRE AQUI o posicionamento da Phouse sobre o Top 100 da DJ Mag

De acordo com a DJ Mag, o ranking deste ano contou com mais de um milhão de votos. Veja a lista na íntegra:

01. Martin Garrix
02. Dimitri Vegas & Like Mike
03. Armin van Buuren
04. Hardwell
05. Tiësto
06. The Chainsmokers
07. David Guetta
08. Afrojack
09. Steve Aoki
10. marshmello
11. Don Diablo
12. KSHMR
13. Oliver Heldens
14. W&W
15. Calvin Harris
16. Skrillex
17. Alan Walker
18. R3hab
19. Alok
20. Dash Berlin
21. Axwell Λ Ingrosso
22. DVBBS
23. DJ Snake
24. Kygo
25. Diplo
26. Lost Frequencies
27. Above & Beyond
28. Avicii
29. Zedd
30. Quintino
31. Vintage Culture
32. Vinai
33. Headhunterz
34. Eric Prydz
35. Bassjackers
36. Blasterjaxx
37. Alesso
38. Ummet Ozcan
39. Fedde Le Grand
40. Angerfist
41. Wolfpack
42. Nervo
43. Timmy Trumpet
44. Radical Redemption
45. Major Lazer
46. Tujamo
47. Tom Swoon
48. Kura
49. deadmau5
50. Nicky Romero
51. Paul Van Dyk
52. Danny Avila
53. Aly & Fila
54. ATB
55. Yves V
56. Diego Miranda
57. Yellow Claw
58. Miss k8
59. Brennan Heart
60. Mike Williams
61. Dannic
62. Carl Cox
63. Carl Nunes
64. Lucas & Steve
65. Warface
66. Galantis
67. Da Tweekaz
68. Jay Hardway
69. Claptone
70. Martin Jensen
71. Florian Picasso
72. Vini Vici
73. Jauz
74. Cat Dealers
75. Sam Feldt
76. Robin Schulz
77. Andy C
78. Carnage
79. Andrew Rayel
80. Richie Hawtin
81. Solumun
82. Steve Angello
83. Will Sparks
84. Mariana BO
85. Black Coffe
86. Dillon Francis
87. Flume
88. Shogun
89. Alison Wonderland
90. Ferry Corsten
91. Maceo Plex
92. Carta
93. Quentin Mosiann
94. Julian Jordan
95. Tchami
96. Porter Robinson
97. Paul Kalkbrenner
98. DJ L
99. Swanky Tunes
100. Disclosure

LEIA TAMBÉM:

À rádio israelense, KSHMR expõe sua visão sobre o ranking da DJ Mag

OPINIÃO: O Top 100 do Resident Advisor é melhor que o da DJ Mag?

OPINIÃO: Nós precisamos parar de dar moral pro Top 100 da DJ Mag

À rádio israelense, KSHMR expõe sua visão sobre o ranking da DJ Mag

Na sua passagem recente por Tel Aviv, em Israel, KSHMR participou de uma entrevista para o Line Out Radioshow, onde falou sobre diversos assuntos, entre eles, o infame Top 100 da DJ Mag, do qual já foi bastante crítico no passado. Agora, porém, o artista contemporizou, dizendo que, apesar de ver o ranking como um concurso de popularidade, ele se sente muito lisonjeado por ter sido votado por tantos fãs.

+ RELEMBRE AQUI o posicionamento da Phouse sobre o Top 100 da DJ Mag

“Eu era muito crítico quanto ao ranking da DJ Mag, porque via meus artistas favoritos em posições muito abaixo do que eu acreditava que mereciam. De fato, é um concurso de popularidade, o que é uma coisa boa ou ruim, dependendo do ponto de vista”, declarou, na conversa com o entrevistador Dor Dekel. “Quando eu apareci na lista pela primeira vez, foi uma revelação maluca, o fato de ter tanta gente escutando e apreciando minhas músicas. Isso realmente me deixou impressionado”, seguiu. “Para alguns DJs, a arte deles é serem grandes DJs, e eu nunca me vi dessa forma, eu sou mais um produtor, então não tinha uma dimensão tão clara de quantas pessoas eram tocadas pela minha música. Ver meu nome naquela lista me deu essa percepção.”

