Tiago Leifert fala merda sobre DJs e deixa comunidade eletrônica pistola

Em cinco minutos, o apresentador conseguiu mandar um monte de senso comum e desmerecer a profissão em rede nacional

Não bastasse a Globo converter ex-BBBs em atacadores de DJ profissionais a rodo — que o diga o Elieser —, Tiago Leifert fez mais um desserviço a todos os DJs do Brasil nesse último final de semana.

No programa de games Zero1 do sábado, 23, o apresentador atingiu o grau nove na escala de falar chorume em tempo real. Segundo o Chorumestats, Leifert atingiu a média de dizer uma besteira a cada sete segundos, um dos níveis mais altos da TV brasileira neste final de ano.

Eis as pérolas:

https://youtu.be/g7IbzEMEOfY

– O único trabalho que o DJ tem realmente é pegar a música que tá tocando e colocar na mesma velocidade da outra música.

– Uma vez que o DJ acerta a velocidade, isso aqui [mixer e CDJs] não serve praticamente pra nada.

– Você pode botar um efeitozinho de avião, por exemplo, tipo esse. Um eco… [Emula uma criança de sete anos brincando com os botões de efeito pela primeira vez.] O máximo que dá pra fazer é botar uns efeitos aqui.

– Esses negocinhos que o DJ fica mexendo [frequências do mixer] é o grave, o agudo e o médio. Não é nada, ó! Você não faz nada, só tá tirando o grave, o médio e o agudo.

– O trabalho verdadeiro do DJ, na maior parte do tempo ele tá enganando com isso aqui. O trabalho dele mesmo é escolher a música certa na hora certa, e principalmente hoje em dia, fazer músicas.

A única parte legal do trecho do programa foi mesmo a divulgação dos remixes do DJ Viradrop, que faz umas produções bacanas em cima de memes nacionais. De resto, o apresentador se puxou em mandar aquele senso comum de quem não faz ideia de tudo o que está por trás da arte do DJ — e isso que ele alega já ter sido um “DJ de verdade”.

Não à toa, os DJs do Brasil todo ficaram full pistola, e têm mandado pra ele durante a semana todo aquele carinho da torcida que a gente já conhece.

Esse tweet do Valdivia de 2014 é o recado que a DJzada brasileira gostaria de mandar pro Tiago Leifert

Leifert, vem cá meu chapa: recomendo você focar menos naqueles sets pré-prontos do David Guetta e dar mais uma olhada nuns lances tipo esses aqui que tô linkando abaixo.

Ou até mesmo trocar uma ideia com teu colega André Marques, que pode te dar uns toques sobre o que realmente significa mandar AQUELE ao vivo. De repente você muda alguns conceitos e para de falar merda sobre a profissão em rede nacional.

Feliz 2018!

Flávio Lerner é editor da Phouse; leia mais artigos de sua coluna.

CONFIRA TAMBÉM:

Um mergulho na rica discoteca de Chaves e Chapolin

O Seth Troxler profanou o Templo com um loop de funk; queimem o herege!

A Jovem Pan e o “jornalismo” que atrasa a música eletrônica no Brasil

O que significa ser um DJ? Alguns dos principais nomes do país respondem

No Forte do Brum, o Boiler Room de Recife celebrou a música brasileira e fez história

SIGA A PHOUSE:
INSTAGRAM | TWITTER | FACEBOOK | SPOTIFY

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp