Foto: Reprodução

Talento brasileiro: os nomes que despontaram na cena nacional em 2015

No meio do ano, a Phouse publicou uma matéria a respeito dos artistas jovens que vinham chamando atenção em 2015 dentro do cenário brasileiro. O ano agora está chegando ao fim e a juventude da dance music no Brasil esteve a todo vapor neste segundo semestre. Vários dos produtores citados naquela ocasião apresentaram trabalhos ainda mais relevantes e outros apareceram trazendo novas músicas de qualidade. Nada mais justo, portanto, do que atualizar nossos leitores sobre o panorama da dance music brasileira no que diz respeito aos novos produtores que começam a tomar conta da cena.

Entre quem já vinha fazendo muito barulho em Julho, a maioria mostrou que estávamos certos em nossos elogios e continuam fazendo muito som de qualidade. Nomes como Zerb, Pontifexx e Dropkillers continuam, cada um dentro de uma pegada particular, lançando produções de destaque na cena nacional e internacional. A dupla paulistana Lenx & Denx emplacou o lançamento de “La Fiesta” na Oxygen Records, sub-label de nada menos do que a Spinnin Records. Os cariocas Moshe e Future Lines também têm dado sequência ao excelente trabalho. A parceria dos dois projetos no bootleg de “Disarm You”, de Kaskade, deu o que falar recentemente.

No entanto, não é só dos “velhos novos” talentos que vive a cena brasileira atualmente. Neste fim de ano, muitos jovens de grande potencial começaram a ganhar destaque por suas produções. Um ótimo exemplo é o prodígio catarinense Liu. Se destacando nas vertentes de deep e future house, o protegido de Alok está prestes a lançar uma de suas mais aguardadas faixas, “Don’t Look Back” em parceria com Vokker. Aliás, a popularização destes gêneros e de outros similares, antes considerados “underground” no Brasil é inegável. O destaque que vem conquistando Illusionize, por exemplo, vem para comprovar esta constatação. Já bastante experiente, apesar de pouca idade, ele vem colecionando grande lançamentos e já goza de grande reconhecimento popular.

E a lista se estende. Outro produtor experiente, E-Cologyk, também tem se aventurado nestas vertentes com seu projeto Goldcash. A parceria com Diego Silveira, vocalista da banda Cine, desde a primeira track do projeto, “Time To Love”, já chamou bastante atenção. A galera do Kush 3D já acumula lançamentos por labels importantes e promete grande novidades já no início de 2016. Rivas é outro jovem produtor que vem chamando atenção principalmente com bons remixes, como para “Too Original” do Major Lazer e “Can’t Feel My Face”de The Weeknd. Ainda dentro dessa pegada que tem dominado o país, nomes como KVSH,VINNE, Future Class e Bry Ortega são outros que merecem destaque pelo bom trabalho recente.

Mas não é só destas vertentes que estão surgindo novos talentos no Brasil, evidentemente. Nos gênero mais tradicionais, como progressive e electro house, também é possível ver muita gente de grande potencial fazendo música boa. O carioca Joe Kinni, por exemplo, é outro que tem se destacado com ótimos remixes, com destaque para seu bootleg de “Stole The Show”, do fenômeno norueguês Kygo. Também devido a um remix se destacou o produtor Ash, responsável por uma incrível versão de “Strike It Up”, hit #1 do Beatport de seu compatriota FTampa.

O duo 2kool também vem impressionando pela versatilidade e qualidade nas produções. O recente remix para “Chemicals”, de Tiesto & Don Diablo, é um dos melhores trabalhos do projeto até aqui. O gaúcho Dirty Play e o paulista D-Stroyer também tem dado o que falar, este último já acumulando diversos lançamentos importantes em labels como a Oxygen e suportes como W&W e Dimitri Vegas & Like Mike. Com um estilo bastante diferente e original, o projeto Flying Buff também tem dado o que falar dentro da cena.

Não apenas a Phouse te apresenta os nomes que vão dominar o Brasil em um futuro próximo, como também mostramos os motivos dessa moral que damos para essa juventude talentosa. Separamos como mais um presente de Natal para nosso público uma track de cada um dos produtores mencionados aqui, para que você possa conhecer bem de perto o futuro da dance music brasileira. Curta sem moderação e depois palpite: qual destas feras chamou mais sua atenção?

https://soundcloud.com/futurelines/kaskade-disarm-you-moshe-future-lines-remix

https://soundcloud.com/christianliusound/liu-ft-vokker-dont-look-back-out-1001-on-up-club-recs

https://soundcloud.com/rivasmusic/major-lazer-rivas-remix

https://soundcloud.com/itsvinne/vinne-heiken-dat-junk-out-now

https://soundcloud.com/mixfeed/alex-senna-future-class-my-side

https://soundcloud.com/bry-ortega/bryortega-saccao-housemusiceverywhere

https://soundcloud.com/2koolofficial/chemicalsremix

https://soundcloud.com/dirty-play/restart

https://soundcloud.com/dstroyerofficial/astronomia

https://soundcloud.com/flying-buff/assalto

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

RECEBA NOVIDADES

ÚLTIMAS NOTÍCIAS