+ OPINIÃO: Nós precisamos parar de dar moral pro Top 100 da DJ Mag

Na entrevista, que você pode assistir no vídeo abaixo, KSHMR ainda falou de outros assuntos relevantes do momento, como seu novo selo, Dharma Worldwide, o remix do tema de Game of Thrones e novas collabs. A declaração sobre a lista da DJ Mag você ouve entre os minutos 01:45 e 03:30. KSHMR entrou no ranking em 2015, no 23º lugar, e foi 12º colocado no ano passado. Para este ano, há bastante expectativa para que ele alcance as primeiras posições.

CONFIRA TAMBÉM:

A quem importa o ranking da DJ Mag?

O Top 100 do Resident Advisor é melhor que o da DJ Mag?

FELGUK fala sobre o retorno ao DJ Mag Top 100, recordes, participação brasileira na lista e mais

KSHMR homenageia países de língua espanhola com EP de mashups

Confira “Materia”, primeiro disco do selo de KSHMR

Por que KSHMR é um dos melhores produtores de EDM da atualidade

Passado como produtor-fantasma, amadurecimento, homenagem às origens, fã clube e inovação; saiba mais peculiaridades sobre um dos artistas de maior destaque do cenário.

Niles Hollowell-Dhar, mais conhecido como KSHMR, vem se destacando no cenário da EDM por suas inovadoras músicas, apresentações e projetos. Talvez você se lembre dele como um dos membros de The Cataracs, que lançou músicas como “Top of the World” e participou de “Like a G6”. O DJ, ao que parece, passou por uma grande transformação pessoal, evoluindo de um “party animal” para um cara espiritual. Em 2014, Niles lançou o projeto KSHMR, inspirado em suas origens indianas (daí vem o nome, “Kashimir”) e totalmente inovador.

Como produtor-fantasma, foi coautor e coprodutor em músicas como “Tsunami”, do DVBBS & Borgeous e “Stampede”, de DVBBS, Borgeous e Dimitri Vegas & Like Mike. Em 2015, já como KSHMR, entrou no Top 100 da DJ Mag, já em 23º lugar, pulando, no ano seguinte, para o 12º lugar (e ainda em 2016, também pela DJ Mag, ganhou o prêmio de melhor apresentação ao vivo). Só por aí já dá pra ver que o cara é fera, mas ainda assim eu quero te mostrar como, com apenas 28 anos, Niles é um dos maiores produtores da atualidade.

+ Contratos revelam que KSHMR é o produtor-fantasma de Borgeous

+ Artista conta seu passado como produtor-fantasma e agora lança carreira com o próprio nome

THE LION ACROSS THE FIELD

Seu primeiro disco surpreendeu a muitos, já que — a exemplo do que tivemos recentemente com o novo álbum de Ferry Corsten — ele também conta uma história. Repleto de reflexões, o EP traz a trama de uma criança corajosa (homenagem ao irmão), e que até sairá em livro (as letras das músicas podem ser lidas aqui).

HOMENAGEM ÀS ORIGENS

O nome “KSHMR” já diz por si só quão orgulhoso Niles é por ter descendência indiana, mas, como não bastasse, ele homenageia seus familiares, a Índia e a história dela. Clipes de músicas como “Jammu” e “Invisible Children” são carregados de emoção e reflexão. Em “Jammu”, o vídeo mostra uma história de crianças que crescem aprendendo a matar e dão sua vida em prol de causas terroristas, algo não tão incomum no sudoeste da Caxemira. Sobre “Invisible Children”, o produtor declarou: “Essa música se refere às crianças que vivem nas zonas pobres da Índia e a lugares do mundo onde a pobreza é tão descontrolada que as pessoas param de notar. Vamos torcer pela mudança: a paz”.

O artista tem um grande amor por sua família e faz questão de mostrar: no Sunburn, em janeiro, ele fez uma homenagem à sua avó falecida juntamente de seu avô no palco (você pode assistir a esse momento aqui). Niles também postou essa homenagem feita por sua família, em 28 de março:

(Senhora Jaya Dhar, hoje é Navreh — ano novo no Kashimir — e o seu aniversário. Que dia este costumava ser, e o que ele é agora. Você é amada e todos sentem sua falta. Aproveite sua felicidade celestial e continue a nos guiar. Nosso neto, Niles, está trilhando seu caminho no mundo da música e lhe homenageando a cada festival. Continue abençoando-o.)

