Por que The Otherz é um nome para se ficar de olho em 2020

Das aulas com FTampa e KVSH a suportes de Martin Garrix e Afrojack, o duo mineiro tem mostrado crescimento consistente e potencial para voos maiores
* Edição e revisão: Flávio Lerner

Na indústria da música, não existem fórmulas garantidas de sucesso. No entanto, quando paramos para analisar, é possível notar características em comum entre os artistas mais bem-sucedidos. Atributos como originalidade no som, habilidade nas performances ao vivo e uma boa comunicação são frequentes entre estes. 

E quando essas qualidades são notadas em algum projeto incipiente, é bom ficar de olho. É o caso do duo mineiro The Otherz. Compondo o quadro da Alphabeat Records, eles são uma das principais apostas da música eletrônica nacional para os próximos anos. 

Guido Santana, de 29 anos, e Matheus Ballesteros, 30, se conhecem desde 2005, quando ainda eram adolescentes em Belo Horizonte. O mais novo iniciou a carreira em 2009 como um DJ de hip-hop que fazia performances em vinil até que, em 2014, começou a estudar produção, fazendo aulas com KVSH e LOthief. Já o mais velho iniciou os estudos de produção musical em 2007, sendo o primeiro aluno do FTampa. Ele também já fez sucesso com o projeto solo Paniek.

Os dois se aproximaram através de amigos em comum. Matheus foi quem sugeriu fazer um novo projeto, fazendo o The Otherz surgir em abril de 2018. Logo no primeiro single (“Blaze”, com Ammie Graves), já foram parar na programação da MTV Brasil. Desde então, eles vêm se destacando na cena local, e começam a se projetar nacionalmente.

Assim como é o caso em diversos projetos, o duo prefere não assumir rótulos. Em suas faixas, porém, é possível notar uma sonoridade melódica, com baixos suaves e dançantes, que as fazem ter grande aceitação. Além disso, uma presença de palco dominante confere à dupla as características necessárias para cativar o público por onde passam.

Além das músicas autorais, The Otherz cavou o seu espaço com versões alternativas de “Jackie Chan”, de Tiësto, Post Malone e Dzeko, e “Later Bitches”, do Prince Karma. Provando a importância do networking, em 2019 os caras lançaram collabs com players importantes da nossa cena, com os quais já haviam trabalhado anteriormente.

Em julho, “Can’t Get Over You”, com KVSH e FRÖEDE, pela Sony Music, se tornou um grande sucesso rapidamente. Apenas 40 dias após o lançamento, ultrapassava os dois milhões de streams no Spotify e, atualmente, figura entre as músicas mais procuradas do Shazam no Brasil.

Mais recentemente, no último dia 11, eles também lançaram “Lakers”, com FTampa e NUZB, que saiu pela Spinnin’ Records, e é a grande aposta da dupla para a reta final de 2019. Pra se ter uma noção do destaque que os caras já estão conquistando, a track ganhou suporte de nomes como Martin Garrix, Afrojack, Yves V, Blasterjaxx, KVSH e Cat Dealers.

Na sequência, ainda está programado um lançamento com o LOthief e vocais do Dances With White Girls, vocalista de grandes hits do Chris Lake. Já para o ano que vem, eles prometem grandes collabs com big names da cena nacional e internacional.

Vamos ficar atentos pra ver até onde o The Otherz consegue chegar.

Matheus Mariano é colaborador da Phouse.

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Quer aprender a produzir a sua própria música?

Compre agora o curso Make Music Now com 10% de desconto na inscrição e soundbank do Studio Tronnic para Sylenth1 grátis!.