Connect with us
Go Festivals – Tomorrowland Winter Full
Sollares Leaderborder

Vocalista do Prodigy, Keith Flint responde às acusações de participar de caça a raposas na Inglaterra

Flávio Lerner

Publicado em

06/01/2016 - 15:50

No segundo dia deste recém-iniciado 2016, o famoso grupo de hackers ativistas Anonymous gravou um vídeo com cerca de dois minutos e meio endereçado para o vocalista do Prodigy, Keith Flint.

Como defensores dos direitos dos animais, os Anonymous acusaram Flint de sair a cavalo para caçar raposas em Essex, na Inglaterra. No vídeo, imagens do músico cavalgando ao lado de caçadores e analisando armas de caça, além de um veado — aparentemente filhote — com flechas cravadas no corpo, endossam as acusações.

O grupo ainda declara que o artista gosta de torturar animais e que vai “matá-lo politicamente” caso ele não reveja seus conceitos. “Através dos anos, o Prodigy fez música sobre se rebelar contra o establishment. Você vê, Mr. Flint, nós já tivemos muito respeito e admiração por você, sua arte, sua raiva, sua visão e seu corte de cabelo, mas agora o Anonymous está mirando em você com esta mensagem porque você está indo contra tudo o que acreditamos”, dizem.

“A humanidade está acordando e pessoas como o Keith precisam dar uma boa olhada em si mesmos no espelho e decidir de que lado elas realmente estão. Alguns dos cantos tribais sampleados na música do Prodigy correspondem a cantos antigos que eram usados pelas tribos para criar harmonia entre todos os seres vivos. As tribos deram permissão ao Prodigy para usar esses cantos de graça, e é assim que Keith os retribui: matando animais em nome do esporte. Você ainda tem a chance de mudar seus hábitos, Keith. Um ano deve ser o suficiente. Nos aguarde”, encerra a mensagem.

Um dia depois, o Facebook do Prodigy soltou um comunicado oficial de seu vocalista: “Sim, eu moro em Essex e tenho alguns cavalos. Eu cavalguei com os caçadores locais, foi apenas um passeio e NENHUM ANIMAL FOI CAÇADO OU MORTO, então minha consciência está limpa. Não é o meu lance e não vai acontecer de novo”. A mensagem, porém, foi insatisfatória para boa parte dos fãs, que não se convenceram e seguem questionando o fato de ele andar com caçadores, bem como a sua opinião sobre a caça. “Em primeiro lugar, você nem devia ter ido, amigo”, diz o comentário mais curtido até o momento.

Ironicamente, The Day Is My Enemy, o último álbum do grupo, lançado em março de 2015, leva em sua capa uma ilustração de uma raposa — animal que costumava ser muito caçado na Inglaterra. Tal prática, hoje, felizmente é ilegal, e mais impopular do que nunca. Um recente estudo feito pela League Against Cruel Sports [Liga Contra Esportes Crueis] mostra que 83% da população inglesa é contra a caça das raposas, 85% contra a caça dos veados e 87% contra caça dos coelhos. Infelizmente, em contraponto, alguns músicos famosos como Roger Waters, Eric Clapton e [talvez] Flint ainda levantam a bandeira dessa prática bárbara e proto-medieval.

RECEBA NOVIDADES NO E-MAIL

Deixe um comentário

Notícia

Filme do Netflix sobre o Fyre Festival está disponível no Brasil

Com subtítulo digno de “Sessão da Tarde”

Phouse Staff

Publicado há

Fyre Fiasco no Caribe
Foto: Reprodução

Nem sempre o que está disponível no Netflix nos Estados Unidos ou na Europa acaba chegando aqui no Brasil. O filme do Avicii, que recentemente voltou à plataforma — mas ainda não por aqui —, é um bom exemplo.

Por sorte, Fyre, o documentário da própria companhia de streaming sobre o maior #fail da história dos festivais, foi disponibilizado pra gente por aqui, e pode ser assistido em todo o país — com direito a legendas em português e subtítulo digno de Sessão da Tarde: Fyre: Fiasco no Caribe.

Pra quem quer saber mais sobre a história que prometeu luxo e entregou lixo, que levou seu produtor à cadeia por fraude, deu uma queimada na reputação do rapper Ja Rule e arruinou algumas outras vidas, é só acessar aqui.

+ Hulu fura o olho do Netflix com documentário sobre o Fyre Festival

Continue Lendo

Notícia

Paul van Dyk é indenizado por queda no ASOT de 2016

Processo tramitou por quase três anos na justiça holandesa

Phouse Staff

Publicado há

Paul Van Dyk
Foto: Reprodução

Depois de quase três anos em disputa, Paul van Dyk venceu na justiça o processo contra a ALDA Events B.V., produtora responsável pelo A State of Trance em Utreque, na Holanda, que culminou com a queda do DJ de uma altura de mais de seis metros no palco principal, em fevereiro de 2016.

Segundo reportagem do Blast, Paul recebeu uma indenização de mais de 12,5 milhões de dólares (em torno de R$ 48,5 milhões, na cotação de hoje). O valor total chega à quantia de $12.588.643,45, para cobrir despesas médicas (passadas e futuras), danos materiais (cancelamento de shows pelo período que foi hospitalizado) e danos morais.

À época, Paul chegou a sofrer uma concussão grave e quebrou sua espinha dorsal em dois lugares. Consideradas todas as circunstâncias, é praticamente um milagre que ele tenha saído com vida e sem sequelas. “Na sentença, ficou constatado que a ALDA não trabalhou na segurança do palco. Eles admitiram que a área frontal não era segura, mas não avisaram o DJ antes do show. Nunca o comunicaram sobre esse perigo, mesmo sabendo que ele fazia sets bem agitados”, explica a matéria.

A queda de Paul van Dyk, em 2016

Continue Lendo

Notícia

Os 4 singles que antecedem o novo álbum de ILLUSIONIZE

“X” está previsto para o começo de fevereiro

Phouse Staff

Publicado há

ILLUSIONIZE
Foto: Reprodução

Com o lançamento de “What’s Up” nessa sexta-feira, o ILLUSIONIZE encerrou a série de singles que promovem X, seu novo álbum. Com quatro músicas, a série iniciou lá em agosto, com “Down” (quando revelamos com exclusividade o planejamento do disco — relembre aqui) e seguiu com “Here We Go” e “Eruption”, até chegar à quarta e derradeira parte.

Com isso, já é possível ter um panorama do que vem por aí em X (dez, em algoritmos romanos). Via Elevation, o disco que celebra seus dez anos de carreira está previsto para o dia 1º de fevereiro no Beatport, e no dia 15 nas outras plataformas. Os quatro singles correspondem às quatro primeiras faixas, de um total de dez.

Cabalístico, não?

+ EXCLUSIVO: ILLUSIONIZE lançará álbum para celebrar 10 anos de carreira

Continue Lendo

Publicidade

Go Festivals – Tomorrowland 300×250
Sollares 300×250

Facebook

PLAYLIST

Trending

-->

Copyright © 2018 Phouse

Sollares – Pop up