FÃ CLUBE INDIANO

Paralelo às minhas pesquisas, entrei em contato com um fã clube do KSHMR. Eles são indianos, e, bom, nada mais justo do que o feedback do pessoal que mora no país homenageado, não é? Aqui está o que o TEAM.KSHMR me escreveu: “Para nós, KSHMR cria músicas que têm a habilidade incrível de fluir através do nosso corpo e alma. Niles é mais do que um produtor musical e DJ, ele é alguém que é capaz de tocar os corações e as almas de milhares de pessoas ao mesmo tempo. Sua música é delicada e complexa, mas mantém ouvintes cativados através de melodias impressionantes. Amamos KSHMR porque ele mudou nossa vida. É simples assim. Vimos e ouvimos tantos DJs/produtores, mas KSHMR foi e é diferente; porque quando a música é capaz de tocar uma alma, ela nunca será esquecida.

Ouvir Lion Across The Field é como ouvir uma história, e é isso a que KSHMR dá vida: histórias. “Invisible Chidren” foi criada para contar a saga das crianças em favelas indianas que parecem ser esquecidas para o mundo. A canção evoca emoção em qualquer um que toma o tempo para realmente ouvir e entender. KSHMR é a criação de músicas memoráveis e significativas, diferente do que todo mundo está lançando, o que permite que ele faça muito mais do que qualquer outra pessoa.”

AULAS

Assistir a aulas nunca foi tão bom quanto agora! O DJ vem lançando uma série de conteúdo online em que ensina a montar melodias, criar drops poderosos, encaixar vocais, orquestras e instrumentos étnicos, entre outros — tudo 100% gratuito. Recentemente, em 11 de maio, o KSHMR postou uma foto na sua página no Facebook e no Instagram informando que em breve haveria novas aulas, e perguntando aos produtores o que eles gostariam de aprender. Além disso, ele possui um blog de dicas de produção, o que desmonstra a sua enorme vontade de ajudar produtores de diferentes níveis.

INOVADOR A CADA SHOW

Depois do show incrível no último Tomorrowland, o KSHMR repetiu a dose no Ultra Music Festival 2017. Em vez do mainstage, optou pelo live stage para fazer algo surpreendente: colocar uma banda, tocando suas músicas numa acorde perfeito com os drops, além de dançarinas indianas. O palco, totalmente personalizado, teve direito a tudo: tambores, violino e, claro, a cítara, famoso instrumento típico da Índia. Foi simplesmente lindo!

WELCOME TO KSHMR

O DJ vem postando, em média, sets com 40 minutos das músicas que ele mais gosta, além de lançamentos e algumas unreleased tracks. Confira o último lançado, Welcome To Kshmr Vol.8:

Depois disso tudo, dá pra concluir que o KSHMR possui muita originalidade e humildade. Considerando os tempos de mesmice em que vivemos, suas músicas são ouro, pois são inovadoras e buscam sair do convencional. Nota-se que Niles está envolvido por amor à música. Para o futuro próximo, diversos lançamentos estão previstos, incluindo parcerias com nomes como Tiësto e Hardwell. Muitas coisas boas ainda estão por vir!

* Mércia da Hora é colaboradora eventual da Phouse.

LEIA TAMBÉM:

+ KSHMR lança mix “Welcome to KSHMR Vol. 8”; confira

+ KSHMR produz música com Hardwell

+ BUH! Conheça os 5 mais famosos ghost producers da música eletrônica

+ Editorial: É hora de rever nossa posição sobre o Top 100 da DJ Mag

+ Um convite ao boicote: nós precisamos parar de dar moral pro Top 100 da DJ Mag

Confira um resumo do Top 100 da DJ Mag, com Dimitri Vegas & Like Mike em primeiro lugar

Após uma longa divulgação dos resultados que manteve os fãs entretidos por quase toda a tarde, já conhecemos o novo Top 100 da DJ Mag. Para 2015, muitas entradas surpreendentes, subidas espetaculares e quase nenhuma mudança no topo. Como a Phouse já havia divulgado com antecedência, a primeira e talvez maior surpresa foi a impressionante entrada do brasileiro Alok na 44a posição, muito acima do esperando. Ele foi o único representando do Brasil na lista da publicação inglesa.

A maior subida foi uma escalada simplesmente espetacular de nada menos do que 52 posições do holandês Don Diablo. De um #82 no ano passado, Don subiu para um incrível 30o lugar, coroando um ano condizente com sua nova posição. Outro maestro do future house, Oliver Heldens também surpreendeu a todos com uma altíssima 12a posição.

Entre os novos entrantes, não teve discussão. Como previsto por muitos, KSHMR, o novo queridinho da EDM, estreou na lista na 23a posição, a mais alta entre todos os que apareceram no Top 100 pela primeira vez. Um fato curioso também chamou a atenção: o americano Diplo conseguiu a façanha inacreditável de aparecer TRÊS vezes na lista. Ele apareceu sozinho, e com seus dois outros projetos, Major Lazer e Jack Ü.

Também impressionante foi a variação mínima, quase inexistente, dentro dos 10 primeiros da lista. Excetuando uma troca de Nicky Romero por Afrojack, os outros 9 integrantes do Top 10 são exatamente os mesmos do ano passado. Também houve uma pequena troca de posições entre Avicii e David Guetta, entre Armin Van Buuren e Martin Garrix e principalmente na primeira posição.

Isso porque a lista tem um novo líder, ou líderes, os belgas Dimitri Vegas & Like Mike. Subindo uma posição em relação ao ano passado, a dupla desbancou o atual bicampeão Hardwell para assumir a posição de DJs número 1 do planeta. Esta é apenas a 4a vez que o título deixa a Holanda nos últimos 14 anos, o que torna ainda mais importante a façanha dos dois irmãos. O Top 10 completo foi o seguinte:

10. Steve Aoki

9. Skrillex

8. Afrojack

7. Avicii

6. David Guetta

5. Tiësto

4. Armin Van Buuren

3. Martin Garrix

2. Hardwell

1. Dimitri Vegas & Like Mike

Resultado do TOP 100 DJ MAG 2015 será transmitido ao vivo nesta sexta-feira

O resultado do TOP 100 DJ MAG 2015 será transmitido ao vivo nesta sexta-feira (16), segundo um anúncio feito através da página do Amsterdam Music Festival no sábado (10). Acompanhados dessa cerimônia, nomes como Hardwell, Armin van Buuren, Martin Garrix, entre outros, poderão ser vistos também por todo canto do mundo durante suas performances no evento.

Conforme informamos recentemente aqui na Phouse, o line-up completo do festival foi divulgado no dia 14 de setembro, através do site da conferência Amsterdam Dance Event (ADE), que começa nesta quarta-feira (14), e vai até domingo (18).

Confira abaixo apenas os artistas confirmados para a transmissão ao vivo que terá início às 18 horas no Brasil, e aguarde o resultado do TOP 100 DJ MAG 2015, que está sob contagem regressiva para ser revelado.

16 de outubro:

Armin van Buuren

Dimitri Vegas & Like Mike

Hardwell

Martin Garrix

Nervo

Vicetone

 

17 de outubro:

Alesso

David Guetta

DJ Snake

Klingande

Oliver Heldens

Robin Schulz

Showtek

Tiesto

Yellow Claw

Deadmau5, Knife Party e 3LAU criticam TOP 100 da DJ Mag

DeadMau5-Best-Tweet-Beefs

O resultado do Top 100 da DJ Mag não agradou a muitos fãs de EDM? Isso é uma certeza. Alguns nomes, que estão no topo da lista, são bastante contestados. Além do público, produtores famosos demonstraram sua insatisfação com a votação, entre os mais famosos estão DeadMau5, Knife Party e 3LAU.

A Phouse reuniu as mensagens do trio pouco tempo depois do anúncio, que aconteceu no último dia 18. Todos os citados estão na lista, porém, diferentemente do que era imaginado, eles não vibraram com o resultado da revista britânica. Ao contrário, soltaram o verbo contra a revista.

O duo australiano do Knife Party caiu algumas posições em relação a 2013 e escreveram:

“Ah, não! Número 53. Certamente o próximo passo para nós é usando dinheiro. Irrelevante. @DJmag”.

Já DeadMau5, que ficou na 16º, como de costume, usou a rede social para atacar a revista:

“Ninguém dá mínima, realmente não. Top100 Dj’s dão o resultado em ordem inversa”.

Por fim, o americano Justin Blau conseguiu a 81º posição e nem ligou para isso:

“Há DJ Mag, há taxas de DJ, há likes no Facebook, há seguidores no Twitter. E depois há a música e como ela faz você se sentir. Julgue como quiser”.